domingo, 13 de agosto de 2017

CASACOR Minas Gerais: em momento histórico, 23ª edição faz elo entre passado, presente e futuro.

Em sua 23ª edição, a CasaCor Minas Gerais rompe mais um desafio. Fruto de muito trabalho e de uma obra gigantesca, a mostra ocupa, em 2017, uma edificação histórica, cuja origem remonta do início do século 20. O casarão, parte do acervo imóvel da extinta Rede Ferroviária Federal, a RFFSA, teve seus espaços recuperados sob a supervisão do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN/MG) e ressignificados por um time de profissionais e empresas que, durante os últimos meses, foram envolvidos pela mesma paixão: dar visibilidade e mostrar uma construção histórica em todo o seu potencial. 


Com o tema “Foco no Essencial”, a CasaCor Minas buscou novas conexões para oferecer uma mostra interativa, em que a novidade está por toda parte. Está, por exemplo, no modelo radical do Guaja Sapucaí, um convite à intervenção do público e na proposta de manter um Makerspace, espaço que se abre a trabalhos e experiências colaborativas. E está também no Ginger Bar, que traduz uma tendência europeia para apresentar não só o primeiro bar de gim da cidade, mas o primeiro a oferecer o gim da casa, com uma inédita destilaria funcionando dentro dele. 

Está, por fim, no universo que agrega os lançamentos mais importantes do setor da arquitetura, design e tecnologia de ponta. O trabalho apresentado nesta edição é assinado por profissionais que, imersos no conceito de recuperação de um imóvel histórico e na sua conexão a uma linguagem contemporânea, fazem parte de um time de altíssimo quilate. 

Comece agora a explorar um pouco da CasaCor Minas: 

Áreas externas: Tanto a Varanda de Entrada como a Bilheteria, projeto de Thales Lucchesi, Marcelo Martins e Ana Paula Pereira, vencedores da maratona ARCHATHON já anunciam a novidade e convidam o visitante a conhecer os demais ambientes. Baseado no Form Follows Function, princípio do design funcionalista segundo o qual a forma deve seguir a função, esses ambientes foram projetados para instruir o fluxo dos visitantes de maneira intuitiva. A disposição e o material do mobiliário na área externa e a posição do balcão na parte interna definem fluxos e permanências, bem como o faz o caminho de luz no teto, que cria uma conexão com a varanda, de forma orgânica e moderna. Utilizando tubulares de led, ele segue o desenho da luminária externa art decó, acervo tombado do prédio e vai se desconstruindo à medida que adentra o casarão. 

Quem assina o Jardim do Ginger Bar são as paisagistas Carla e Marina Pimentel, que tiveram, como grande desafio, desenhar um jardim em patrimônio tombado e, assim, tiveram que adequá-lo às limitações e regras do IPHAN. Mesmo sem poder lançar mão de recursos ornamentais como fontes, esculturas ou espelhos d’água e tendo que se limitar à perspectiva de 80cm de altura, ele é encantador. Um trabalho sensível, com diferentes composições de cores, texturas, formas e aromas. O diferencial luxuoso, são os canteiros de flores e folhagens, que ganharam a companhia de plantas frutíferas como a laranja Kinkan e  ervas aromáticas como manjericão e Lavanda. 

Por dentro do casarão: O Hall Galeria, de Flávia Generoso e Luiza Ananias é um espaço de transição, também pensado como uma área de permanência interativa. Uma intervenção cenográfica oferece uma nova percepção do ambiente - um cômodo estreito e com pé direito bem alto. Isso é possível com o posicionamento do espelho na parede, criando uma expansão horizontal e um jogo reflexivo dos elementos geométricos existentes. Cria, também, uma relação quase fotográfica com o espectador em época de selfies. 

O Hall Central, na verdade, três halls centrais, que se comunicam através da bela escada em jacarandá – eixo vertical do casarão – foram criados por Lena Pinheiro e receberam uma linguagem concisa, reunindo elementos que se identificam com a construção histórica. O primeiro deles, no térreo, localizado logo após a bilheteria, é porta de entrada para os demais ambientes. Aí, o visitante faz seu primeiro contato com “janelas” que evidenciam parte dos afrescos – que contam um pouco a história do casarão – e que começam a ser restaurados. Já o hall do segundo andar é antecedido por um painel gráfico que cobre a parede da escadaria, em clima de street art. Nele, um elemento forte é o sofá arredondado com estampa floral colorida. 

