segunda-feira, 9 de julho de 2012

Moda e Arte.

Esses dias falei muito sobre as referências da moda em decoração aqui no blog, mas não falei de outra combinação que sempre deu certo: arte e moda. 

Estou com este tema para um post desde quando publiquei aquele falando de uma coleção da Bottega Veneta (qua para quem ainda não sabe está com uma loja bem legal no Shopping JK). 

Para quem quiser relembrar:

Aí, como uma surpreendente coincidência acabei encontrando um livro aqui que falava exatamente disto em um de seus tópicos. Não tive dúvidas...resolvi completar o post e aqui está ele.


A arte é uma forma do ser humano expressar suas emoções, sua cultura, sua história através de valores estéticos, como beleza, harmonia, equilíbrio. Podendo ser representada de várias formas, sendo elas a música, esculturas, pintura, cinema, dança, entre outras.



Moda é um sistema que acompanha o vestuário e o tempo, que integra o simples uso das roupas no dia-a-dia a um contexto maior, político, social, sociológico. 



E ela está ligada com o mundo, envolvendo tudo, desde a fotografia, cinema, música, expressando a postura e as idéias de uma época.

Para provar tal ligação, algumas coleções inspiradas em artes:

Piet Mondrian e Yves Saint Laurent - 1965.



Piet Mondrian foi um pintor holandês que levou a arte abstrata às últimas conseqüências. Através de uma simplificação, tanto na composição como no colorido, tentava expor os princípios que estão por baixo da aparência.

Defendia a idéia de que a arte não deveria limitar-se a reprodução de imagens de objetos reais, mas expressar unicamente o universal e o absoluto oculto atrás da realidade.Trabalhava somente com as cores primárias (amarelo, azul e vermelho).

Sua crença de que uma superfície plana só deveria conter elementos planos, implicava na eliminação de qualquer linha curva, utilizando, assim, ângulos retos.


A aplicação de suas teorias conduziu Mondrian a realizar obras como Composição em vermelho, amarelo e azul (1921), na qual a pintura, composta unicamente por algumas linhas e blocos de cores bem equilibrados, cria um efeito monumental apesar da escassez de meios, propositalmente limitados, que emprega.


Monet e Kriemler - 2009:

Trabalhava de forma harmônica as cores e luzes, criando imagens belas e fortes.


Esher e McQueen - 2009:

Escher ficou mundialmente famoso por representar construções impossíveis, preenchimento regular do plano, explorações do infinito e as metamorfoses - padrões geométricos entrecruzados que se transformam gradualmente para formas completamente diferentes.

Uma das principais contribuições da obra deste artista está em sua capacidade de gerar imagens com impressionantes efeitos de ilusões de óptica, com qualidade técnica e estética.


Bottega Veneta - Giovani Battista Tiepolo e Paolo Veronese - Coleção Resort 2012-2013.

A Bottega Veneta este ano também se inspirou em arte, como já disse anteriormente e abaixo estão afrescos de seus artistas inspiradores, Tiepolo e Veronese trabalhada em tons de amarelo, pêssego, hortelã e verde. 

Afresco "Storie di Scipione", Tiepolo. Milão, Palazzo Casati Dugnani, Século XVIII.
Quadro Aparição do Anjo à Sara.

Quadro Bodas de Canã.



Giovanni Battista Tiepolo foi um grande pintor italiano, do século XVIII, autor de pinturas famosas como "A aparição do Anjo à Sara". Seus quadros eram marcados por uma paleta de cores frias.

Paolo Veronese foi um pintor da Renascença italiana. Fez a pintura na igreja veneziana de Nossa Senhora dos Órfãos, onde representou figuras dos apóstolos, usando de forte claro-escuro e tons escuros.

Veronese tinha especial interesse pela arquitetura, mostrada em quadros como "Bodas de Caná" exposto no Museu do Louvre. 

E se pesquisarmos mais ainda temos alguns outros exemplos, como Louis Vuitton e o artista plástico Murakami, com as bolsas em monogramas coloridos de 2003.

Gostaram?

Bjos,

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário. Bjs.