segunda-feira, 1 de julho de 2019

Dicas para combinar principais itens da sala.

A designer de interiores Daiane Antinolfi e as profissionais do Estúdio Cipó, Fernanda Angelo e Elisa Meirelles, fazem um levantamento de como decorar o ambiente mais receptivo da casa.

Projeto Daiane Antinolfi | Foto Henrique Ribeiro

A sala é o cartão de visita ao entrar em uma casa. Por esse motivo, a decoração do espaço deve ser receptiva, aconchegante e cheia de personalidade. E no momento de compor os objetos e mobiliário deve-se existir harmonia e coerência.

E antes de começar a pensar nos móveis e na decoração, a designer de interiores Daiane Antinolfi, do escritório Daiane Antinolfi Arquitetura e Interiores, e a dupla Fernanda Angelo e Elisa Meirelles, do Estúdio Cipó, reúnem um levantamento dos pontos a serem considerados para decorar a sala da forma ideal. Confira:

Os primeiros passos

Inicie o projeto observando layout, tamanho disponível e o espaço adequado para circulação. Dessa forma, começar a comprar o mobiliário e os itens de decoração, é possível ter noção daquilo que realmente cabe e comporta dentro do ambiente.

Entender as necessidades também é essencial. A sala será utilizada apenas para receber os convidados ou também como sala de TV? Depois de responder a essas questões, é hora de começar a decorar!

A escolha do sofá

Projeto Daiane Antinolfi | Foto Henrique Ribeiro

Claramente o sofá é a estrela do ambiente! Desde quando a peça começou a ser popularizada, as formas, tamanhos e materiais foram explorados. Mas a característica mais importante é o conforto. “Sempre indico começar a compra pelo sofá, já que ele é o item mais importante da sala e que influi em um tempo para chegar depois da compra. Depois, com base no móvel, trabalho para definir o restante do décor”, conta a designer de interiores Daiane Antinolfi.

Ter uma sala pequena não significa um problema, pois o mercado já disponibiliza inúmeras opções de modelos que se adaptam aos ambientes compactos. Os modelos claros contribuem para deixar a sala mais espaçosa. Em contrapartida tons escuros exigem mais atenção, pois podem sobrecarregar o cômodo. “Para quem deseja muito ter um sofá escuro, sugiro optar por paredes claras, decoração com tons complementares e ótima iluminação”, reforça Daiane.

O uso de tapetes

Projeto Estúdio Cipó | Foto Estúdio 360

As peças são símbolos de aconchego e têm o poder de mudar o astral do ambiente. Realçam o espaço com um toque de cor ou ajudam a definir o estilo da decoração. Para a escolha do tapete, a cor e tamanho devem ser consideradas, já que existem regras para seu uso. “Na sala de estar, o tapete deve ficar centralizado e posicionado cerca de 20 cm – ou mais – abaixo dos móveis que compõem o ambiente”, explica a arquiteta Fernanda Angelo.

A cor da peça deve ter harmonia com o restando do projeto, que se for mais clássico e clean, a profissional do Estúdio Cipó recomenda um tom mais claro que o sofá. Caso seja mais despojado e moderno, pode ser uma peça mais divertida com estampas e cores. 

Cortinas

Projeto Estúdio Cipó | Foto Julia Ribeiro

É importante ter em mente que a cortina nunca será um elemento principal na decoração, mas sim um pano de fundo. A peça dá volume para a composição e tem o papel de filtrar a luminosidade, trazer aconchego e privacidade para o ambiente. “A cortina é um dos últimos itens a serem comprados quando se trata da decoração da sala”, ressalta Daiane.

Daiane Antinolfi Arquitetura e Interiores
@daianeantinolfi
Estúdio Cipó
@estudiocipo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário. Bjs.