terça-feira, 29 de novembro de 2016

Fotografia: A Pirelli lançou hoje em Paris o calendário 2017 de Peter Lindbergh com um novo olhar.

Foi apresentado hoje, em Paris, o Calendário Pirelli 2017, criado por Peter Lindbergh, um dos mais talentosos fotógrafos do mundo. Com a edição de 2017 - que segue a anterior, assinada por Annie Leibovitz em 2016 -, o mestre alemão torna-se o único fotógrafo a ser chamado para realizar o calendário Pirelli pela terceira vez, após o de 1996, fotografado na Califórnia, no deserto de El Mirage, e o de 2002, realizado no estúdio da Paramount Pictures, em Los Angeles. Além disso, em 2014, Lindbergh, juntamente com Patrick Demarchelier, foi o criador das fotos comemorativas dos 50 anos de vida do Calendário, que nasceu em 1964, teve algumas pausas na sua publicação, e está, agora, na sua quadragésima quarta edição.

Quem explica o fio condutor do Calendário Pirelli 2017 é o próprio fotógrafo: “Numa época em que as mulheres são apresentadas pela mídia e por toda parte como embaixadoras da perfeição e da beleza, pensei que seria importante lembrar a todos que existe uma beleza diferente, mais real e autêntica, e não manipulada pela propaganda ou outra coisa qualquer. Uma beleza que fala da individualidade, da coragem de ser quem se é e da sensibilidade”. O título “Emocional”, escolhido por Lindbergh, enfatiza a intenção de suas fotos: “Criar um Calendário qu e não seja sobre corpos perfeitos, mas sobre a sensibilidade e a emoção, desnudando a alma das protagonistas, que ficam mais nuas do que o nu”. Abaixo, as fotografias, e em seguida uma conversa com o fotógrafo.




Para apresentar sua ideia de beleza natural e de feminilidade, Lindbergh fotografou 14 atrizes de fama internacional: Jessica Chastain, Penélope Cruz, Nicole Kidman, Rooney Mara, Helen Mirren, Julianne Moore, Lupita Nyong'o, Charlotte Rampling, Lea Seydoux, Uma Thurman, Alicia Vikander, Kate Winslet, Robin Wright e Zhang Ziyi. Com elas, coadjuvou também Anastasia Ignatova, professora de Teoria Política na State University de Moscou. Essas escolhas atestam, mais uma vez, o amor que Lindbergh sente pelo cinema, convertendo a ‘Cité du Cinéma’, de Saint Denis, um dos estúdios de produção cinematográfica mais importantes da Europa, na sede natural para o tradicional jantar de gala durante o qual o novo calendário é apresentado.

“O objetivo ─ diz Lindbergh ─ era retratar as mulheres de uma forma diferente: fiz isso chamando atrizes que tiveram um papel importante na minha vida e, ao fotografá-las, fui me aproximando delas o máximo possível. Como artista, sinto a responsabilidade de libertar as mulheres da ideia de juventude e de perfeição eternas. O ideal de beleza perfeita promovido pela sociedade é uma meta inatingível”.

As sessões fotográficas foram realizadas entre maio e junho deste ano, em cinco locações diferentes: Berlim, Los Angeles, Nova York, Londres e na praia francesa de Le Touquet. O resultado é um Calendário composto por 40 fotografias ─ incluindo retratos e ambientes ─ tiradas não só no estúdio mas também em vários espaços metropolitanos e cenários ao ar livre, como ruas, fast-foods e hotéis decadentes no centro da cidade de Los Angeles; no Times Square, em Nova York; no teatro Sophiensale, em Berlim; nos telhados dos estúdios em Nova York e em Londres; e na praia de Le Touquet.

Mas não é somente o cinema que caracteriza os trabalhos de Lindbergh. O fotógrafo é famoso também por sua capacidade de trazer para suas fotos elementos ligados ao ambiente industrial da sua infância. E é por isso que, com o objetivo inicial de transferir para o Calendário aspectos relacionados à tecnologia e à indústria, Lindbergh também realizou, durante a operação, inúmeras fotos no polo industrial da Pirelli, em Settimo Torinese, a fábrica tecnologicamente mais avançada do grupo. Da experiência, nasceu uma série de fotografias sobre o mundo da automação e da inovação tão sugestiva e potente que, como disse o próprio fotógrafo na entrevista publicada pela revista Pirelli World, “no final, decidimos dividir as experiências em duas séries de fotos e usar a série da fábrica para realizar, no futuro, um projeto autônomo e separado do Calendário” .

A preparação, as histórias e os protagonistas do Calendário Pirelli 2017 nos bastidores podem ser visualizados no site www.pirellicalendar.com, a plataforma renovada recentemente que permite visualizar a história de mais de 50 anos de The Cal™ por meio de filmes, entrevistas, fotografias e textos inéditos. Um dos conteúdos exclusivos da nova edição, a seção Making of The Cal™ narra o processo de concepção e de realização do trabalho artístico do grande fotógrafo e de sua equipe. Além disso, a seção Icons estará enriquecida com novas entrevistas exclusivas realizadas com as protagonistas do Calendário Pirelli 2017.