Para a Sala Central, Dodora Gontijo pensou em um espaço exclusivo, que sabe usar da verticalidade do ambiente com proporções bem elaboradas. Nas paredes, obras de arte se alinham ao luxo da tapeçaria Aubousson e do espelho exclusivo, assinado por Jader Almeida que brinca com as imagens. Sofás modernos, um enorme e charmoso pendente, uma árvore de 4m de altura e ainda o trabalho em meia parede com textura metalizada fazem desse ambiente único. 

O projeto da Livraria (que, inclusive vai funcionar a todo vapor na CasaCor Varanda é assinado por Camila Ferreira e une toques de modernidade ao respeito pela arquitetura existente: paredes e forro de madeira original foram cobertos com o tom folha seca. Desenhadas pela arquiteta, as estantes tem estrutura em cavalete preto e fundo em tom ferrugem. Estrategicamente colocado no centro da livraria, um tapete com estampa tem, sobre ele, um jogo de mesas redondas em três alturas, desenho da arquiteta. Próximo a uma das janelas, foi pensado um estar, com sofá curvo para acomodar quem deseja aproveitar sua permanência para folhear um livro. 

Em contraponto ao mundo cyber, mas sem abrir mão das novidades tecnológicas, a Cozinha de Quintal, de Ana Paula Rohlfs foi buscar inspiração nas fazendas antigas. O ambiente tem painel feito com chapas de sucata de aço fazendo a transição entre cozinha, pomar e horta. Revisitado, o “fogão a lenha” teve suas trempes fixadas no Neolith, mesmo material que reveste o bloco central, que passa ideia de um bloco maciço de pedra. Uma torre/armário embute a geladeira na própria porta do móvel, em laminado na cor concreto. 


Pensando em unir beleza e funcionalidade, Cássio Gontijo projetou o Loft com o estar integrado à cozinha, e a suíte máster integrada ao banho. Junto à divisória que separa as duas áreas, uma escultura de quase três metros de altura de Franz Krajcberg. No conjunto, uma mistura que une referências que são nossas, a outras italianas e a outras ainda, de outros países da Europa. O resultado é uma miscelânea harmoniosa, real e, ao mesmo tempo, cenário, que explora os tons de cinza, preto, off white e toques de verde e bordô. 

Para quem não  tem só o trabalho como foco, o Home Office assinado por Cláudia Martins é um ambiente que oferece outras possibilidades.  Uma estante vazada funciona como divisória de dois momentos: o da entrada, com móveis contemporâneos, TV e adega e, o segundo, com bancada de trabalho em gofrato. 

Imagine um Escritório de Imprensa diferente e divertido. Inspirado na jornalista Natália Dornelas, foi assim que Pedro Lázaro projetou esse ambiente, com teto e janelas originais enfatizados pelo tom off white. Destaque para a pintura das paredes em dois níveis, fazendo releitura de época com o vibrante azul carbono e o verde- piscina. Um lounge e uma redação dividem o espaço, pontuado por expressivas obras de arte e pela poesia dos móveis do estúdio Nendo.  Pedro Lázaro também assina o espaço Institucional  Arcelor Mital, que tem como base a economia circular. O conceito permeia desde a escolha do material, que permite o reuso do objeto arquitetônico, passa pela forma, pela escolha dos móveis e pela curadoria das obras de arte aqui presentes. Está tudo entrelaçado. Embora sejam ambientes situados em local de trabalho, o aspecto casa humaniza, propõe momentos reais, de acordo com os princípios da empresa em que está inserido. 

O Guaja Sapucaí, projeto de Lucas Durães, Sarah Kubistchek, Pedro Haruf, Gabriel Nardelli e Marcos Franchini é um espaço temporário pensado para abrigar a programação cultural da CasaCor Minas e, ao mesmo tempo, se abre a trabalhos e experiências colaborativas. Ao invés de um projeto de arquitetura, foi imaginado um processo não determinista, que dilui a autoria de sua concepção com mais de 100 profissionais e estudantes dos campos de arquitetura e design. Destaque aqui para a Iluminação Cênica do Guaja Sapucaí, assinada por Pedro Pederneiras. A ideia é a de que a luz atue da forma mais simples possível, iluminando o que precisa de luz, como as mesas, os balanços e a região do palco. Iluminar é sempre experimentar. O resto é penumbra. 

