sábado, 2 de junho de 2012

Espaço de Camila Rosa e Juliana Valias.

Hoje vou falar de um espaço que adorei, de duas arquitetas estreando na Casa Cor, e que mostraram bem através do ambiente o porquê estavam lá.

Elas criaram o Lounge Boutique Hotel (Casa Hotel).


As arquitetas criaram em um espaço de 75 m2 um ambiente com a proposta de trazer à decoração elementos da moda atual como os tons em azul klein, além de reproduções étnicas em tecidos em referência às linhas da Versace.

Créditos de Imagem: O Basiquinho do Dia.
Créditos de Imagem: O Basiquinho do Dia.


Para dar boas vindas: uma mesa talhada em peça única de madeira de eucalipto 



Ao fundo uma parede sustentável, com um jardim vertical de samambaias.


Pastilhas da parede feitas com materiais reciclados.

A mesa em peça única de madeira de eucalipto reaproveitada foi assinada por João Paulo Scigliano.

A mostra traz este ano o tema “Moda. Estilo. Tecnologia.”, que retrata a influência da moda nas tendências de decoração, além de reforçar a questão sustentabilidade. Esta parede, dentre outros materiais que gostei são de uma empresa chamada Lepri. 

Seus produtos são fabricados a partir de vidros de lâmpadas fluorescentes e telas de TVs e monitores de computadores, além de reutilizar a própria cerâmica, incorporando-a na massa do produto, junto com outros materiais. 

Outros produtos da marca utilizados foram o lançamento Gradini Nero Luxo Metal nas paredes, que mescla peças rústicas e acabamento metalizado, e o Brick White, inspirado nos tijolos ingleses, no interior da lareira. 

“Escolhi a Lepri, pois estava a procura de um produto sofisticado, mas que fugisse do convencional, como o mármore, e que houvesse um conceito - por isso o fator ecológico foi tão importante. A Lepri também atendeu à decoração do Lounge, pois mistura o rústico com o clássico”, revela a dupla.


Créditos de Imagem: O Basiquinho do Dia.


Sobre o tecido étnico utilizado nas almofadas e na manta do espaço o nome é Ikat, cuja origem vem do malaio e significa "para ligar ou enrolar".



Este tecido ganhou fama no século XIX, quando os melhores exemplos da Ásia Central foram usados ​​como uma forma de moeda na Rota da Seda (uma rota de comércio em toda a Ásia que ligava a Europa para todos os povos e culturas entre Turquia e China). 


O "ikat" viajou de cobertura dos comboios de camelos e foram negociados para todo o tipo de mercadoria. Tiras de tecido Ikat eram usadas ​​para fazer roupas para líderes tribais, adornavam os cavalos premiados e penduravam em palácios.





Outro detalhe: estes quadros são de um artista plástico carioca chamado Rudi Sgarbi, que também esteve presente em vários outros ambientes da Mostra.

Créditos de Imagem: O Basiquinho do Dia.
Lindo este espaço. Fizeram um belo trabalho!!

Gostaram? Adoreii fazer este post!!!!!

Bjos,

    2 comentários:

    1. Parabéns pelo post, Lais.
      O ambiente ficou realmente lindo, tão quanto o blog.
      Sucesso!
      Bjs.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi Diene.
        Tudo bem? Obrigada pela visita e pelo elogio. O ambiente delas é realmente muito lindo.

        Excluir

    Obrigada pelo comentário. Bjs.