terça-feira, 1 de setembro de 2015

Em sua 25ª edição, a Casa Cor Rio ocupa, pela primeira vez, a histórica Villa Aymoré, na Glória.

Olá!! Um passeio obrigatório pelo Rio de Janeiro neste mês é visitar a Casa Cor Rio, no bairro da Glória. A Mostra conta com interferências contemporâneas numa arquitetura do início do século 20. Ao completar 25 anos, a Casa Cor Rio volta ao passado sem perder o foco no presente e o olhar no futuro. O evento se hospeda em oito casas centenárias da Villa Aymoré, no tradicional bairro da Glória, restauradas pela Landmark Properties, primeiro e único fundo de investimento do país a apostar na revitalização do patrimônio histórico. São cerca de cinco mil metros quadrados divididos em 42 ambientes assinados por 63 arquitetos, designers de interiores e paisagistas, que traduzem o jeito carioca de morar em lofts, estúdios, espaços de criação e, especialmente, home-offices. Sim! O jeito descontraído, cool, divertido, casual-chique e objeto de desejo de quem vê – que é a marca dos profisisonais cariocas – está por quase todos os espaços este ano. A Casa Cor Rio – com uma expectativa de público de 60 mil pessoas nesta edição – acontece de 1º de setembro a 4 de outubro de 2015. A Villa fica na Ladeira da Glória, 26.


“Será uma Casa Cor bem diferente das que fizemos nos últimos anos. Se, como sempre, acompanhamos as tendências de moradia – e os prédios de uso misto são cada vez mais comuns em todo o mundo –, por outro lado nunca ocupamos tantos imóveis ao mesmo tempo”, diz Patrícia Mayer, sócia de Patrícia Quentel na 3Plus, organizadora da mostra desde seu início. “Nesses 25 anos revelamos talentos, lançamos tendências e apresentamos um estilo de viver e morar próprio nosso, chique, despojado e contemporâneo. Um jeito carioca de morar. É isso que faz a Casa Cor Rio ser única. E, mais uma vez, mostra que está em sintonia com a cidade, ao ocupar imóveis históricos em um momento que o Rio passa por grande revitalização”, completa Patrícia Quentel.

A Villa Aymoré é o primeiro empreendimento adquirido pela Landmark Properties, único private equity do país que investe em patrimônio histórico. Para a empresa, que aplicou R$ 50 milhões na revitalização da Villa, o investimento em prédios de valor arquitetônico é, além de uma solução para problemas da cidade, uma nova forma de obter retorno, a longo prazo, sobre o capital investido. Após a Mostra, todo o conjunto que forma hoje a Villa Aymoré – composto pelo prédio do antigo Hotel Turístico, o Edifício Baronesa e as nove casas geminadas – será alugado para empresas.


Antes de ser adquirida pela Landmark, em 2010, a Villa estava abandonada e ameaçando ruir. De lá para cá, passou por um processo de restauração comandado pela Raf Arquitetura e executado pela Lafem Engenharia, com supervisão e acompanhamento do Instituto Rio Patrimônio da Humanidade. E será na Casa Cor Rio que o espaço será aberto ao público. Mais uma vez, a mostra ajuda a preservar a história e a arquitetura da cidade propondo novos usos para prédios já existentes.







A Villa Aymoré faz parte da história da cidade. Tombada pelo município e incluída na Área de Proteção do Ambiente Cultural (Apac) da Glória e do Catete desde 2005, está localizada em uma alameda cujo nome remete aos índios tupinambás, os primeiros a ocuparem a região do morro da Glória. As casas (10 originalmente) foram construídas entre 1908 e 1910, formam um conjunto arquitetônico em estilo eclético – popular na Europa do século 19 – e são vizinhas do Outeiro da Glória. Com pé-direito mínimo de 3m80, cada uma recebeu um nome indígena (Guarany, Tamoyo, Tupy, Juruna, Goytacaz, Kiriri, Carijó, Moema e Iracema), o que era considerado moda na época. Neste local, bem antes da Villa Aymoré ser construída, morou a Baronesa de Sorocaba, irmã da Marquesa de Santos – e ambas amantes de D. Pedro I. Durante as obras de restauração, muitos artefatos da época foram descobertos, assim como um caminho de pedras originais que ligava a casa da Baronesa ao Outeiro, e que passou a ser chamado pelos arqueólogos que acompanharam o restauro de Caminho da Baronesa. 