A base do projeto do Restaurante e Lounge, de Bernardo Farkasvolgyi vem de cima: o teto foi todo coberto de tear. São mais de 800 fios, num percurso que, em linha reta, daria 10,3km. O espaço recebeu tom neutro e manteve esquadrias de portas e janelas originais. Já o Estúdio Gourmet, projeto de Maurício Bomfim, apresenta living com pegada industrial, com portas revestidas por carpaccio de pedra natural e bancada em porcelanato no tom ferrugem. Destaque para a mesa de mármore em formato orgânico. Há também a Sala de Vinhos assinada por Camile Guedes, onde tanto o desenho do mobiliário, como sua disposição e também a escolha dos materiais utilizados tem total conexão. O conforto visual e tátil chama o visitante a sentar, experimentar e vivenciar o momento. 


Na Cozinha Funcional de Gabriela Azeredo e Patrícia Pires, a inspiração vem do conceito slow living. Nela há algo que muita gente já sonhou em ter na sua própria cozinha: um sofá. Aliás, dois, bem confortáveis e uma TV que pode ser vista de todos os ângulos. No alto, uma prateleira abriga vários objetos, plantas e livros, pensada como proposta supercharmosa, zero luxo. 

Imagine uma varanda com elementos rútisticos e muito verde. É assim que Droysen Tomich, Marcelo Serafim e Octávio Davis pensaram a Varanda Green, que contempla tanto o relaxamento quanto o convívio, unindo a simplicidade ao essencial de morar bem. Nela, lâminas de d'água escorrem da parede revestida de placas cimentícias em 3D, jardins verticais contracenam com o piso feito em minério de ferro. A paleta de cores vai do cinza ao azul, amarelo e aço corten. 

Por fim, o ambiente Caminhos Transformados, assinado por Isabela Vecci. O objetivo, aqui, foi dar visibilidade ao sistema de logística integrada da holding VLI, que interliga ferrovias, terminais e portos das principais regiões brasileiras. Utilizando uma linguagem moderna e simpática, o ambiente é escuro, propício à projeção de vídeo, e nele foi instalada uma mesa de formato sinuoso, que percorre a sala em L e funciona como tela para receber uma animação com imagens, infográficos e textos.

Serviço:
Casa Cor Minas Gerais
De 12 de agosto a 17 de setembro de 2017
Endereço: Rua Sapucaí, 383– Floresta- Belo Horizonte
Horário de funcionamento: de terça à sexta de 15h às 22h/ Sábados, de 13h às 22h e  aos domingos e feriados de 13h às 19h.
Informações: www.casacor.abril.com.br
Vendas na bilheteria da Casa Cor Minas ou pelo site http://www.blueticket.com.br

Blogger Tricks

Mesa Posta: Mesas com toques masculinos.

Olá!! Hoje é aquele dia de arrumar uma mesa bem bonita em casa para os pais. Quem gosta de presentear desta forma também? Esta pode ser uma forma de presentear todos os dias, nas datas especiais...uma mesa bonita é sempre um cuidado muito bom com a nossa casa e uma forma de deixar nossos momentos em família ou com amigos mais gostosos ainda. Hoje a idéia era um post com mesas mais masculinas. 
Nesta linha, foram escolhidas duas cores como base: azul e preto em vasos e porcelanas, guardanapos e copos e toalhas em tons de branco e off-white. Mas como nós gostamos de um pouco de cor, também tem uma opção com tom de amarelo na porcelana (só para um pequeno toque mais alegre). A idéia era mostrar a possibilidade de mistura de dois jogos. Sim, fica muito legal fazer essa mistura, de peças lisas com estampadas e com outras de estampas de mesma cor. A produção das mesas teve a escolha de itens da loja Camicado do Shopping Plaza Sul e peças de acervo pessoal.





Em preto e branco:



Vamos aos créditos?
Na primeira mesa em azul e branco: Toalha de mesa vazada em off-white Camicado, Jogo em porcelana Vista Alegre Olhar o Brasil de Chicô Gouveia, sousplat Le Lis Blanc Casa, taças azuis, vaso azul e porta-guardanapo  Camicado. Mesa em azul com detalhe em amarelo: ela é um mix de dois jogos da Vista Alegre.
Na segunda mesa em preto e branco: Toalha de mesa branca em linho, Porcelana com detalhes em cinza, sousplat, talheres com cabo preto (linha Turmalina), porta-guardanapos e guardanapos todos da Camicado (loja Shopping Plaza Sul), Champanheira Etna, taças e copos Cecilia Dale, taças de sobremesa Etna. Vasos Divino Espaço.

sábado, 12 de agosto de 2017

Modernos Eternos: Canto do Aperitivo é o tema do espaço assinado pela In House Designers durante a 4ª edição da mostra.

