quinta-feira, 1 de agosto de 2019

Designer de interiores Daiane Antinolfi elucida questões sobre o uso de quadros na decoração.

Queridos e super bem-vindos nos ambientes, é importante pensar no estilo e seguir algumas recomendações para a harmonia no décor.

Projeto: Daiane Antinolfi | Foto: Henrique Ribeiro

Paredes sem nada transmitem aquela sensação de vazio e a impressão de que falta algo para completar o espaço. A utilização de quadros faz toda a diferença no décor, já que ajuda na tarefa de refletir o estilo e personalidade do morador, além de transmitir versatilidade, pois pode compor todos os ambientes, desde projetos residenciais, corporativos e comerciais.

Para a designer de interiores Daiane Antinolfi, do escritório Daiane Antinolfi Arquitetura e Interiores, quadros dão a vida ao mesmo tempo que representa e caracteriza o ambiente. Pensando nisso, a profissional reuniu uma série de dicas para aplicar esse elemento tão querido na decoração. Confira:

1. Personalidade 


Antes de mais nada é necessário entender e analisar o estilo da decoração e o gosto do morador. Como o item pode ser transformado no ‘centro de interesse’ dentro do espaço, é importante que ele esteja em unidade com o restante do décor. “Quando temos um projeto mais clássico, obras tradicionais cabem como uma luva. No caso de ambientes neutros ou modernos, costumo indicar desenhos geométricos, paisagens e até mesmo até fotos inusitadas”, explica Daiane, que faz a curadoria das obras para seus clientes.

Quando já se tem um acervo de peças, a profissional recomenda a troca das molduras. Para inovar ainda mais, novos quadros podem ser adicionados, resultando em uma composição que faz muito bem para o projeto. 

 2. Onde colocar 

De acordo com Daiane, quadros podem ser utilizados em qualquer ambiente, desde salas de estar, jantar, dormitórios, banheiros e, até mesmo, aquele cantinho embaixo da escada. “Gosto muito também de aplicar obras em corredores, já que normalmente não contam com móveis, que atrapalham a circulação”, conta.


Para evitar furos na parede, a fita dupla face é uma boa opção. Todavia, deve ser desconsiderada para quadros compostos por molduras pesadas ou com vidro.

A profissional também diz que é possível expor quadros sem a necessidade de pendurar. “Peças apoiadas em móveis ou no piso permitem uma decoração moderna e sofisticada, além de não correr o risco de danificar a parede”, explica.

3. Posicionamento 


É importante pensar numa altura pré-estabelecida – normalmente de 1,60 m – contando do chão até o centro do quadro. “Esta medida não é obrigatória, mas indica uma posição correta para que a maioria das pessoas consiga apreciar a obra sem precisar movimentar muito a cabeça – nem para cima, nem para baixo”, ressalta.

A atenção com os móveis também é essencial. Se a peça for colocada na sala, deve-se respeitar, pelo menos, a distância de 25 cm acima do sofá. “A indicação vale também para camas, aparadores, e mesas de jantar. Em escadas, devemos acompanhar a inclinação”, lembra a designer de interiores. 

4. Gallery wall


Gallery wall é uma tendência que agrega uma mistura de quadros com molduras e tamanhos diversos. Para montar, Daiane sugere escolher bons elementos e estudar a proporção de medidas dos quadros que serão utilizados. A montagem pode seguir desde um padrão simétrico, espiral, um mix de variações de estilos de arte, alturas e até mesmo a mescla com outros objetos, como espelhos.

Daiane Antinolfi Arquitetura e Interiores
www.daianeantinolfi.com.br
@daianeantinolfi

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário. Bjs.