sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Começa hoje a 30ª Bienal de São Paulo.

Para quem gosta de arte, hoje começa a 30ª Bienal, com diversos eventos espalhados pela cidade, basta escolher o seu preferido e ir até lá, ou ir em todos. Como dizia vovó..."conhecimento é algo que não faz mal nenhum". Vamos lá então meninas!!!!

www.30bienal.org.br

Além da exposição principal no Pavilhão Ciccillo Matarazzo, no Parque Ibirapuera, a 30ª Bienal de São Paulo - A iminência das poéticas também estará presente no Museu da Cidade (Casa Modernista, Casa do Bandeirante e Capela do Morumbi), no MASP, no Museu de Arte Brasileira da FAAP (Mab-Faap), no Instituto Tomie Ohtake, e em intervenções pela cidade, como na Avenida Paulista e na Estação da Luz, assim como em diversas obras e eventos nas ruas de São Paulo, com a participação, inclusive de renomados artistas internacionais.

Estou listando abaixo alguns deles, com seus respectivos endereços:

Casa do Bandeirante
Hugo Canoilas
Praça Monteiro Lobato, s/n., Butantã, São Paulo.
T: (11) 3031 0920
www.museudacidade.sp.gov.br/casadobandeirante.php
ter-dom: 9h-17h.

Exemplo de arquitetura colonial e museu histórico dos exploradores portugueses, a casa sedia a obra do artista Hugo Canoilas. O artista apresenta sua pesquisa sobre vestígios das explorações dos bandeirantes que ocorreram entre os séculos 16 e 18. Em julho de 2012, Canoilas realizou três viagens ao interior do Estado de São Paulo e visitou comunidades ao longo do rio Tietê, tratando de descrever a realidade deste percurso hoje e as cidades que foram desenvolvidas pelos bandeirantes (Santana do Parnaíba, Pirapora do Bom Jesus, Itu, Salto e Tietê). Vídeos sobre as intervenções feitas nas viagens, pinturas de Canoilas e objetos coletados são os elementos que compõem a exposição.

Casa Modernista
Sergei Tcherepnin com Ei Arakawa
Rua Santa Cruz, 325, Vila Mariana, São Paulo.
T: (11) 5083 3232
www.museudacidade.sp.gov.br/casamodernista.php
ter-dom: 9h-17h.

Considerada o primeiro edifício modernista no Brasil, construída em 1928, a Casa Modernista recebe obras feitas em parceria entre o norte-americano Sergei Tcherepnin e o japonês Ei Arakawa. Trata-se de uma série de esculturas sonoras que investigam a percepção tonal em ambientes criados para explorar a escuta. Os visitantes da Casa Modernista são incentivados a “manusear” as esculturas com a ajuda de um orientador. Uma performance dos dois também será realizada como parte da obra.

Capela do Morumbi
Maryanne Amacher
Avenida Morumbi, 5.387, Morumbi, São Paulo.
T: (11) 3772 4301
www.museudacidade.sp.gov.br/capeladomorumbi.php
ter-dom: 9h-17h.

A capela de 1825, hoje transformada em espaço de exposição dedicado a arte contemporânea, é o ambiente para o trabalho da artista sonora Maryanne Amacher (1938 - 2009). Formada em música, Amacher foi conhecida durante os anos 1960 por seu pensamento original e obras que necessitavam de edifícios inteiros e formas radicais de ouvir para acontecerem. Os artistas Micah Silver e Robert The enfrentam o desafio arquitetônico da antiga capela para apresentar uma seleção audiovisual dos modelos criados por Amacher.

MASP – Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand
Benet Rossell
Jutta Koether
Avenida Paulista, 1.578, Bela Vista, São Paulo.
T: (11) 3251 5644
masp.art.br
ter-dom: 11h-18h (bilheteria até as 17h30); qui:11h-20h (bilheteria até as 17h30).

No MASP, dois artistas da 30ª Bienal interferem em Deuses Madonnas – A arte do sagrado, mostra promovida pelo museu. A artista alemã Jutta Koether apresenta três pinturas que visitam as fases do recente restauro da obra Himeneu Travestido Assistindo a uma Dança em Honra a Príapo (1634-1638), do pintor francês do século 17 Nicolas Poussin. A releitura de Koether é apresentada junto a Cerimonials (1974), filme do artista espanhol Benet Rossell, que documenta uma série de procissões, festas e rituais, estabelecendo uma contrapartida psicodélica para a mitologia grega traduzida na pintura de Poussin.

