terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Por Nadja Bonan: Como decorar um quarto de bebê.

O bebê está chegando – e agora? Mil e uma tarefas e preocupações surgem junto da descoberta de um novo membro da família. Entre elas, a de preparar o quarto para recebê-lo. Para os pais de primeira viagem, principalmente, a atividade pode parecer um bicho de sete cabeças: o que um bebê precisa? E quando a criança crescer? O que priorizar quando o ambiente é pequeno?

Para descomplicar esse planejamento, a arquiteta Nadja Bonan, Oficina 11.11, mãe da pequena Alice, dá dicas valiosas sobre decorar o quarto do bebê.




1. Reflita sobre o estilo do décor e a iluminação

Pensar sobre as expectativas para a decoração do quarto deve ser a primeira tarefa dos pais. As infinitas opções de móveis do mercado podem gerar dúvidas, portanto é importante se preparar e pesquisar referências de acordo com os gostos pessoais e as tendências. Definido um estilo – moderninho, descolado, clássico ou provençal, por exemplo –, e os tons que serão a base da paleta de cores, fica muito mais simples nortear as escolhas.

Nadia conta que está em voga mesclar itens de pequenos artesãos com peças de outros fabricantes. “Outra tendência é o uso de gavetas com cores distintas ou fazendo degradê de cores. As composições de quadros, nichos, prateleiras, luminárias e esculturas em paredes tem tornado os ambientes bem mais descontraídos”, indica.

Falando em luminárias, a luz do quarto não pode ser muito forte. “É importante utilizar o dimmer para diminuir ou aumentar a intensidade da luz para não incomodar o bebê”, aponta a arquiteta.


2. Pense em como as cores influenciam o humor

As cores apresentam influência direta sobre as pessoas, afetando sono, apetite e até o humor. Elas podem ser ativas, passivas ou neutras. “Caso optem por uma cor cheia de energia como o laranja ou amarelo, procure combiná-las com cores neutras como o cinza, por exemplo, ou usar variações muito fortes do tom escolhido”, aconselha Nadja. Nada impede a criação de um quartinho todo colorido, desde que haja cuidado para harmonizar as cores.

Para criar ambientes tranquilos, cores como azul claro, verde, lilás e branco são ideais. “Uma dica interessante é entrar co cores mais quentes em tapetes, sacos de brinquedos, mesinhas ou cadeirinhas. O importante sempre é encontrar o equilíbrio”, completa Nadja.


“Estou projetando agora o quartinho da minha filhinha que vai chegar, a Alice. Decidi por mesclar uma base de rosa claro e cinza, com alguns objetos em rosa mais escuro. Estou fazendo isso, pois quanto mais pigmentação de vermelho o rosa tiver, maior a agitação e irritabilidade o tom pode trazer. Na minha escolha, o mix entre o rosa claro e o cinza trará calma e movimento na medida certa”, exemplifica.


3. Facilite a circulação

“Para decorar um quarto de bebê com praticidade, a primeira coisa que devemos levar em consideração é ter tudo a mão e facilitar ao máximo a circulação”, explica Nadja. A tarefa pode parecer difícil, principalmente em ambientes pequenos, em longo prazo tornará a rotina com o bebê mais simples.

Entre as dicas, destaca-se encostar a cômoda em paredes, não embaixo de janelas. Assim, o espaço acima pode ser aproveitado com barras, prateleiras, nichos para porta-fraldas e porta-objetos que auxiliam a troca do bebê.

“Para posicionar o berço devemos evitar correntes de ar, evitando deixá-lo entre a porta e a janela”, enfatiza a arquiteta. Como nem todo ambiente comporta uma cama e poltrona de amamentação, é possível optar por usar apenas uma cama, às vezes com uma cadeira mais simples de auxílio. A vantagem é que o móvel pode ser usado quando a criança crescer, facilitando a modificação do quarto sem grandes reformas.

4. Multiplique funções

Quartos pequenos são ambientes perfeitos para investir em soluções de mobiliário multifuncional. Em um dos seus projetos, a arquiteta Nadja Bonan criou um nicho no guarda-roupa que faz às vezes de trocador, com direito à barra de porta-objetos. Assim, o espaço é aproveitado ao máximo. A cabeceira da cama possui um nicho que comporta os livrinhos infantis e até o berço é adaptável, se tornando uma mini-cama para os anos iniciais da criança.



Sobre a Oficina 11.11

O número 11 representa visão, idealismo, refinamento e intuição: por isso ele aparece, em dobro, no nome da Oficina 11.11. Composto pelos arquitetos Nadja Bonan, Mauricio Ruoppoli e designer e curador de arte Flávio Franzosi, o escritório oferece assessoria personalizada com inovações em tudo o que desenvolve. Além de encontrar e trabalhar gostos pessoais dos clientes, combinam a arquitetura a uma curadoria especializada, feita em parceria com uma rede de artistas plásticos, artesãos e designers – assim, promovem conexões entre os projetos e as maravilhas da arte.

Trabalham com projetos comerciais, residenciais e de interiores. Atuam também na criação de peças de arte e curadoria para outros escritórios de arquitetura.

Um comentário:

Obrigada pelo comentário. Bjs.