quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

Doob Arquitetura ensina como acertar na escolha do criado-mudo.

As arquitetas Beatriz Ottaiano e Daniele Okuhara revelam o que é preciso levar em conta antes de adquirir esse móvel de apoio tão importante no quarto.

O criado-mudo é um apoio indispensável ao quarto |Foto: Rafael Renzo

Eleger o criado-mudo perfeito para dispor ao lado da cama pode ser mais difícil que você imagina, afinal, além do design e dos materiais infinitos, o modelo também precisa ser adequado às necessidades dos moradores e ao tamanho do ambiente. Para facilitar a escolha, as arquitetas Beatriz Ottaiano e Daniele Okuhara, da doob arquitetura, reuniram algumas dicas preciosas.

A primeira preocupação está relacionada ao tamanho do móvel, influenciado pela metragem e disposição do cômodo. “Para acessarmos a cama, precisamos deixar uma circulação mínima de 60 cm, lugar quase que, intuitivamente, ocupado pelo criado-mudo. Já o móvel deve medir, pelo menos, 45 cm de largura e 35 cm de profundidade”, exemplifica Daniele.

O criado-mudo com gavetas deixa os acessórios sempre à mão e evita bagunça aparente Foto: Evelyn Muller

A altura também é um fator determinante na escolha do móvel. Nesse caso, a medida está relacionada às proporções da cama. “O padrão é 55 cm, porém a altura do móvel precisa estar alinhada com a da cama ou até 10 cm mais baixa”, fala Beatriz. Considerar também a altura das tomadas é fundamental. “Ao projetar o quarto, vale deixar o eixo da tomada, alocado ao lado do criado-mudo, a 85 cm do piso”, diz Beatriz.

A mesa lateral ao lado do armário pode ser movida com facilidade | Foto: Julia Ribeiro

O criado-mudo convencional, com gaveta, é o mais comum quando se deseja área de armazenamento. Vale saber também que alguns modelos prontos costumam custar menos que as opções sob medida, que aproveitam melhor cada centímetro disponível. No entanto, nem sempre é possível investir nessas alternativas. “Se o espaço de circulação é pequeno, pode-se optar por uma mesinha lateral, que cumpre muito bem a função do móvel, além de ser leve e fácil de ser arrastada”, explica Daniele. “Vale a pena lembrar que não é preciso usar criados-mudos nas duas laterais da cama. Para dar um ar mais moderno à decoração vale deixar a criatividade fluir e misturar peças com medidas, cores e até materiais diferentes”, revela Beatriz.

As arquitetas apostaram em dois modelos diferentes no quarto de casal | Foto: Mariana Orsi

Para quem não tem problema de falta espaço, atenção à dica das arquitetas. “Quando se tem uma largura mais generosa no quarto, como 80 cm, é possível substituir o criado-mudo por uma escrivaninha entre 75 e 78 cm de altura. Outro móvel que pode funcionar bem ao lado da cama é uma cômoda, porém, é uma solução para quem dispõe de uma cama com altura acima de 75 cm”, finaliza Daniele.

Sobre a doob arquitetura: Escritório é formado pelas arquitetas Daniele Okuhara e Beatriz Ottaiano, graduadas pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Atua, principalmente, na reforma de interiores residenciais em todo o estado de São Paulo, mas assina também projetos de apartamentos decorados, retrofit e espaços corporativos. A marcenaria sob medida, pensada na integração e na otimização dos ambientes, é uma característica marcante nos trabalhos da doob Arquitetura, que busca identificar o perfil de cada cliente para materializá-lo na arquitetura e decoração, não só pela forma, mas também pela funcionalidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário. Bjs.