Designers de interiores Andréa Bugarib e Betina Barcellos, da In House Designers, participam da 4ª edição da mostra Modernos Eternos, que foi inaugurada dia 8 de agosto. Aberto ao público, o evento acontece entre os dias 9 a 13 de agosto, no Shopping Cidade Jardim, na capital paulista. Seguindo o conceito mix&match da Modernos Eternos, que busca compor a integração do mobiliário e objetos do design atual com o estilo vintage, a dupla da In House Designers assina o espaço ‘Canto do Aperitivo’. 



Com a proposta de trazer um living não convencional, Andrea e Betina criaram uma decoração com atmosfera sofisticada e, ao mesmo tempo, minimalista.



Uma integração, na medida certa, para aqueles que cultivam o prazer de receber os amigos e apreciar boas bebidas. O estilo marcante definido pelas profissionais teve início na escolha das cores. Os atemporais off-white, preto e cinza são combinados a duas escolhas ousadas: a dobradinha de papéis de parede, da loja Celina Dias, nas tons azul-noite e metalizado. Mesclando um toque de irreverência, a boiserie ganha uma nova roupagem com a tendência da utilização de latão ouro-velho.



Conferindo um ambiente de requinte e conforto, móveis de design italiano, com desenhos limpos e atuais, se misturam às peças garimpadas em antiquários. O sofá de medidas compactas acompanha uma mesa de centro, que também pode servir como uma opção de assento para acomodar os convidados, ambos da linha Maxalto B&B Italia, e duas poltronas Baxter. Todas as peças são da Casual Móveis. Para receber a essência principal do Canto do Aperitivo, o aparador, do Espaço Cardeal, confere o estilo old fashioned e acomoda o motivo de ser do espaço, que também recebe mais duas poltronas, estilo antigo, também da Cardeal. O tapete de Chevron, na cor clara, da Bellouchi, luminária da Loja Teo e quadro da Galeria Eduardo Fernandes finalizam o ambiente. 

Serviço: 4ª Modernos e Eternos • De 9 a 12 de agosto, das 13h às 21h30 • Dia 13 de agosto, das 13h às 20h 
Local: Casa Bossa Cidade Jardim 
Endereço: Av. Magalhães de Castro, 12.000, 3º andar
Shopping Cidade Jardim 
www.modernoseternos.com 
Entrada franca 
In House Designers 
(11) 3721-1157 
www.inhousedesigners.com.br 
@inhousedesigners 

Sobre a In House Designers:Comandado pelas designers de interiores Andréa Bugarib e Betina Barcellos desde 2007, o escritório é referência na criação de projetos residenciais e corporativos sofisticados e personalizados. Sempre atentas aos detalhes e prezando pela qualidade, a dupla busca valorizar as memórias afetivas e refletir o estilo de vida dos moradores em cada espaço, aliando beleza, aconchego e estilo. Com um olhar apurado para tudo que é belo, são fãs incondicionais de ambientes autênticos e não têm medo de misturar em um mesmo espaço objetos de valor sentimental, obras de arte e peças assinadas por designers renomados. Tanto carinho e atenção garante um portfólio rico e exclusivo, além de clientes fieis e satisfeitos. 

DW!: A imperdível exposição Alquimia da By Kamy.

Olá!! Mais um dia de DW!! Quem está visitando as atrações pela cidade? Hoje tem mais uma sugestão aqui no blog! Uma exposição linda é a Alquimia na By Kamy. A marca faz uma exposição lindíssima com tapeçaria. 

Baseada em sua história, a by Kamy, convidou quatro artistas para interpretar sua evolução. Cada um em sua área de atuação, vindo de setores distintos, com visões diferentes, experiências diferentes e lugares diferentes. Pessoas ímpares que perduram a trajetória da empresa e resgatam a vontade pelo objeto de desejo.

A partir de sua essência, unidas às diferentes inspirações, nasceram peças únicas nunca antes apresentadas. Novos produtos, novas artes e um novo design que falam entre si e ensinam diferentes maneiras de usar cada peça, entre outras sensações. Mudanças de padrões em óticas inéditas, porém com amplo respeito às próprias origens. 





Os artistas convidados pela By Kamy (texto retirado do site da marca):

Lin Le Cheng: Um dos principais artistas de fibra do mundo, nascido na China em 1954, Lin Lecheng é Professor e Diretor do Departamento de Artes e Ofícios da Universidade Tsinghua, Pequim, o maior campus universitário do mundo e a mais importante universidade chinesa.