Museu de Arte Brasileira da FAAP
José Arnaud Bello
Robert Smithson
Xu Bing
Rua Alagoas, 903, Higienópolis, São Paulo.
T: (11) 3662 7198
www.faap.br/museu
ter-sex: 10h-20h; sáb, dom, feriados: 13h-17h, fechado às segundas, inclusive quando feriado.

Além das obras de José Arnaud-Bello, uma retrospectiva dos trabalhos em landart do norte-americano Robert Smithson é exibida nos filmes Spiral Jetty, Monoleik e Swamp. O artista chinês Xu Bing recria dois de seus mais famosos projetos: Forest Project, que liga arte e educação para arrecadar fundos destinados ao plantio de árvores, e Book From the Ground, um romance escrito inteiramente em linguagem de ícones universais, a serem expostos em vitrines e computadores equipados para tradução pelos visitantes.

Instituto Tomie Ohtake
Bruno Munari
Av. Brigadeiro Faria Lima, 201, entrada pela R.Coropés, Pinheiros, São Paulo.
T: (11) 2245 1900
www.institutotomieohtake.org.br
3 de outubro - 18 novembro. 
Ter-dom: 11h-20h.

No espaço expositivo, um panorama da obra do artista italiano Bruno Munari proporciona uma imersão completa no vigor criativo de um dos mais importantes designers italianos do século 20. São dezenas de objetos de design, colagens e livros feitos pelo artista entre as décadas de 1920 e 1990.

Avenida Paulista
Alexandre Navarro Moreira
Ao longo da avenida, em displays de bancas de jornal.

Uma intervenção do artista brasileiro Alexandre Navarro Moreira em displays dispostos em bancas de jornal ocupam a região da avenida mais famosa de São Paulo. São os cartazes de Apócrifo, projeto desenvolvido pelo artista nas ruas desde 2001, com retratos que exibem rostos humanos que se mesclam aos ruídos da cidade.

Estação da Luz (Passarela Central)
Charlotte Posenenske
Estação Luz
Fechada das 0h às 5h.

A estação ferroviária mais movimentada de São Paulo abriga a remontagem de uma escultura minimalista da alemã Charlotte Posenenske: Square Tubes (1967). Usando materiais produzidos industrialmente, a artista era conhecida por expôr seus trabalhos em centros de tráfego, estações de trem ou aeroportos.

Trajeto por São Paulo
Leandro Tartaglia
Viagem pela cidade de São Paulo, com saídas diárias do Pavilhão da Bienal.

Na obra do argentino Leandro Tartaglia, um veículo parte do Parque Ibirapuera destino à Capela do Morumbi, para visitar a obra da artista Maryanne Amacher, também participante da 30ª Bienal de São Paulo. O artista estará acompanhado por visitantes da exposição que quiserem participar da obra e que, durante o trajeto de ida e volta, usarão fones de ouvido para ouvir um teatro sonoro narrado por pessoas de diferentes nacionalidades. A duração aproximada da viagem ida-e-volta é de 60 minutos.

30ª Bienal de São Paulo - A iminência das poéticas
7 de setembro a 9 de dezembro de 2012
Local: Pavilhão Ciccillo Matarazzo, Parque Ibirapuera, São Paulo

Curador: Luis Pérez-Oramas
Curadores associados: André Severo e Tobi Maier
Curadora assistente: Isabela Villanueva

Os ingressos para a mostra são gratuitos.
Horários de funcionamento:
Segundas: fechado
Terças, quintas, sábados e domingos: visitas das 9h às 19h (entrada até as 18h)
Quartas e sextas: visitas das 9h às 22h (entrada até as 21h)
As informações relativas à 30ª Bienal de São Paulo podem ser encontradas no site www.30bienal.org.br , assim como nos seus perfis no Facebook (Facebook/BienalSP) e Twitter (@BienalSaoPaulo).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário. Bjs.