terça-feira, 9 de outubro de 2012

Casa Cor Rio de Janeiro 2012.

Muitas novidades sobre a Casa Cor Rio de Janeiro 2012, tanto que estas serão publicadas em duas partes pois a quantidade de informações e curiosidades sobre o evento é grande. 

Evento que merece muito ser visitado, pois está simplesmente maravilhoso!! Os ambientes são lindos, com tantos detalhes que merecem ser vistos bem de perto.

A Casa Cor Rio 2012 começou no dia 3 de outubro e irá até 19 de novembro, dia marcado para o Special Sale, com a venda de muitos dos móveis e acessórios expostos no evento (com descontos à partir de 30%). 

A 22ª edição, que acontece no Hotel Balneário Sete de Setembro (prédio de 1922), a Casa Cor Rio antecipa uma nova forma de morar e viver, cada vez mais comum nas grandes cidades: os prédios mistos, que reúnem em um mesmo empreendimento apartamentos de diferentes tamanhos, estúdios, lofts, escritórios, lojas, salas de jogos e multimídia, academia, beauty center, livraria, restaurantes, cafés, bares e até um hotel.



 “Apontado como uma das soluções para o planejamento urbano de grandes metrópoles, este tipo de condomínio, que em breve chega ao Rio, tem entre tantas vantagens a redução não apenas do stress de deslocamento entre casa, trabalho e lazer, mas também a diminuição do trânsito e da poluição que tomam conta das ruas”, conta Patrícia Mayer, uma das sócias da 3Plus, organizadora do evento.

O evento deste ano ocupa um prédio emblemático da Avenida Rui Barbosa, onde funcionou o Hotel Sete de Setembro, o Internato da Escola de Enfermagem Anna Nery e a Casa do Estudante Universitário (CEU).

A edição reúne cerca de 80 arquitetos, decoradores e paisagistas, que vão criar 52 ambientes numa edificação com mais de 4 mil m² de área construída. A fachada ganhou iluminação da premiada luminotécnica Monica Lobo. 



De frente para uma das paisagens mais deslumbrantes da cidade – o Pão de Açúcar –, o prédio em estilo eclético, com pé direito altíssimo e janelas amplas, abrigou originalmente o Hotel Balneário Sete de Setembro, erguido em 1922 pela Prefeitura do Rio em comemoração ao centenário da Independência do Brasil. 

“A casa tem estrutura de um complexo hoteleiro. Ou seja, vocação para receber. Bem em sintonia com o momento atual do Rio, que vai acolher milhares de turistas durante as Olimpíadas e a Copa do Mundo”, diz Patrícia Quentel, sócia de Patrícia Mayer na 3Plus. 

Por isso mesmo, o térreo da edição deste ano remete a um hotel boutique, com salas de recepção e de leitura, restaurante e dois bares, um deles com direito a duas lindas varandas no pátio interno.


Já o primeiro piso tem a estrutura de um condomínio. Os antigos quartos da construção quase centenária foram transformados em modernos lofts e pequenos apartamentos. 

No segundo andar ficará a área comercial do complexo, com escritórios, lojas, mercearia, galeria de arte e livraria. No último pavimento – a casa tem três – será lançado na cidade o Flash Back Bar, que vai oferecer dois cardápios, um de comidinhas e drinques e outro com músicas.


Os clientes poderão escolher o que vão ouvir e ver no telão. A moda vista pelo viés da decoração. Este é outro tema do evento deste ano. As tendências que despontaram na passarela e tomaram conta do décor da casa. De estilistas icônicos a coleções de grifes de sucesso, o mundo fashion inspirou muitos arquitetos a criar os seus espaços.

Uma ótima novidade: os corredores (imensos) do casarão serão ocupados com arte e também com a história do prédio. 

O corredor do térreo ganhou interferência da artista plástica e grafiteira Joana César, já famosa pelas ruas da cidade, que se inspirou nos grafites, desenhos e pichações encontradas nas paredes do próprio prédio para criar o seu trabalho. 