Lecheng é artista e um grande estudioso. Para ele, o ensino, a pesquisa e os conhecimentos em arte da fibra devem ser orientados a nível internacional, desde a comunidade, passando pelo mercado, áreas multidisciplinares, interdisciplinares e também interdisciplinares. Ou seja, a importância do estudo sobre a Arte das Fibras é imprescindível tanto para concepção das peças quanto para o reconhecimento de seu valor cultural e mercadológico.

Pela primeira vez no Brasil, o artista traz obras que expressam o seu estudo estético e técnico de paisagens observadas a partir de experiências físicas ou mesmo psíquicas. Por meio de seus desenhos, que posteriormente tornam-se gravuras, Lin retrata a diferença entre os traços e os respectivos contornos de maneira minuciosa, bem como as diferentes formas de interpretar a paisagem notada. Após conceber as inúmeras intensidades entre as formas e os objetos, o artista transfere o seu estudo e percepção para o têxtil através do emprego de técnicas ideais, transportando rigorosamente fio a fio a sua obra de arte para tapeçarias únicas, com o máximo de respeito às tradições e à cultura milenar chinesa.

Em suas obras, cada uma evoca um sentimento profundo da natureza e, em certa medida, eliminam a sensação de apatia e senso de monotonia da vida moderna.  Lin utiliza das técnicas por ele estudadas para a criação de suas tapeçarias, as quais valorizam o desempenho rico em texturas que enaltecem a herança cultural local, criando uma harmonia entre o contemporâneo e o tradicional. Muitas das obras criadas equiparam-se a uma escala monumental, às vezes medindo dez metros ou mais. Estão espalhadas pelos principais locais públicos e privados da China, bem como em outras partes do país.

Para o Design Weekend desse ano, Lin traz um conjunto de gravuras e de tapeçarias que retratam com maestria a alquimia de sua arte. Uma oportunidade ímpar de adentrar no universo do seu processo de observação, concepção e finalização de cada obra. Le Cheng, respeitável guru das técnicas têxteis, é um artista singular que detém de uma preciosa sabedoria antiga que carrega consigo para a concepção de suas artes. Sua genialidade representa hoje o potencial máximo do homem de trabalhar o têxtil.

Marcelo Borges: As mesas Uomo e Donna, cujos nomes homenageiam Kamy e Francesca, foram criadas pelo designer Marcelo Borges para o Design Week 2017. Uomo, retangular, e Donna, redonda, representam a alquimia perfeita entre arte, design e os minerais. Dentro de sua pesquisa, Marcelo notou que ao longo da história a mesa não era apenas um objeto de valor estético, mas também um símbolo cultural importante. Em torno dela, os homens reuniam-se para compartilhar momentos relevantes, decisivos e místicos. Para ornamentá-las, utilizavam a transmutação das impurezas de rochas a fim de produzir obras de diferentes formas e cores. Essa manipulação de elementos tornava cada resultado pleno e eterno sobre as mãos dos homens: ali estava presente a verdadeira alquimia. Atraído pela possibilidade de resgatar uma prática milenar já esquecida e pouco explorada pelo mundo contemporâneo em sua total plenitude, o projeto surge como uma nova forma de filosofia, com a proposta de trazer à natureza uma experiência cotidiana.

Dentro de sua pesquisa exploratória por um novo design, foi voltando-se ao passado e à singular história da By Kamy, que Marcelo Borges encontrou sua inspiração na geometria dos tapetes: trazer a trama para ser esculpida no mármore foi o desafio do projeto. Marcelo desenha com exclusividade duas mesas repletas de detalhes artesanais que sublimam a riqueza da matéria prima e de seu manuseio, explorando materiais clássicos de maneira singular e arrojada, como a preciosidade das pedras à fusão do metal, além da beleza dos desenhos geométricos. A eterna época do ouro do cinema americano, que tanto influenciou a década de 30 com seu refinamento voltado aos detalhes, funde-se à geometria dos tapetes orientais assim como em uma trama. Para Marcelo, a maior tecnologia do homem é a criatividade de inovar e buscar, dentro de suas limitações, novas formas de expressão enraizadas no passado, porém com um olhar para o futuro.

Patricia Kattan: Tramas, nós, casulos e texturas fazem parte do universo da artista plástica Patricia Kattan. Vinda da indústria têxtil, ela aplica seus conhecimentos de tecelagem, fios e diversos materiais na criação de peças inusitadas e irreverentes. Cada fase tem características próprias, mas todas interconectadas pelos mesmos conceitos de inovação, exploração de materiais e contemporaneidade. Todo seu processo de criação acontece à noite, período em que a artista imerge em um universo próprio.

