quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Cirurgia Plástica: os novos procedimentos de lipoaspiração.

Olá!!!!

Hoje é dia daqueles posts que nós adoramos no blog, para tirar todas as nossas dúvidas (as minhas também - muitas). E como não sou a pessoa mais indicada para este tipo de informação, quem vai nos contar um pouco sobre cirurgia plástica é o Dr. Ricardo Proto. 

Acho importante ter alguém falando um pouco sobre o procedimento aqui no blog, já que é um assunto bem delicado, que precisa de várias opiniões, além de um passo muito sério e que quanto mais informações a respeito melhor.

Alguém aí pensando em fazer Lipoaspiração? Então observe todas as informações, como por exemplo o volume máximo a ser retirado, a mais indicada e etc.


É crescente o número de cirurgias plásticas no Brasil e observamos que a lipoaspiração está dominando o ranking. Idealizada pelo cirurgião francês Yves-Gérard Illouz no início da década de 80,  a lipoaspiração é baseada na técnica de aspiração (remoção) de gorduras localizadas em áreas resistentes à dietas e atividade física. A técnica vem se aprimorando no passar das décadas e hoje é o “carro chefe” da cirurgia plástica. Considerada uma técnica versátil, pode ser aplicada em várias regiões do corpo e com resultados surpreendentes. 

É sempre importante citar que a lipoaspiração não é considerada um método de emagrecimento, é uma técnica aplicada para melhorar o contorno corporal. 
O seguimento pós-operatório é de extrema importância. A paciente deve utilizar malha compressiva, poupar esforços físicos, manter boa alimentação e realizar as sessões de drenagem linfática. 

Por determinação do Conselho Federal de Medicina e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, é seguro retirar o volume de gordura correspondente a até 7% do peso corporal. 

Inúmeras técnicas de lipoaspiração surgiram nas últimas décadas, merecendo destaque a lipoaspiração a laser, a lipoaspiração ultrassônica e a vibrolipoaspiração. Tais métodos auxiliam o cirurgião durante o procedimento, diminuindo os esforços físicos na manipulação das cânulas e proporcionando à paciente um pós-operatório com menos dor, menos edema (inchaço) e menos hematomas.


Dr Ricardo Proto – CRM-SP 120.103 – Cirurgião Plástico

E então...o que acharam?

Bjos,

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário. Bjs.