Para quem adora saber tudo em detalhes uma conversa com Peter Lindbergh: “EU, A FOTOGRAFIA E O CALENDÁRIO PIRELLI 2017”

Qual é a ideia que está por trás deste Calendário?
Eu quis usar o calendário 2017 para defender um tipo diferente de beleza. O sistema atual, baseado no consumo, oferece um único tipo de beleza, demasiadamente ligado à ideia de juventude e de perfeição. Mas essa ideia de beleza não tem relação com a realidade e com as mulheres. Por meio do Calendário Pirelli, desejei transmitir outra mensagem: a de que a beleza é muito mais do que nos oferece hoje a publicidade. O objetivo era retratar as mulheres de uma forma diferente. Fiz isso envolvendo atrizes que tiveram um papel importante na minha vida e, ao fotografá-las, fui me aproximando delas o máximo possível. Já nas primeiras fotos, percebi que funcionava. Acho incrível olhar para pessoas como Nicole Kidman, que foi a primeira que fotografei, de uma forma totalmente diferente. É uma experiência sensacional olhar para alguém que olha para você através da câmera e criar uma ligação direta, vivendo uma experiência única, como nunca tinha me acontecido antes. Depois de umas duas horas de sessão fotográfica, quando Nicole disse “Eu não sei por que estou me divertindo tanto... Ninguém jamais me fotografou assim... Ninguém jamais viu essa parte de mim e é magnífico”, ela sintetizou a essência do que eu desejava fazer com o Calendário Pirelli 2017: eu queria retratar as mulheres, mas não por meio da sua perfeição, e sim da sua sensibilidade e das suas emoções. Por isso, dei a esta edição do Calendário o título "Emocional”, valorizando não uma perfeição artificial, mas o mundo real e as emoções que estão por trás dos rostos dessas mulheres.

Por que preto e branco?
Em preto e branco, você atribui à cena uma realidade diferente à do mundo real e em cores: é você quem interpreta a realidade misturando o branco e o preto para obter sombras, luzes e formas. Eu acho que o preto e o branco simplificam e transformam a realidade em outra coisa, é o primeiro pequeno passo para se afastar do que é normal ou real, para ir ao encontro de algo mais interessante, que não é real.

A inovação tecnológica está influenciando o seu trabalho?
Não, porque eu me preservei. Os jovens fotógrafos de hoje não sabem nem mesmo o que significa usar uma máquina analógica. Conheço muito bem o mundo da película e eu não queria uma câmera digital. Eu estava totalmente feliz com o que tinha. Depois, com o tempo, eu aprendi que o digital é fantástico em muitos aspectos, com duas exceções. A primeira é que a imagem digital é muito límpida e perde em suavidade e emoção. Por isso, uso Photoshop, para reduzir o efeito digital. Em segundo lugar, o aspecto mais chato de trabalhar com uma câmera digital é que ela transforma a sessão de fotos em um esforço de colaboração. Toda vez que estou diante de uma cena e tiro uma foto, a imagem aparece projetada em uma tela na sala ao lado, com dez pessoas que observam, julgam e dão palpites... Essa maneira de fotografar destrói completamente a intimidade entre o fotógrafo e o que está sendo fotografado. O que me interessa é a relação com a cena, porque é dessa relação que nascem as belas fotos e o digital impede que esse tipo especial de relacionamento aconteça.

O Calendário 2017, como no 2002, revela o seu amor pelo cinema. Que relação existe entre a fotografia e o cinema?
Está ligada à ideia de ”tempo”, que é muito difícil visualizar em fotografia, mesmo sendo esta uma questão completamente temporal. Porque consegue parar o tempo. Perguntam-me sempre “Por que você não quer fazer filmes?”. E eu respondo que talvez queira, sim, mas não é a minha preocupação principal. Eu acredito que fotografia é tão interessante quanto cinema, porque, com “nada”, você pode tornar visível uma porção de coisas. Você vê alguém atravessando a rua: no cinema, não seria nada, enquanto na fotografia o tempo para em um determinado momento, um momento maravilhoso, estranho, muito profundo e emocionante, que nasce do nada, só porque o tempo parou. Penso ser essa uma característica peculiar da fotografia.