As tramas e nós dos primeiros trabalhos e instalações aos poucos se transformaram em casulos, tapeçarias, tapetes, obras de arte e objetos de design, que estão em constante processo de formação. Uma verdadeira arte viva e mutante que manifesta o desejo do homem de conhecer suas origens. Instigada pelas tapeçarias antigas, a artista retorna à sua ascendência Síria, libanesa e Iraniana, com uma ginga brasileira em busca do conhecimento da sua própria identidade. A evolução de sua obra designa seu caminho. Nasce então o desejo de compartilhar e de instigar o olhar do outro para o intuitivo, de se encontrar em novas dimensões.

Patricia Kattan traz para o DW 2017 um conjunto de obras concebidas para representação da Alquimia entre história, cultura e vivências, a partir de um questionamento sobre a posição do tapete no mundo contemporâneo. Ambientados no centro da casa, sendo eles receptores de memórias de fatos ocorridos, cada tapete gera sua própria história. É possível identificá-los através das técnicas e materiais utilizados como tendo um DNA próprio. Maior fonte de expressão artística do Oriente, uma maneira de aprofundar seus conhecimentos sobre a diversidade cultural em busca de respostas para entendermos quem somos. Qualquer que seja a definição adotada é possível compreender, como uma forma de conhecimento sobre a diversidade cultural, a busca de respostas para “o que somos” a partir do espelho fornecido pelo “outro”; uma maneira de nos situarmos na fronteira entre vários mundos sociais e culturais, abrindo janelas entre eles, através das quais podemos alargar nossas possibilidades de sentir, agir e refletir sobre o que, afinal de contas, nos torna seres singulares. A introdução dos metais nobres como o ouro, prata e o cobre em suas obras aproxima a cultura oriental à arte têxtil, instigando nosso olhar em relação a eles num processo de valorização e reconhecimento sobre a representatividade e conceitos dos tapetes nos dias de hoje.

Walter Goldfarb: Em tantos anos de produção com materiais próprios confeccionados passo-a-passo em seu ateliê, o artista polaco-brasileiro Walter Goldfarb criou peças que vão além do conceito de arte, materializando fragmentos, documentos e a identidade de seu trabalho composto por linhas, retalhos e frações de obras que se transformam em novas peças. Para unir pintura e tear, o artista aplica processos complexos de alquimia utilizando lonas tingidas, agulhas, linhas e pedrarias, entre outros materiais. Goldfarb, essencialmente um pintor, faz pouco uso do pincel como principal ferramenta de trabalho. Suas obras são construídas com técnicas de tingimento em enormes tanques de lavagem, bordados e tecidos à mão com fios retirados da própria lona da pintura. Outras práticas singulares do artista são relevos em laca aplicados através de seringas e azinhavres na lona crua a partir do decantamento e da cura de pigmentos de ouro, cobre e prata, e a tatuagem na lona de pintura com uso do fogo.   

Especialmente para o Design Weekend, as obras produzidas expõem uma composição visual que envolve muitas tramas, signos, cores, fragmentos, alegorias e subjetividades em mais de 20 itens. O conceito da sua exposição abrange um vasto estudo e aprimoramento de técnicas desenvolvido por mais duas décadas, sendo o foco a apresentação de parte desta sua alquimia, uma verdadeira paixão têxtil que une criatividade e técnicas num denominador comum entre o artista e a by Kamy: a obra de arte no sentido mais abrangente.

Divididas em três núcleos, sua arte brinca com passado e o presente através da mistura de técnicas, interpretando grafismos ambíguos de seu mundo. Caixas-objetos com lonas tingidas e fios de algodão, pinturas negras bordadas em forma de Camafeus construídos com centenas de bastões de carvão e pedras preciosas, e Gobelins bordados manualmente sobre o bastidor, desafiam a hierarquia dos materiais e métodos da pintura. Retoma-se a arte das tapeçarias produzidas na França no século XVIII, porém com uma nova proposta criada por áreas de diferentes nuances construídas em camadas de bordado manual e veladuras em massas de cor que com a mistura de técnicas resultam em uma linguagem ímpar.

Repletas de significados, as peças escolhidas interligam histórias e se transformam em reflexões que rompem fronteiras. Walter Goldfarb “cozinha”, entre seu pensar e fazer artístico compulsivo, uma receita de corte e costura hibrida e plural onde impõe sua força física nas lavagens, raspagens e macerações sobre as lonas cruas, paralelas à delicadeza de seus bordados e figuras.

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Agenda Design Week: 02 exposições imperdíveis - Isabel Ruas com seu espaço Tridimensional e a instalação “600 Sonhos em Formas Coloridas” da renomada arquiteta Ieda Korman.

