sábado, 5 de dezembro de 2015

Viagem: Atacama.

Olá!! Hoje é dia de post de viagem aqui no blog, com um dos lugares mais bonitos do Chile, que também é um dos principais destinos de férias por suas lindas paisagens: O deserto do Atacama. Quem nunca sonhou em fazer passeios pela região?  Ela oferece, dentre seus hotéis de diferentes estilos o mix do rústico ao sofisticado. Os passeios, de bike, longas caminhadas e aquela vontade de aproveitar um pouco a região.


Com seus 105 mil km², o deserto de Atacama é considerado o mais alto e mais frio do mundo, com amplitudes térmicas que facilmente superam os 35°C. Para chegar no Atacama é necessário pegar um vôo de Santiago à Calama, de duas horas (02 horas), e para San Pedro de Atacama, mais uma hora de viagem, hora de viagem. 



A região oferece, como já dito anteriormente, lindas paisagens, algumas muito conhecidas e visitadas, outras nem tanto - dentre as conhecidas, o Salar do Atacama, um local deslumbrante localizado há 55 km ao sul da cidade de San Pedro de Atacama.  O local é cercado por montanhas e não há saídas para drenagem de água. A salina tem cerca de 3.000 km², numa altitude de 2.300 m do nível do mar. Algumas áreas da salina são parte da reserva ecológica Los Flamencos. A Laguna Cejar é também um dos pontos mais visitados, visto que é chamada de "Mar Morto sul-americano" por sua água com altíssima taxa de salinidade. Por conta disso, quem mergulha nela não afunda. As agências de San Pedro de Atacama levam para lá os grupos de turistas que querem flutuar na água e admirar as cores da água, que mudam ao final da tarde. Outro ponto da região é o Vale do Arcos Iris, que recebe este nome devido a coloração das montanhas  com grandes relevos cobertos de minerais, dentre eles, ferro, óxido de cobre e enxofre.





Onde se hospedar: A aridez da região foi um dos elementos utilizados pelo arquiteto Francisco Guerrero, do escritório chileno Guerrero y Junemann para a construção do Alto Atacama Desert & Lodge Spa, em San Pedro de Atacama. O projeto levou anos para ser aprovado, tanto pela comunidade indígena como pelo governo local, exigindo acompanhamento para a manutenção do entorno. O resultado foi uma integração à paisagem, com impacto mínimo sobre o meio ambiente e uma filosofia cultural e ambiental voltada para a preservação. 




O resultado é um verdadeiro oásis de 3.720 m², com 42 quartos de vistas privilegiadas, seja a Cordillera de la Sal ou os belos jardins internos, criação da paisagista Veronica Poblete, especialista no altiplano andino. Para o Alto Atacama, reproduziu um microcosmo do deserto com base na utilização de matérias-primas e mão-de-obra da região. A coleta de todos os materiais foi feita manualmente – inclusive a produção e entalhe das telhas e tijolos.

A decoração de Enrique Concha também reverencia o deserto, mesclando elementos característicos com tons de terra e tonalidades mais escuras para compensar a luminosidade que vem de fora. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário. Bjs.