Para realizar o Calendário 2017, você também tirou fotos no polo industrial Pirelli de Settimo Torinese. O que o levou até a fábrica?
Tudo começou quando Marco Tronchetti Provera entrou em contato comigo. “Peter – disse ele – nós somos uma empresa high - tech e gostaria de fazer algo inovador”. A sua ideia era introduzir alguns aspectos tecnológicos no novo Calendário, e eu achei isso muito estimulante. Na verdade, para ser honesto, inicialmente respondi que a ideia não era viável. Mas depois, conversando, seus argumentos eram tão sofisticados e intelectualmente interessantes que eu me vi envolvido. Ele me falou sobre o significado das máquinas para ele e para a história da Pirelli e, a esse ponto, tive a ideia de fotografar no polo industrial Pirelli, com todas as suas implicações, mas realmente muito estimulante. No dia seguinte, parti com o objetivo de analisar o lugar e entender como eu me sentiria. Do ponto de vista da produção, percebi quase imediatamente que seria impossível levar as atrizes para a fábrica e fotografá-las lá. Propus, então, ir eu mesmo fotografar a fábrica, as máquinas, os robôs, tentando estabelecer uma ligação ‘emotiva’ com tudo, fazendo que aquilo parecesse vivo. Eu não tinha certeza de que conseguiria, mas o resultado foi muito gratificante e ainda é, a tal ponto que, no final, decidimos dividir a experiência em duas séries de fotos e usar a série da fábrica para realizar no futuro um projeto autônomo e separado do Calendário. 

Qual é a sua maior fonte de inspiração?
Não tenho áreas específicas que sejam fontes ocultas de criatividade. Tudo o que vejo me inspira, e, mais cedo ou mais tarde, utilizo isso para fazer alguma coisa. Evito ir a desfiles de moda. Prefiro usar o tempo das coleções de outra maneira. Costumo ver as roupas nos ateliês dos amigos, por exemplo, hoje passei o dia com o meu amigo Azzedine Alaïa, com o qual farei um projeto, e ele me mostrou a sua nova coleção, com peças incrivelmente belas. Alguns dias atrás, falando sobre fotografia de moda, alguém me disse que a tarefa da fotografia de moda era mostrar as coleções de roupas. Isso pode ser em parte verdadeiro. Mas eu digo que a fotografia de moda não deve mostrar apenas roupas e ajudar a indústria a vendê-las; deve, sim, ter a liberdade de mostrar a existência de um contexto muito mais amplo, mais amplo do que a própria moda.

Qual é o aspecto mais criativo para você?
Acho que a primeira pergunta é: Onde está a criatividade? E a segunda é: Como você pode aproveitá-la? E depois: Como você pode usá-la? São temas muito fascinantes, para os quais dediquei, no passado, muito tempo. Pensando bem, acho que a criatividade deriva da sua visão do mundo que, de alguma forma, renasce por meio de suas experiências. Muitas pessoas têm criatividade, mas não sabem como acessá-la. Pratico meditação transcendental há quarenta anos e isso me ajudou muito a compreender quem sou e a encontrar o meu caminho interior.  

CALENDÁRIO PIRELLI 2017
Créditos

Nicole Kidman Los Angeles
Alicia Vikander Berlin
Léa Seydoux Londres
Robin Wright New York
Lupita Nyong’o New York
Kate Winslet Londres
Rooney Mara New York
Jessica Chastain New York
Penelope Cruz New York
Zhang Ziyi Los Angeles
Julianne Moore New York
Uma Thurman New York
Helen Mirren Londres
Charlotte Rampling Londres
Anastasia Ignatova Le Touquet, França

--  
Fotógrafo: Peter Lindbergh
Diretor de Arte: Juan Gatti
Assistente de Peter Lindbergh: Stefan Rappo
Cabelo: Odile Gilbert, Vernon Francois (Lupita)
Maquiagem: Stephane Marais, Nick Barose (Lupita), Groomer Pablo (Penelope)
Estilista: Julia Von Boehm
Produtor: 2b Management
Casting: Piergiorgio Del Moro


PETER LINDBERGH Biografia: Conhecido por suas  memoráveis imagens cinematográficas, Peter Lindbergh é considerado um dos fotógrafos contemporâneos mais influentes. Nascido em Lissa (Alemanha), em 1944, ele passou a infância em Duisburgo (Renânia do Norte-Vestfália). Trabalhou como vitrinista para uma loja de departamento local e matriculou-se na Academia de Belas Artes de Berlim, no início de 1960. Ao recordar aqueles anos, Lindbergh diz: “Eu preferia buscar inspiração em Van Gogh, meu ídolo, ao invés de ter que pintar os retratos e as paisagens que ensinavam nas escolas de arte...” Inspirado pelo trabalho do pintor holandês, ele mudou-se para Arles por quase um ano e iniciou, então, uma viagem de carona pela Espanha e pelo norte da África. Mais tarde, estudou pintura na Faculdade de Artes de Krefeld.

Influenciado por Joseph Kosuth e pelo movimento Conceitual, antes de se formar, foi convidado para apresentar seu trabalho na famosa Galeria vanguardista Denise René-Hans Mayer, em 1969. Depois de se mudar para Dusseldorf, em 1971, voltou-se para a fotografia e trabalhou durante dois anos como assistente do fotógrafo alemão Hans Lux, antes de abrir o seu próprio estúdio, em 1973. Ficou conhecido em seu país natal e foi convidado a juntar-se à equipe da revista Stern, que incluía fotógrafos famosos como Helmut Newton, Guy Bourdin e Hans Feurer. Mudou-se então para Paris, em 1978, para continuar sua carreira.