Olá!! Quem está animado com a DW!? Esta semana é a queridinha dos apaixonados por decoração, arte e design! Para não ficar perdido é bom ir fazendo uma agenda do que olhar. Pensando no assunto, hoje temos duas exposições aqui para colocar na agenda (vamos fazer algumas notas de exposições para ajudar nas escolhas. Ok?). Vamos lá?? Começamos por duas exposições bem legais:

1. A Cerâmica Atlas e Isabel Ruas apresentam espaço “Tridimensional” durante a DW! São Paulo Design Weekend 2017Apresentados na Villa Ibiza, quatro painéis impressos em cerâmica, produzidos com técnica inovadora, apresentam contrapontos entre formas, linhas e curvas criadas por formas humanas.


De um lado, formas geométricas e lineares; do outro, o dinamismo orgânico das figuras humanas. O contraponto entre linhas retas e curvas inspirou a mosaicista Isabel Ruas (Oficina de Mosaicos) a criar o espaço “Tridimensional” em parceria com a Cerâmica Atlas, referência nacional em pastilhas de porcelana e revestimentos.


O ambiente, concebido exclusivamente para a DW! São Paulo Design Weekend 2017, maior festival urbano de design da América Latina, ficará exposto na Villa Ibiza Acabamentos, em Pinheiros, entre os dias 09 e 13 de agosto.

Projetado para que os visitantes possam contemplar a figura dos quatro painéis de 190 x 60 cm que compõem a obra, o espaço também convida o olhar para o jardim externo. A partir da técnica de impressão digital, a Atlas tornou possível reproduzir em cerâmica o trabalho da mosaicista com texturas e nuances em alta definição. “Investimos em altíssima tecnologia para potencializar nossa criatividade industrial. A parceria com artistas de renome, como Isabel Ruas, prova que nosso know-how industrial está alinhado com o desenvolvimento artístico e cultural”, afirma Cristina Ricciardi, gerente de marketing da Cerâmica Atlas.

“Este novo trabalho dá continuidade a uma série de experiências anteriores, em menor escala ou aplicadas em mosaicos murais”, comenta Isabel. “A técnica de impressão tem um potencial muito grande e já nos inspira a ter novas ideias de produtos”. A artista explica ainda que, nos painéis, “as figuras humanas quase nunca estão inteiras e atravessam, ou são atravessadas, por linhas geométricas. Isto cria uma sensação de tridimensionalidade e nos faz imaginar que o espaço continua para além dos painéis”.

2. A segunda indicação é a instalação “600 Sonhos em Formas Coloridas” da renomada arquiteta Ieda Korman (Korman Arquitetos)O uso de cores de forma criativa marca a estreia da de Ieda Korman no DW! São Paulo Design Weekend 2017.

A 6ª edição do DW! São Paulo Design Weekend tem presença confirmada da arquiteta Ieda Korman. Reconhecida no mercado há mais de 35 anos, a profissional tem vasta experiência em projetos residenciais, comerciais e de hotelaria dentro e fora do país. Sócia no escritório Korman Arquitetos, com Silvio e Carina Korman, Ieda marca sua participação no maior festival urbano de design da América Latina apresentando a instalação “600 Sonhos em Formas Coloridas”.

Concebida exclusivamente para o DW!, a criação da arquiteta é parte integrante da exposição “Outros Olhares para o Revestir”, desenvolvida no espaço Villa Ibiza, em Pinheiros. A empresa revendedora de acabamentos, em parceria com o grupo alemão MC-Bauchemie, fabricante de insumos para a construção civil, traz para o evento novas cores de rejuntes.

O lançamento será apresentado por Ieda Korman de forma criativa. Tubos de vidro de diferentes tamanhos, espalhados por uma instalação irão exibir os rejuntes líquidos,  mostrando as 600 cores criadas. “A ideia é apresentar de maneira plástica a gama de tonalidades do produto. E também, transpondo esta forma lúdica para a arquitetura e para a construção civil, convidar o especificador a sair do lugar comum e ter uma postura mais livre no momento de definir materiais e itens para sua obra”, explica a arquiteta.

