terça-feira, 9 de dezembro de 2014

O Max Abdo Bistrô, projetado por Denise Barretto.

Olá!! Hoje tem post com projeto de decor com aquelas super arquitetas que nós adoramos, pois sempre temos coisas bonitas para ver! Como vocês já devem ter percebido pelos diversos posts espalhados pelo blog, a arquiteta Denise Barretto já uma "habituée" neste espaço devido aos seus trabalhos que eu admiro muito. 

Este em especial une duas paixões minhas: decor e gastronomia. Um sobrado construído na década de 40, situado no bairro do Jardim Paulista, foi o imóvel escolhido para o Max Abdo Bistrô, um restaurante que não se destaca somente pelo belo cardápio, iluminação, louças e atendimento exclusivo, mas também pelo projeto arquitetônico que apresenta uma atmosfera de descontração e aconchego. Resultado de uma afinada parceria entre Paulo Lisboa, que assina a arquitetura do ambiente, e Denise Barretto, responsável pela arquitetura de interiores.


Aproveitar, ao máximo, as questões espaciais do estabelecimento foi um dos principais desafios para Denise. Embora tenha 170 m² de área construída, o projeto se encontra em um terreno de eixo longitudinal: são 4,4 metros de largura por 22 de comprimento. Desse modo, Denise Barretto buscou inspiração em bistrôs franceses, com pequenas mesas próximas umas das outras. E, para elevar a capacidade do restaurante para 36 pessoas, a arquiteta apostou ainda em um grande sofá corrido em couro, um dos materiais naturais usados.


Uma importante necessidade do projeto era inserir a armazenagem de alguns insumos, bebidas e livros do próprio Chef Max no local de atendimento. Logo, a alternativa encontrada pela profissional foi a instalação de uma grande estante feita de madeira de demolição com granilha interna da Terracor. Para não mostrar todos os nichos, três lonas retráteis, que formam painéis verticais, ganharam pinturas de três artistas amigos do proprietário e fundador do bistrô: Black Linhares, Dudu Santos e Victor Leme. Cada lona conta com ilustrações de bebidas, comidas e conversas, características que contextualizam o ambiente com um toque de irreverência.


Outra peça que acentua a descontração do ambiente é uma grande placa próxima ao mezanino. Nela, há 14 “Mandamentos” do Chef Max Abdo, entre os quais “O cliente é quem manda, desde que obedeça as regras” e “Quem escolhe a música é o proprietário, e o volume também”. Mandamentos, no entanto, que são sempre quebrados. O estabelecimento conta com cozinha envidraçada. Além de gerar uma integração entre o ambiente e o salão principal, essa característica permite aos clientes ver o preparo dos pratos.



E se quiserem ainda ter um atendimento mais próximo do Chef, podem sentar-se à mesa mais alta, que fica em frente à cozinha show. Para que o conceito de slow food fosse aplicado com sucesso, contudo, era necessário conceder aos clientes a sensação de um ambiente acolhedor. Nesse sentido, Denise Barretto, em parceria com o luminoteca Guinter Parschalk, desenvolveu um sistema de iluminação que é atenuado automaticamente ao longo da noite, conferindo um tom intimista aos jantares. 



Dispostos em diferentes alturas e posições, os pendentes evitam que as luzes sejam focadas em um único ponto do estabelecimento. Essa ausência de linearidade proporciona ainda uma sensação de movimento, na qual as luminárias parecem flutuar.

E então... gostaram? Os créditos de imagem são de Alain Brugier.

Beijos,

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário. Bjs.