Considerado um pioneiro em fotografia, Lindbergh introduziu uma nova forma de realismo, redefinindo os padrões de beleza com imagens atemporais. Sua abordagem humanista e idealização das mulheres o distingue de outros fotógrafos, já que ele privilegia a alma e a personalidade. Em tempos de excessivos retoques, ele mudou drasticamente os padrões da fotografia de moda, acreditando que há algo que torna uma pessoa interessante além da idade. Ele explica: “Esta deve ser a responsabilidade dos fotógrafos de hoje: libertar as mulheres e toda a gente da mania de juventude e perfeição”. Sua visão singular mostra a pessoa em seu estado puro, “com toda a honestidade”, evitando qualquer estereótipo ao clicar um rosto com quase nenhuma maquiagem, sem disfarce, melhorando a autenticidade e a beleza natural das mulheres que ele fotografa. Lindbergh ofereceu uma nova interpretação das mulheres pós-1980, sem prestar muita atenção ao vestuário, acreditando que, como referiu: “Se você tirar a moda e o artifício, pode ver a pessoa real”.

A jornalista britânica Suzy Menkes ressalta que “recusar-se a se curvar à perfeição é a marca registrada de Peter Lindbergh - suas imagens olham para a alma nua e crua de cada pessoa, por mais familiar ou famosa que seja”. Na moda, Lindbergh foi o primeiro fotógrafo a incluir uma narrativa em suas séries, e sua narração introduziu uma nova visão da fotografia de arte e de moda. Ao longo dos anos, criou imagens que marcaram a história da fotografia, caracterizadas por uma abordagem minimalista aplicada à fotografia pós-modernista. Em 1988, conquistou fama internacional e lançou as carreiras de uma nova geração de modelos que ele descobrira recentemente, mostrando todas vestidas com camisas brancas. Um ano mais tarde, ele fotografou Linda Evangelista, Naomi Campbell, Cindy Crawford, Christy Turlington e Tatjana Patitz, modelos ainda jovens na época, todas juntas pela primeira vez, para a lendária capa da Vogue UK de janeiro de 1990.

O cantor pop George Michael, que lançou o “movimento das Supermodelos”, seguido mais tarde por Gianni Versace, depois de ver a capa da Vogue, inspirou-se nas fotos de Lindbergh para criar o icônico vídeo da sua canção “Freedom '90”, marcando o início da era das modelos celebridade, que redefiniu a imagem da mulher moderna.

Famoso por suas séries narrativas de moda, o trabalho de Lindbergh é mais conhecido por seus retratos simples e reveladores, naturezas mortas e imagens que revelam uma forte influência do cinema alemão e do ambiente industrial de sua infância, dança e cabarés, além de paisagens e espaços exteriores.

A partir do final da década de 1970, Lindbergh passou a trabalhar com as mais famosas grifes e revistas, incluindo as edições internacionais de Vogue, The New Yorker, Rolling Stone, Vanity Fair, Harper's Bazaar US, Revista Wall Street Journal, The Face, Visionaire, Interview e W.

Seu trabalho faz parte de coleções permanentes de muitos museus de belas artes em todo o mundo e tem sido exibido também em museus e galerias de prestígio. Dentre eles, o Victoria & Albert Museum (Londres), o Centre Pompidou (Paris), e individuais no Hamburgerbanhof (Berlim), no Bunkamura Museum of Art (Tóquio) e no Pushkin Museum of Fine Arts (Moscou), além da recente exposição “A Different History of Fashion”, no Kunsthal de Roterdã, projetado por Rem Koolhaas (Setembro 2016).

Lindbergh dirigiu uma série de filmes e documentários que foram aclamados pela crítica: Models, The Film (1991); Inner Voices (1999) que ganhou o prêmio de Melhor Documentário no Toronto International Film Festival (TIFF), em 2000; Pina Bausch, Der Fensterputzer (2001) e Everywhere at Once (2007), narrado por Jeanne Moreau e apresentado nos festivais de Cannes e Tribeca. Lindbergh é representado pela Gagosian Gallery e pela 2b Management. Atualmente vive entre Paris, Arles e Nova York. 

Blogger Tricks

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Festas: As idéias da Cecilia Dale para a decoração da mesa.

Olá!! Mais um ano se passa e logo nos aproximamos do momento de festejar com aqueles que amamos. Um tempo de relembrar memórias e reviver bons períodos. Época de receber as pessoas mais queridas em nossos lares. Como todo ano, agora começamos a nos inspirar com a decoração da árvore, a mesa e os detalhes que deixarão esta noite tão especial inesquecível. 

E o primeiro post aqui do blog é de colaboração da Cecilia Dale, marca que é nossa queridinha por aqui. No post temos três temas, o Classic que tem uma mistura de vermelho e dourado, que é bem tradicional; o Wish que é uma muito charmosa, com idéias maravilhosas, que vão do guardanapo com detalhe em luz de led ao marcador de lugar com porta-retratos  e que é perfeita também para o Reveillon; e, para finalizar, a Candy, que vai ser sucesso com as crianças por ter ursinhos, balas, e muita fofura!!