Serviço:

DW! São Paulo Design Weekend
Data: de 09 a 13 de agosto de 2017
Informações: www.desigweekend.com.br
Villa Ibiza Acabamentos
Endereço: R. Fradique Coutinho, 100, Pinheiros, São Paulo (SP)
Horário de funcionamento: 09h às 19h
Contato: (11) 3061-2780
Facebook: www.facebook.com/CerAtlas
Instagram: www.instagram.com/CeramicaAtlas @CeramicaAtlas
Outros Olhares para o Revestir
De 9 a 13 de agosto de 2017
Villa Ibiza
R. Fradique Coutinho, 100, Pinheiros, São Paulo
www.ibizaacabamentos.com.br
Korman Arquitetos
Rua Groenlândia, 1877, Jardim América, São Paulo
Tel.: (11) 3060-8313

Sobre a Cerâmica Atlas: Fundada nos anos 60 por Geraldo Ricciardi, empresário de grande visão e ousadia, a Cerâmica Atlas é líder nacional no segmento de pastilhas de porcelana. Em mais de 50 anos de trajetória, alcançou alto nível de qualidade, volume, variedade de formatos e cores, atributos reconhecidos pelo mercado brasileiro e por países como EUA, Chile e Argentina, locais com quem manteve atividade exportadora. Sua ampla expertise no desenvolvimento de pastilhas e revestimento para fachadas, piscinas e demais ambientes residenciais e corporativos permite oferecer com exclusividade pastilhas de porcelana e revestimentos, em diversos formatos e cores. Atualmente, a empresa conta com 600 colaboradores e sua unidade fabril na cidade de Tambaú, interior de São Paulo, abrange uma área coberta de 54 mil m². A empresa não só participa da vida comunitária da cidade, como também desenvolve projetos sociais e ambientais de importância para a região.

Sobre a Korman Arquitetos: Com mais de 35 anos de história nos segmentos residencial, corporativo e comercial, o escritório conta com diferentes gerações no comando dos projetos personalizados e exclusivos realizados no Brasil e exterior. Carina se juntou aos pais, Silvio e Ieda, para juntos darem forma a trabalhos criativos com uma linguagem moderna e atemporal, assinando reformas dos mais variados estilos e concebendo espaços do zero, passando pelo acompanhamento da obra até a finalização da decoração. Com participações nas principais mostras de decoração, como CasaCor, o trio já teve projetos evidenciados nas principais publicações da área.

Sobre o DW! São Paulo Design Weekend 2017: É um festival urbano que tem o objetivo de promover a cultura do design e suas conexões com arquitetura, arte, decoração, urbanismo, inclusão social, negócios e inovação tecnológica. São diversos eventos independentes, simultâneos e integrados por um programa oficial. DW! compreende palestras em instituições educacionais, visitas guiadas em galerias e ateliês, exposições, instalações, intervenções artísticas e urbanas, circuitos temáticos, concursos, festas e lançamentos de produtos em lojas e showrooms.    

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Viagem: Lotte New York Palace é eleito um dos melhores hotéis de Nova York.

Sabe aquele lugar lindo, com qualidade excelente e ainda, aquele décor sofisticado e cheio de história? Impossível falar em hotel e não lembrar do Lotte New York Palace! O hotel Lotte New York Palace foi eleito um dos 10 melhores hotéis de Nova York, através da premiação World’s Best da Revista Travel & Leisure. A classificação foi realizada levando em consideração as instalações, localização, serviço, gastronomia e valor total.


Esse título é muito significativo já que Nova York é um dos destinos mais desejados do mundo e recebe viajantes de várias nacionalidades. O Lotte New York Palace é o maior hotel de luxo da cidade e está localizado em um dos pontos mais disputados da Big Apple: bem  frente  à  catedral  de  St.  Patrick, na esquina da 50th com a Madison Avenue e a poucos passos do Rockefeller Center.


“Com quase 470 hotéis em nosso mercado direto é uma honra ser reconhecido como um dos melhores da cidade. O mais satisfatório é que esse prêmio é dado pelos viajantes, são nossos hóspedes que votaram em nós”, declarou David Shenman, diretor de vendas e marketing do LNYP. “Realmente não há nenhum hotel em Nova York como Lotte New York Palace!”.

Para quem gosta de décor, uma bela arquitetura, e gastronomia, abaixo, algumas imagens do lindíssimo hotel:


O lobby e o restaurante super charmosos do Lote New York Palace. 


O hotel conta com  176  quartos,  incluindo  quatro  suítes  presidenciais. Algumas das charmosas suítes do hotel:





Abaixo, uma das suítes presidenciais,  a Jewel  Suite. Esta suíte  foi  projetada  pelo joalheiro  Martin  Katz,  que  a  decorou  com  pedras  preciosas e presenteia quem a reservar com um anel de diamantes. 




O Lotte New York Palace ainda oferece uma ampla variedade gastronômica com destaque para o Rarities, bar com bebidas super raras, e para o Villard, o mais novo restaurante do hotel.