Mostrando postagens com marcador Casa. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Casa. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 9 de dezembro de 2019

Por dentro de um sofá Paschoal Ambrosio: Conheça os diferenciais de um ateliê de alta costura para estofados

Com sete décadas de tradição na confecção de estofados de qualidade, a Paschoal Ambrosio explica quais são os benefícios de escolher um sofá “sob medida”Projeto contemporâneo e repleto de conforto do escritório Zize Zink Arquitetura, com sofá modular da Paschoal Ambrosio.

(Crédito da Imagem: Cacá Bratke).

Hoje em dia é cada vez maior a procura por móveis exclusivos e de personalidade, que atendam às necessidades específicas de cada cliente ou projeto, na contramão das padronagens industriais. Por isso, nada melhor que receber orientações de uma empresa de tapeçaria artesanal, com expertise desde 1947, para contribuir na escolha do modelo perfeito. A Paschoal Ambrosio, que representa a alta costura do décor, revela como o seu processo de fabricação pode fazer totalmente a diferença na vida das pessoas.

Modelos de sofás da Paschoal Ambrosio - Do clássico ao contemporâneo

Cuidado em cada detalhe

A família Ambrosio, que já está em sua terceira geração, ficou conhecida pela excelência na fabricação de estofados. O segredo do sucesso durante tantos anos está exatamente no cuidado máximo em cada detalhe, como a utilização de madeiras de primeira linha, tratadas e certificadas na estrutura; plumas de ganso esterilizadas nos enchimentos; grande variedade de tecidos; além de espumas de boa procedência com diferentes densidades. E, o melhor: tudo isso passado de geração em geração e, também, ensinado por funcionários antigos.

Modelos Atemporais

A moda e o décor são dinâmicos e vivem de tendências que vem e vão. Ótimos exemplos são os modelos de sofás mais arredondados, com tecidos como veludo e shantung, febre nos anos 50, e voltaram com tudo nos últimos tempos. Sendo assim, o gosto pessoal de cada pessoa tem que prevalecer e a empresa precisa estar preparada para receber todos os tipos de pedidos – dos clássicos aos contemporâneos. Portanto, na Paschoal Ambrosio, as peças tornam-se atemporais, pois quem faz a moda é o cliente.


Da esq. Para a dir. Sofás arredondados, tendência dos anos 50 que voltou à decoração; e estofados retos e modulares, mais contemporâneos; cada um com seu charme
 
Formas e Medidas Diferenciadas

Cada pessoa tem sua particularidade em relação à altura, peso, faixa etária, questões de saúde e ergonomia, o que requer uma atenção especial. Nesse sentido, o cliente poderá ficar despreocupado na Paschoal Ambrosio, pois terá um estofado com comprimento, altura e densidade de acordo com suas reais necessidades, ou seja, sob medida. Materiais como molas, percintas e espumas são usadas e trabalhadas com muito zelo.

Acompanhamento

Logo que um novo cliente chega, a equipe da Paschoal Ambrosio faz uma série de perguntas com o intuito de conhecer os gostos e necessidades pessoais. Depois disso, graças à tecnologia, é possível acompanhar o passo a passo do processo de fabricação do estofado. E, por fim, realizar os últimos testes antes do tecido ser aplicado (momento em que a peça está apenas revestida com a espuma), para ter a certeza de que o resultado final será satisfatório. Ainda tem mais: A Paschoal Ambrosio também realiza pequenos consertos e manutenções, para que a peça possa durar a vida toda.

Olho no olho

A proximidade nas relações é uma das características mais importantes da empresa, fato que faz muita gente voltar, pois teve um serviço de qualidade aliado à atenção de toda a equipe. Isso pode ser comprovado com muitas histórias de clientes, que fazem questão de dar um abraço na família Ambrosio, sempre que passam nas proximidades do ateliê, no bairro do Bexiga.

Filosofia

“A produção artesanal tem o dom de criar peças únicas e especiais. Afinal, o que pode ser belo e confortável para uma pessoa, pode não ser para a outra. Neste ateliê de alta costura dos estofados, nós conseguimos concretizar o sonho de forma individual”, afirma Luiz Ambrosio.