Para todas as ocasiões, das mais divertidas às mais clássicas, do luxo ao básico, a Cecilia Dale traz especialmente suas novas coleções. Abaixo apresentamos alguns modelos de decorações pensadas especialmente para os mais diversos estilos de mesas para as festas deste fim de ano!



CLASSIC: A coleção em vermelho e dourado que apresenta a proposta de celebrar uma atmosfera mágica das grandes festas tradicionais. Tudo com muito glitter, lantejoulas, paetês, sem deixar de seguir a paleta de cores terrosas que dão um ar de nostalgia. Papai Noel, mini enfeites de presentinhos, arranjos florais metalizados e fitas repletas de detalhes que são indispensáveis para a montagem da clássica mesa de Natal.

WISH: Representa os desejos de paz, amor e prosperidade para o ano. O final do ano é época não só de trocar presentes, mas de desejar coisas boas para a família, os amigos e o mundo. Tempo de renovar as esperanças e mandar energias positivas para o ano que vem chegando. A aposta nas peças que apresentam brilho em tons de dourado, champanhe e feitas em cristal, tudo com muita sofisticação, leveza e elegância.


A cor desse coleção é champanhe. Mais chique que o dourado e mais quente que o prateado, essa cor combina com o final do ano e permite que a decoração da árvore e da ceia fiquem montadas já para o Reveillon. Veja os detalhes da mesa.



Para dar um ar luminoso ao lugares à mesa, a argola porta-guardanapos envolta com um cordão de mini luzes de led. Super fino e movido a pilhas, ele pode ser colocado em qualquer enfeite, como centros de mesa, guirlandas… Aqui o compartimento com as pilhas fica escondido sob o guardanapo. Uma vela de baunilha, no copo grande dourado, dá uma aroma delicioso à festa. O sousplat dourado fosco entra nos tons de decoração. 



Uma idéia ótima como marcador de lugar: Perto de cada prato, um mini-porta retratos com o nome do cada convidado ou com um desejo para o ano que vem: paz, saúde, amor… As bombonieres de cristal se trasformam em luminárias, com um cordão de led a pilha dentro, remetendo a pequenos vagalumes. Os copos estampados dourados servem de porta-velas do tipo tealight, em led, colaborando para o clima mágico. Taças de cristal completando esta mesa charmosa. O centro de mesa ganha luzinhas, entremeadas nos ramos e flores.


Em um canto da mesa, sobre um prato de cristal, o arranjo mistura bolas de Natal champanhe, iguais às da árvore, com bolas transparentes iluminadas por dentro, em um efeito lindo.


CANDY: Uma coleção literalmente doce: tanto pelos enfeites de gostosuras, quanto pelo toque lúdico que traz. Ursos confeiteiros, balas típicas do Natal e pirulitos. Aqui prevalecem as cores vermelho e branco, tudo com muito brilho assim como o açúcar de verdade. Uma mesa linda, e boa idéia para encantar as crianças.


Pirulitos alegram o prato e servem de lembrancinha da festa. As bolinhas do jogo de jantar em cerâmica branca se repetem no sousplat Dots e no mini prato de vidro Poas.




Na Coleção Candy, são ursos confeiteiros que preparam e distribuem balas e docinhos típicos do Natal. Bengalinhas de menta, pirulitos, cupcakes e outras gostosuras enfeitam da árvore à mesa da ceia.


Detalhes fofos: Protagonistas da história, os ursos confeiteiros aparecem em vários detalhes da decoração. Esse é um mini-enfeite de árvore, que fica sentado no porta-guardanapo de cordão de algodão vermelho. E um vasinho no qual, em vez de flores, brotam doces, encantando as crianças. 


sexta-feira, 11 de novembro de 2016

As atrações da 25ª Biennale Interieur.

Por Vera Santiago, coach da Agência de Design

@agenciadedesign

A Biennale Interieur, na cidade de Kortrijk (Bélgica), é uma organização sem fins lucrativos, que atua no campo do design, desenvolvimento de produtos e inovação. Aconteceu pela primeira vez em 1968 e celebrou sua 25ª Bienal no fim de outubro de 2016. É uma aposta constante na singularidade das criações e vêm aumentando seu número de visitantes a cada ano, além do volume de negócios e de marcas de design de renome mundial.

A ideia é incentivar um amplo debate público com o intuito de levar à disciplina do design contribuindo para um mundo melhor. Ao contrário de outras feiras, a Biennale Interieur deseja continuar investindo num status de uma instituição sem fins lucrativos.

Chegar a Kortrijk, a partir de Bruxelas, não foi difícil. Os trens têm horários variados e constantes e já estando em Kortrijk, em poucos minutos um stuttle nos leva direto para o pavilhão XPO, onde está o ponto central da Bienal.