No do primeiro andar estão em exposição e venda as fotos da Galeria da Gávea. No segundo pavimento, um corredor abriga, de um lado, uma exposição do fotógrafo Paulo Gouvêa Vieira, com curadoria e ambientação do arquiteto Chicô Gouvêa, e de outro, uma mostra sobre a história do conjunto arquitetônico.

Organizada pelo Colégio Brasileiro de Altos Estudos, da UFRJ, e com curadoria da arquiteta Maria Helena Hermes, a exposição traça a trajetória dos prédios e seus diferentes usos em contraponto com o crescimento do Rio de Janeiro.

O canal de TV Shoptime montou um estúdio dentro da casa, de onde vai gravar vários programas. 

E mais! As chefs Adriana Mattar e Ana Cecília Gross, do Cooking Buffet, estão à frente de dois espaços gastronômicos, o Restaurante e o Cocktail Bar. No primeiro, vão servir cardápios elaboradíssimos no bufê de almoço - à noite, o Restaurante só abre às quintas com um jantar harmonizado.

No segundo espaço, pratinhos leves e em pequenas porções. Já o chef Ecio Cordeiro de Mello comanda o Snack Bar e o Flash Back Bar. Ele promete fazer um revival, com comidinhas que fizeram sucesso nos
anos 50, 60 e 70.




Detalhe: pela primeira vez o evento vai abrigar uma brigaderia, o Foyer do Brigadeiro, com os docinhos criados por Fabiana D’ Ângelo. “Todos os andares têm espaço para o relax e também para beber uma água ou café”, avisa Patrícia Mayer. 


Muita história para contar

Inaugurado em 15 de julho de 1922, com um concorrido chá dançante, o Hotel Balneário Sete de Setembro, reunia, então, quatro prédios e várias cabines de banho em frente ao mar. 

O projeto original do conjunto arquitetônico, assinado pelo construtor italiano Antonio Jannuzzi, contava com cozinha em mármore de carrara, pisos em madeira e de pastilhas e lindos ornamentos em estuque. Com pé direito de sete metros de altura, a construção possuía mais de 5.400 m². 

Na época, o prefeito Carlos Sampaio sonhava em transformar a Zona Sul do Rio num luxuoso balneário, bem ao estilo da Riviera francesa. O prédio da Avenida Rui Barbosa seria o primeiro a ser erguido dentro deste plano estratégico de expansão da cidade.

Dono da Antonio Jannuzzi & Cia, criada em 1875, que atuava como escritório de arquitetura e construtora, o italiano ergueu o hotel em apenas 14 meses, no próprio terreno da sua oficina, para acomodar os hóspedes ilustres que viriam para as comemorações do centenário da Independência do Brasil.

Em 1924, a estrutura foi desmembrada e parte dela passou a abrigar o hospital infantil Abrigo Arthur Bernardes. Em 1926, o prédio foi cedido para o Internato da Escola de Enfermagem Anna Nery, que ali permaneceu até 1973. 

Em 1989, o conjunto foi tombado pelo Instituto Estadual de Patrimônio Histórico e Cultural. Em 1995, os casarões passaram a abrigar a Casa do Estudante Universitário. 

Em 1995 a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) retomou a posse do imóvel e, dois anos depois, deu início ao processo de revitalização e restauração dos prédios. No futuro, a UFRJ pretende abrigar no conjunto arquitetônico o Colégio Brasileiro de Altos Estudos.

Chegou a hora do design brasileiro mostrar seu valor Os designers brasileiros com suas peças criativas e elegantes são um dos grandes destaques do evento. 

No Living, de Erick Figueira de Mello, tomam conta do centro da cena peças de Sérgio Rodrigues, Etel Carmona, Jader Almeida e Claudia Moreira Salles. 


O sofá Mole, de Sérgio Rodrigues, com diferentes estofados, está nos espaços de Carolina Bezamat e Laura Bezamat (Sala de Leitura), Alexandre Gedeon e Hugo Schawartz (Estar Gourmet) e Dani Parreira e Flávia Santoro (Studio do Designer).