O trabalho de recuperação dos casarões incluiu a arquitetura original – inclusive para reconstruir um deles, que havia desmoronado antes de a Landmark Properties adquirir o empreendimento. Pisos, forros, portas, janelas e belíssimas escadas em madeira maciça das casas foram aproveitados, contrastando com a tecnologia de ponta instalada com o retrofit. Todas as casas (com, em média, 230 m²) são interligadas – pela frente, pela rua da vila; atrás, por um caminho redesenhado. Mas cada uma é uma: as plantas originais são diferentes e serão realçadas pela implantação da Casa Cor.

Além de tudo, a Casa Cor Rio completa seus 25 anos: Ao longo dos 25 anos, foram cerca de 855 mil visitantes, 1.091 ambientes, cerca de 150 empresas parceiras por ano, 545 profissionais envolvidos diretamente (arquitetos, decoradores e paisagistas, contando uma única participação entre os que fizeram repetidas vezes) e 18 mil indiretamente. A edição carioca deu origem às posteriores 20 franquias Casa Cor no Brasil e quatro no exterior (Bolívia, Chile, Equador e Peru). 

Os arquitetos e seus ambientes: Adriana Ferraz e Cristiana Galvão (Quarto da Amante), André Piva e Vanessa Borges (Garçonnière), Andréa Duarte e Anna Malta (Escritório da Chef), Bel Lobo, Bob Neri e Mariana Travassos (Sala de Leitura), Bianca da Hora (Loft da Chef), Bitty Talbot e Cecília Teixeira (Sala de Morar), Bruno Carvalho e Camila Avelar (Ao Ganso Azul Bar), Caco Borges (Apartamento do Jovem de 50 Anos), Camila Bortolini e Priscila Campos (Loja da Villa), Carlos Carvalho e Rodrigo Beze (Sobrado Studio ro+ca), Chico Viana e Guido Sant’Anna (Escritório da Galerista), Duda Porto (Lounge Renault), Edgard Octavio (Emporium Lapinha), Emmilia Cardoso (Quarto Solar), Erick Figueira de Melo (Recepção), Gabriel Sabugosa (Café da Vila), Gisele Taranto (Lab LZ by GT), Guilherme Osborne e Claudia Souza Santos (Home-office da Designer), Jairo de Sender (Escritório Multiuso), Jimmy Bastian Pinto (Foyer da Villa), Lia Siqueira (Atelier 35 A), Luiz Fernando Grabowsky (Restaurante Glória 25 Bis), Marcella Bacellar (Joalheria Aymoré), Mariana Dornelles e Stéfano Barino (Jantar à Carioca), Marina Linhares (Casa dos Cocares), Maurício Nóbrega (Estúdio dos Colecionadores), Paola Ribeiro (Living da Praia), Paula Bergamin (Jardim da Frida Kahlo), Paula Neder e Luiza Pedral (Banheiro de Estar), Pedro Paranaguá (Home-office da Fotógrafa), Raf Arquitetura e Lafem Engenharia (Espaço Memória), Raphael Costa Bastos (Estúdio do Restaurador), Ricardo Melo e Rodrigo Passos (Sala de Estar Bela Arte). 

E os paisagistas: Anna Luiza Rothier (Varanda do Living da Praia), Adriana Fonseca (Casa dos Cocares), Cláudio Pedalino e Suzi Barreto (Lounge Renault), Franci Furlani e Lúcia Costa (Espaço Memória), Guilherme Portugal e Karyne Lima (Escritório da Chef), Fernando Acylino (Estúdio dos Colecionadores; Sala de Leitura; e Home-Office da Designer) e Horto das Palmeiras (Escritório Multiuso). 

Serviço
Período: 01/09/2015 – 04/10/2015
Horário: De terça a domingo, das 12h às 21h
Local: Villa Aymoré
Endereço: Ladeira da Glória, 26. Glória.

Mais Informações
Telefone: 7836-1854
Site: www.casacor.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/CasaCorRio
Instagram: @casacorrio_oficial

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário. Bjs.