Tudo funcionando com calma e ordem. O volume de visitantes é na medida certa para a estrutura. E se inverter a ordem da frase, seguramente altero o resultado e a conclusão, assim valorizando a capacidade dos belgas em organizar, planejar e saber receber. Os belgas são realmente bons nisso!

Kortrijk é uma cidade pequena, mas o fácil acesso por trem ou carro permite a presença de muitos visitantes num evento que tem duração de 10 dias.

A feira tem curadoria cuidadosa de um time com Kersten Geers Van Severen, Richard Venlet & Joris Kritis, que juntos elegem e homenageiam um designer a cada edição. Nomes como, Jasper Morrison e Jean Novel já foram destacados em outros anos. Em 2016 foi a vez do belga Vincent Van Duysen, arquiteto e designer com produtos colocados no mercado e fabricados por grandes marcas italianas, incluindo FLOS, BeB e Poliform.

Muitos eram os espaços destinados a projetos conceituais, uso de diferentes materiais ou materiais com aplicações inusitadas. Restaurantes, bares e exposições foram incluídos na ambientação dos halls possibilitando a interação entre visitantes e criando um ritmo surpreendente. Corredores largos permitindo muita visibilidade do conjunto. Também é impossível não ressaltar o belo pavilhão, climatizado e amplo, com vários banheiros bem instalados. 

Eis as atrações que mais chamaram a atenção:

Bar Terra: um balcão em torno de um canteiro de cogumelos, na intenção de criar uma relação entre o visitante e a forma mais primitiva de vida. A luz calma e amarelada focando o centro da imensa mesa de cogumelos leva à reflexão sobre o estágio em que vivemos agora, sobre a complexidade da forma em que vivemos hoje. Projeto de Carolien Pasmans, Bran Aerts e Claudio Saccucci de Stedenbouw, da Bélgica.


Restaurante Nose: nesse restaurante japonês nada poderia tirar o foco do alimento, com sua cor, sabor e, sobretudo, aroma. Projeto simples, limpo com materiais baratos, como espumas e compensado, além de uma enorme mesa de uso coletivo cercada por cadeiras finlandesas do ilustre Alvar Aalto. Projeto de Mayu Takasuci (Tóquio) e Johannes Berry (Cape Town), da Bélgica.


As exposições, montadas entre os stands dos expositores, também despertaram a curiosidade e estimularam a imaginação dos visitantes.


Generation: enfim, uma citação ao design brasileiro. Os Irmãos Campana marcaram presença com a peça Cabana Cabinet. Planejada pela curadoria da feira, com uma montagem simples, mas bastante colorida, essa mostra reuniu diversas peças para contar sobre o período de 5 anos da história do design. Foi possível conhecer como os móveis usados para guardar e organizar coisas foram concebidos ao longo desses anos.


Etage Projects: essa galeria de Copenhagen organizou uma exibição mostrando peças de Michael Marriot, Peter Marigold e Frederick Paulsen a fim de explorar as fronteiras entre cultura, arte e design. Quase como uma brincadeira, a ideia era despertar pensamentos. Também tinha uma montagem simples num pequeno espaço bem iluminado.


Circus: uma grande instalação. Aqui, tudo mais elaborado e sofisticado. Tratou-se de uma tenda de circo, clara, branca, criando contexto para apresentação de produtos das marcas Alessi, Duravit , Taor , Niko , Quick Step , King George , Dekton , De Morgen e Moooi. Continha um bar central rodeado por áreas expositivas das marcas. Espaços conceituais, alegres e divertidos.


Room for a day bed: espaço quase monocromático com luz difusa e suave. Haviam tecidos de lã usados juntamente com peças de metal, além da leveza do cinza, marcado pelo uso de concreto. Destaque para o contraponto no pendente de luz branca, como se fosse uma lua branca iluminando o espaço cinza. Projeto de Johnston Marklee e Jonathan Olivares, dos Estados Unidos.


Abaixo, projeto de Nestor e Rotsen, empresa belga e o Nose, um projeto minimalista:



IDZ: A cidade de Berlin também marcou forte presença com os expositores organizados pelo IDZ Internacional Design Center Berlin. Eles estavam reunidos formando um conjunto interessante, com propostas inovadoras e que com certeza despertam nossa imaginação. O que vi me reafirma que a cidade de Berlin é um polo de produção de criatividade, com gente de ideias leves e desempoeiradas.

A partir de agora, confesso, já estou ansiosa para a próxima bienal de Kortrijk. Já sei o caminho e quero voltar com direito, é claro, a muito chocolate e cervejas belgas! 

Saiba mais em https://interieur.be/.

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Para as Noivas e quem adora uma boa Festa: A Feira Lechaim Festas acontece no próximo domingo.

