quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Os países da Grã Bretanha inspiraram o inverno 2014 da Animale. Vermelho, preto, verde e petróleo tomam conta da maioria dos looks, que trazem detalhes primorosos como nervuras e plissados. Do que depender da marca, o couro segue firme também na próxima estação, mas nada da tradicional calça reta. Tops, vestidos e saias com texturas diversas devem ganhar as ruas acompanhados da bota-legging – que já deu o ar da graça nos desfiles internacionais. Na segunda parte da apresentação, vestidos de seda estampados lembram que o inverno brasileiro não é tão rigoroso e que permite brincadeiras interessantes, como as argolas de metal que fazem às vezes de alças e golas.
 
Mesmo que a sua inspiração — “A corrente vital da natureza, a influência da fotografia de Irving Penn e o fim de tudo o que nasce belo” — seja um tanto quanto abrangente, Vitorino conseguiu que suas criações não ficassem abstratas, pelo contrário: a coleção foi direta e muitas peças estavam prontas para serem usadas após seu desfile.
Contando com uma linha minimalista chique, os materiais utilizados por Vitorino Campos prezavam mais pelo corte em que seriam usados do que, propriamente, o próprio têxtil.

Os essenciais do Inverno, como a lã e o algodão, pontuaram produções durante toda a apresentação e foram contrapostos artigos mais refinados, como o zibeline (liso e bordado) e o cetim duchese.
Os tons de Vitorino foram tão diretos quanto seu mix de produtos, pois se mantiveram em uma cartela harmônica durante toda a apresentação.

Ao início, a simplicidade e a elegância do branco dominou a passarela, mas logo foi interferida por outras nuances gélidas, como o cinza e o prata. O preto também entrou em cena, assim com o vermelho que finalizou os looks da passarela de Inverno 2014.

O pied-de-coq (do francés, pé de galo) foi o recurso utilizado como padronagem na coleção de Vitorino Campos, e a aplicação de flores também agregou um algo há mais nas peças do baiano.

Shapes

O estilo boyish esteve presente no desfile de Vitorino Campos para o SPFW, pois a referência do guarda-roupa masculino estava evidente durante toda a sua coleção.

Mesmo que alguns vestidos finalizaram o desfile, Vitorino inseriu uma forte tendência de alfaiataria na coleção. A camisaria foi a que mais chamou a atenção, pois as peças foram utilizadas sozinhas ou acompanhadas de maxi suéteres. Além disso, as calças de zibeline mais amplas e com o gancho rebaixado reforçaram a ideia do vestuário masculino.

Um dos detalhes interessantes da modelagem utilizada por Vitorino Campos foram os recortes preenchidos por zíperes — encontrados, geralmente, nas fendas das saias da coleção — assim como o comprimento midi, tanto para saias quanto para calças.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário. Bjs.