No Armazém e Café Sebrae, do trio de arquitetos Diego Uribbe, Duke Capellão e Rodrigo M. Kalhache, destaque para o pot-pourri de diferentes cadeiras e mesas criadas por Paula Alves, Jader Almeida, Carlos Motta, Aristeu Pires e Arthur Casas.


O Business Center, de Julia Abreu e Márcia Muller, tem cadeiras em madeira de Carlos Motta, e mesa lateral e estante, de Jader Almeida. 


Este último designer também está presente no Hostel Boutique, de Patrícia Fiuza, com as cadeiras Finn, que dividem o ambiente com o sofá carbono, de Marcus Ferreira, e a poltrona Paulistano, de Paulo Mendes Rocha, e no Lounge, de Paula Neder, com o banco Matriz. 



No Apartamento da Decoradora, de Solange Medina, sofá retrátil Flex e mesa de jantar Dotti, do Estúdio Nada se Leva, e cadeiras Smiles, de Marcelo Liggiere.


Casa Cor Rio: números impressionam:

Desde o primeiro evento na cidade, em 1991, até hoje, seus números são impressionantes: foram no total 753 dias de evento, 983 ambientes diferentes, 1.100 empresas parceiras, 1.379 profissionais envolvidos diretamente (arquitetos, decoradores e paisagistas) e um público de 846 mil pessoas. 

A edição carioca, primeira franquia de eventos do país (de qualquer área) deu origem às posteriores 20 franquias do evento no Brasil e no exterior (Chile, Peru, Panamá e Punta Del Este).

Ao longo de 22 anos o evento ajudou a formar um público que aprecia e consome decoração - movimentando o mercado. Pessoas que deixaram simplesmente de mobiliar e passaram a decorar suas casas.

 “Recebemos na Casa Cor pessoas que vão não só conhecer as novas tendências da área e conferir os lançamentos, como também escolher um arquiteto para criar o projeto do seu apartamento”, diz Patrícia Quentel. 

É uma exposição de arquitetura de interiores que oferece ao visitante uma visão completa do que está acontecendo na área, de peças de antiquariato às grandes criações dos designers brasileiros, de como ambientar uma obra de arte à melhor maneira de aproveitar os espaços, das novas paletas de cores que estão chegando ao mercado aos acessórios que completam com estilo a decoração. “A gente continua investindo nesse importante papel de formação de novas plateias”, diz Patrícia Quentel.

A expectativa para o evento deste ano é receber cerca de 70 mil pessoas.

O Rio de Janeiro ocupa a segunda posição no ranking brasileiro no consumo de móveis, artigos para decoração e utensílios domésticos, perdendo apenas para São Paulo. “Tanto que o volume de negócios gerados com o empréstimo de móveis, objetos, luminárias e revestimentos para a Casa Cor Rio incrementa as vendas do comércio em cerca de 30%, durante e após o período do evento”, conclui Patrícia Quentel.

Este ano não faltam espaços criativos de entretenimento: comidinhas, bebidinhas, música e – claro – chocolate! 

O Flash Back Bar, de Beto Figueiredo e Luiz Eduardo Almeida, prova que quem vai a um bar não quer só comida: também quer diversão e música! 

Haverá dois cardápios: um de drinques e petiscos (assinados por Ecio Cordeiro de Mello) e outro de músicas e vídeos das décadas de 1960, 70 e 80. O cliente escolhe o drinque e a música que quer ouvir e ver no telão. Único espaço no terceiro andar da casa, o bar tem ainda uma vista deslumbrante da Baía.

Casa Cor 2012 RJ
Local
Av. Rui Barbosa nº 762 - Flamengo - Rio de Janeiro - RJ
Horário
Terça a Domingo: das 12h00 às 22h00
Ingresso :
Terça a Sexta: R$ 35,00
Sábado, Domingo e Feriados: R$ 40,00
Estudante (apresentando a carteira e idosos acima de 60 anos): Meia Entrada


E então...gostaram?? Então aqui está uma recomendação de um passeio muito bom nessa semana!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário. Bjs.