A 4 ° edição da FEIRA “LECHAIM FESTAS”,a feira com cara de festa é dia 6 de novembro 2016, no próximo domingo, no TRAFFÔ, a Rua Gomes de Carvalho 560, Vila Olímpia SP Após o sucesso das 3 edições anteriores realizadas em 2015 e 2016 da Feira Lechaim Festas, as sócias Deborah Vaidergorn e Juliana Tanenbaum realizam a 4 ª edição desta feira única, que reúne os mais renomados fornecedores das diversas áreas, apresentando as novidades da gastronomia kosher. Em um só lugar você encontra itens para todas as festas, além de conhecer um pouco das tradições e cultura judaica. 



Esta edição também terá caráter beneficente, sendo que a venda dos convites será totalmente revertida à AMEM- Associação para o Menor para o Esporte Maior, capitaneada pelo casal Bete e Marcos Arbaitman. A Feira Lechaim Festas, conta também com o apoio do Consulado Geral de Israel! Festas maravilhosas!! Assim a comunidade judaica é conhecida por realizar as famosas e badaladas festas, sempre com muita alegria e bom gosto! Uma comunidade que gosta de brindar os bons momentos, comemorar as datas especiais e dar continuidade às tradições de nossas famílias, sejam elas vindas da Europa ou do Ocidente. 

A "LECHAIM FESTAS" nasceu da necessidade de reunir, em um único local fornecedores com todo tipo de produto voltado a noivados, casamentos, brit milá, bar e bat mitzva e eventos sociais ligados à comunidade judaica, facilitando assim o trabalho de todos na hora de contratar os produtos e serviços para suas festas. As edições anteriores foram realizadas no charmoso Patio Duo e na tradicional sede do Iate Clube de Santos em Higienópolis. Agora a Feira Lechaim Festas estará num ambiente moderno e contemporâneo, o TRAFFÔ , na Vila Olímpia. Visite nosso site e veja as fotos da 1a edição: www.lechaimfestas.com.br.

O principal objetivo é aproximar fornecedores e clientes, criando um ambiente em que os fornecedores possam apresentar seu trabalho, mostrar seus diferenciais, elaborar propostas e prestar todos os esclarecimentos aos clientes. O evento prevê reunir cerca de 700 convidados em um único local, no dia 6 de novembro de 2016, domingo, das 11h até 20 h, no belo e moderno espaço TRAFFÔ, localizado a Rua Gomes de Carvalho 560. Teremos a presença de vários expositores, em torno de 50, com diversos itens para festas e ainda contaremos com diversas atrações, como apresentações musicais, moda festa e degustações em geral Em sua 4ª edição, a FEIRA “LECHAIM FESTAS” promete o melhor do melhor. 

A dupla de assessoras está trabalhando para fazer deste, um evento inesquecível, garantindo assim sucesso de negócios para os expositores e satisfação para os visitantes. O Studio fotográfico Ricardo Hara estará apresentando uma linda exposição fotográfica, realizada em Israel, com suas conhecidas comidas de rua, turismo,costumes e tradições, captadas sob a lente experiente do profissional. Na ocasião, haverá o charmoso “ Lechaim ́s Café by Ghee Banqueteria”,um point para bate papo e um gostoso cafezinho! Acredite, isso fará a diferença para você que trabalha com eventos sociais e corporativos! Deborah e Juliana sabem o quanto é importante reunir fornecedores do mais alto padrão, proporcionando facilitar soluções para festas. Este evento é organizado por quem entende e vivencia a muitos anos o importante trabalho em reunir com sabedoria e competência as mais variadas datas a comemorar . O que elas tem em comum? As profissionais desenvolveram uma grande paixão por tudo que envolve festas!! 

Serviço: LECHAIM FESTAS - TRAFFÔ
R Gomes de Carvalho 560 Vila Olímpia
Dia 6 de novembro de 2016/domingo Das 11h às 20h 
Convites R$36 em prol de entidade venda antecipadamente ou na hora www.lechaimfestas.com.br/insta: @lechaimfestas

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Para os apaixonados por moda e música: A Miu Miu criou um aplicativo.

Olá!! Quem gosta de música? Para quem adora ouvir música, e ainda tem aquele amor por moda (quem não gosta né?) a Miu Miu acabou de lançar um aplicativo. O Miu Miusic 2.0 é um aplicativo de vídeo personalizado fashion super criativo, com novas músicas, obras de arte originais e as últimas novidades da marca Miu Miu, bem como uma novidade que lhe permite personalizar seu vídeo de acordo com o seu estado de espírito.


Selecione uma categoria que se sincronize com o que você está sentindo e escolha entre cinco faixas de música correspondentes. Faça sua escolha de elementos visuais, texturas inspiradas na coleção outono/ inverno 2016 e clipes. Nenhum vídeo será o mesmo. Com gráficos sobrepostos com sua música escolhida, o Miu Miusic 2.0 cria um arquivo de 20 segundos de vídeo em sintonia com o seu humor, para que você possa salvar e compartilhar.

São vinte músicas disponíveis, originalmente compostas por Frédéric Sanchez, juntamente com uma seleção dos melhores artistas emergentes do mundo.O aplicativo funciona em aparelhos com sistema iOS, android e windows.

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

5 países fora dos roteiros tradicionais para se conhecer de carro.

