segunda-feira, 29 de outubro de 2018

Apartamento mistura com harmonia móveis clássicos, elementos rústicos e industriais.

Materiais como madeira de demolição e bricks figuram em composições com concreto e serralheria no apartamento de 150 m² reformado pelo arquiteto Bruno Moraes.

Projeto de Bruno Moraes Arquitetura | Fotos: Luís Gomes

Depois de uma temporada nos Estados Unidos, a família – um casal com duas filhas pequenas – voltou ao Brasil e arrematou este apartamento de 150 m², em uma das ruas mais arborizadas dos Jardins, em São Paulo. Apaixonados por diferentes estilos, os donos conquistaram ambientes com uma atmosfera absolutamente eclética, harmonizada pelo projeto de reforma do arquiteto Bruno Moraes, do escritório Bruno Moraes Arquitetura.



Sob um mesmo teto convivem móveis clássicos e de design moderno, elementos com ar industrial e materiais rústicos, paixão dos moradores, a exemplo dos bricks nas paredes e da madeira de demolição em prateleiras e bancadas. “É justamente essa mistura que torna a decoração tão rica e interessante”, diz Bruno. Sem dúvida que o fato de o imóvel, dos anos 1970, não ter passado por grandes remodelações antes de ser adquirido pela família facilitou as tarefas. A arquitetura era generosa, a iluminação natural farta, mas os ambientes eram compartimentados, inadequados para o viver contemporâneo de pais e filhas.


Para integrar a ala social, com sala de jantar, estar, cozinha e bar, o antigo corredor foi demolido. Já o living ganhou paredes cinza e piso de madeira cumaru, que reforçam a união entre os espaços. Na entrada do apartamento, a parede de tijolinhos faz fundo para a sala de jantar, enquanto o conjunto de mesa e cadeiras é pontuado por dois lustres marcantes. Para dar um toque moderno, as cadeiras das cabeceiras têm assento com tecido estampado. Graças a uma porta de correr, o bufê se abre e se transforma num pequeno bar espelhado. 


A poltrona Eames com pufe, a luminária de piso e a mesa de apoio formam o canto de leitura.


O estar incorpora o estilo eclético do apartamento, com sofá de couro em capitonê e dois pares de poltronas ao redor da mesa de centro, em vidro e madeira. O mobiliário foi posicionado sobre três tapetes sobrepostos, artifício que dá um toque arrojado à sala.


As portas de correr, já existentes no apartamento, escondem a sala de TV e o home office. Lá, o sofá recheado de almofadas e o tapete geométrico dão o aconchego necessário para assistir filmes e séries, enquanto o móvel da TV também serve de apoio para a mesa de trabalho.


No espaço que antes pertencia à cozinha, Bruno criou um gostoso cantinho de bar e café. Ali, as prateleiras de madeira de demolição e a parede preta contrastam com a marcenaria em estilo provençal e a bandeira com ar retrô.


Bricks produzidos com mármore impermeabilizado possibilitam criar o efeito de tijolinhos na cozinha, com bancada de quartzo branco. Mãos francesas em estilo de fazenda dão suporte para as prateleiras, já os pendentes industriais e o porcelanato com aspecto de concreto trazem modernidade para o ambiente.


Em toda a área social, o projeto luminotécnico foi trabalhado com spots embutidos e trilhos. O apartamento conta com um sistema de automação que memoriza as cenas de iluminação e permite mudá-las rapidamente. O sistema também inclui funções como tocar música e fazer pedido de compras no supermercado.

Fornecedores:

Lustres da sala de jantar: Lustreco; Luminária de piso: Yamamura; Luminárias gerais: Carzig; Tijolinhos: Lepri; Mesa, cadeiras e sofá: Cadeirada; Tapetes: Anapì; Poltronas off white: Artefacto; Mesa de centro: Breton; Quadros: Moldura Minuto; Piso: IndusParquet; Porcelanato: Portobello; Bancadas: Granito Moredo; Papel de parede: Bucalo; Marcenaria: SBCastro; Cortinas: VRpersianas

Sobre Bruno Moraes: Bruno Moraes é formado pela Faculdade Belas Artes de São Paulo (FEBASP) e pós-graduado em Gerenciamento de Empreendimentos na Construção Civil pela FAU Mackenzie. Em 2007, expõe o projeto “Complexo do Moinho” na Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo, junto a um grupo de arquitetos formados pela FEBASP. Passou por grandes escritórios, como o do arquiteto Siegbert Zanettini, onde participou do projeto de ampliação do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes), da Petrobras, considerado o maior projeto sustentável da América Latina. Desde 2009, está à frente do escritório Bruno Moraes Arquitetura, atuando na área de gerenciamento de obras, execução de obras, projetos, consultoria sustentável e imobiliária.

Bruno Moraes Arquitetura
(11) 2062-6423
www.brunomoraesarquitetura.com.br
@brunomoraesarquitetura
facebook.com/brunomoraesarquitetura

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário. Bjs.