Olá!! Hoje é dia de post de colaboração aqui no blog!! Quem já pensou naquela viagem dos sonhos, com lugares de tirar o fôlego? A Rentcars.com, especialista em locação de automóveis, dá as dicas. Se você é fascinado por viagens e adora colecionar carimbos no passaporte, certamente se interessará – e muito – por essas dicas da Rentcars.com. Disponível para reservas em mais de 125 países, a agência de viagens online (OTA) especializada em locação de veículos listou 5 países fora dos roteiros tradicionais de viagem para inspirar sua próxima aventura ao redor do globo. Escolha o destino, alugue um carro no site da empresa e embarque nessa viagem com a Rentcars.com.


Croácia: Com praias de fazer inveja a qualquer destino caribenho, a Croácia, que até pouco tempo fez parte da antiga Iugoslávia, na Europa, chama a atenção pela sua rica herança cultural, que pode ser vista e sentida em um simples passeio pelas ruas da capital, Zagreb, ou até mesmo nos diversos museus espalhados pela cidade. A tonalidade quase que cristalina do Mar Adriático, que banha toda a costa croata, também chama a atenção. É, inclusive, um dos motivos que fazem da Croácia um dos hits europeus. Experimente alugar um carro em Zagreb e partir rumo ao sul do país, onde se situam as belas cidades de Split e Dubrovnik, cenário de gravação da saga Game Of Thrones, sucesso do canal HBO. 


Filipinas: Pouco conhecida entre os brasileiros, a República das Filipinas, ou Filipinas, é um simpático arquipélago de 7 mil ilhas situado no sudeste asiático. Com clima tropical, o país se destaca pelas belezas naturais. Surf e mergulho são atividades bastante comuns nas Filipinas. Se você gosta de surfar, não deixe de visitar a ilha Siargao, no sudeste do país. Na capital, Manila, alugue um carro com a Rentcars.com e reserve um tempinho para visitar o Vulcão Taal, que fica a apenas 50km da cidade.  


Madagascar: Banhada pelo Oceano Índico, a exótica ilha de Madagascar é um verdadeiro paraíso para os apaixonados pela biodiversidade, já que 90% das espécies de vegetais e 80% das espécies animais são nativas da região, como o famoso lêmure. O melhor lugar para ter contato com esses simpáticos bichinhos é a Ilha dos Lêmures, em uma das 47 reservas florestais espalhadas pela ilha de Madagascar. O local fica a apenas 3 horas de carro da capital, Antananarivo. O local também oferece lindas praias, como a Mar de Esmeralda, que faz jus ao nome.


Jamaica: Eleita como a melhor ilha do Caribe em 2016 pelo TripAdvisor, a terra do reggae esbanja beleza e tranquilidade em suas límpidas e exuberantes praias, que encantam pela tonalidade azul turquesa do mar. A cidade de Ocho Rios, que fica a apenas duas horas de carro da capital Kingston, é uma excelente opção para base principal da viagem, já que oferece fácil acesso a diversas regiões, como Port Antonio, Montego Bay e Negril. Se você é fã da franquia 007, não deixe de visitar a James Bond Beach, praia que serviu de inspiração para Ian Fleming escrever 14 romances do famoso agente secreto britânico. Antes de partir, não deixe de dar uma passadinha no museu dedicado a Bob Marley, em Kingston. O local é quase que uma parada obrigatória. 


Polinésia Francesa: Afastado de tudo e de todos, este encantador arquipélago de 118 ilhas situado no Pacífico Sul é o representante da Oceania nesta lista. Próximo da Nova Zelândia, o país encanta pelo ar paradisíaco. Suas lindas e exuberantes praias de areia branquinha contrastam com as múltiplas tonalidades de azul do mar, que além de deslumbrante, é bastante propício para a prática de surf, mergulho e outras atividades aquáticas. O destino, inclusive, é muito procurado por apaixonados em lua de mel, que anseiam pela tranquilidade das ilhotas formadas por corais em Bora Bora. No Tahiti, principal porta de entrada para os turistas que vistam o país, não deixe de alugar um carro e circular pelas simpáticas ruas da cidade. O Museu da Pérola é uma ótima sugestão de passeio, já que é um dos únicos do gênero no mundo.

Sobre a Rentcars.com – Criada em 2009, a Rentcars.com é a maior OTA (Online Travel Agency) do Brasil especializada em locações de veículos, cuja proposta é oferecer aos seus clientes e parceiros os melhores serviços online. Além do seu portal, a Rentcars.com também conta aplicativos para Android e iPhone e uma Central de Reservas própria com profissionais qualificados para atendimento ao cliente. A Rentcars.com realiza reservas em mais de 125 países e possui integração com mais de 100 locadoras do Brasil e do mundo. A empresa é referência em tecnologia e inovação, sempre proporcionando aos seus clientes as melhores opções, comodidade e a garantia do melhor preço. Mais informações e reservas em www.rentcars.com ou pelo telefone 4003-RENT (7368).