Sobre a empresa Paschoal Ambrosio

Criada pelo italiano Paschoal Ambrosio, no ano de 1947, o diferencial da marca consiste no serviço premium que oferece, ou seja, na construção de móveis estofados feitos sob medida, uma “tapeçaria boutique” que prima pela qualidade e experiência do cliente. Entre as peças confeccionadas estão sofás, poltronas, cadeiras, pufes, cabeceiras e chaises, em que há enorme cuidado com os detalhes e os acabamentos.

O ateliê, no coração do bairro do Bixiga, atravessou gerações, se modernizou e seguiu as tendências do mercado, sem nunca esquecer da sua essência. Fiori, filho de Paschoal, herdou o talento do pai e deu prosseguimento ao trabalho com excelência. Os netos Camila e Luiz Ambrosio, que hoje lideram a empresa, têm a missão de levar o DNA de sucesso para as próximas décadas.

Serviço:
Paschoal Ambrosio
Rua Major Diogo, 751, Bela Vista – São Paulo
Telefone: 11 3105 6639
www.paschoalambrosio.com.br
@paschoal_ambrosio

segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

Pietro Terlizzi ressalta a importância de entender as etapas de um projeto de arquitetura.

Desde a primeira conversa com o cliente até o projeto executivo, o trabalho do profissional de arquitetura passa por diversas fases.

Projeto: Pietro Terlizzi Arquitetura. 

Quando o morador contrata um arquiteto, nem sempre ele conhece todos os processos que um projeto de arquitetura envolve. Desde a primeira conversa com o cliente até o projeto executivo, o trabalho do profissional passa por diversas etapas. O arquiteto Pietro Terlizzi, à frente do escritório que leva seu nome, esmiúça os sete passos de um projeto de arquitetura.

1. Briefing

A primeira etapa de um projeto de arquitetura ou de interiores é uma entrevista com o cliente, a partir da qual se estabelece o programa de necessidades, ou briefing. Nesse momento inicial, o arquiteto reúne o maior número de informações possível sobre as expectativas do contratante e o que ele precisa, como a quantidade de ambientes e o número de pessoas que vão usar o espaço. O briefing também é importante para fechar o contrato com os valores e prazos de duração do projeto.

2. Estudo do local

A seguir, o arquiteto faz um levantamento de dados, como metragem, níveis, condições topográficas e ambientais, para verificar se o terreno está apto a receber a construção. Nas visitas ao local, o profissional também estuda a orientação solar para garantir o conforto térmico da obra, definir aberturas como portas e janelas, e a posição da piscina, por exemplo. No caso de edificações prontas, essa etapa permite avaliar características gerais da rua e dos imóveis vizinhos.


3. Estudo de viabilidade

O passo seguinte é o estudo de viabilidade, em que o arquiteto analisa se o projeto ficará de acordo com o Plano Diretor e o Código de Obras da Cidade.

“Para a construção do zero, é necessário o levantamento topográfico do terreno, orientação solar, além de coleta de dados e das diretrizes da Prefeitura, para então começar os desenhos de projeto”, resume o arquiteto Pietro Terlizzi.

4. Estudo preliminar

Nessa fase, o projeto começa de fato a ganhar forma. Croquis, plantas baixas, imagens 3D e outras representações da construção nascem no estudo preliminar. “Na apresentação das imagens em 3D, o cliente já consegue visualizar como o projeto ficará na íntegra”, conta o profissional.

5. Anteprojeto

O anteprojeto é uma etapa de aprofundamento, em que o profissional define aspectos mais técnicos da obra para assegurar um bom projeto executivo, que é a última fase.

6. Projeto legal

É o projeto de aprovação enviado à Prefeitura para avaliar se está de acordo com as normas do município e para que a construção seja autorizada. Reformas de interior de apartamentos, casas ou lojas, por exemplo, não necessitam de aprovação da Prefeitura.

No caso de apartamentos, contudo, é preciso ter a validação do condomínio. “A reforma em apartamentos leva em consideração as plantas originais da construtora. Além disso, é preciso avaliar junto ao condomínio as permissões previstas em assembleias condominiais para fechamento de varanda e alteração de fachada, por exemplo”, esclarece o arquiteto.

7. Projeto executivo

“A partir disso, seguimos as mesmas etapas tanto para um projeto de arquitetura quanto para um de interiores, com os projetos de civil (elétrica, hidráulica, forro, luminotécnica, gás e dutos de ar condicionado), especificação de revestimentos e pintura, projetos de marcenaria, marmoraria, e todos os detalhamentos que forem necessários para compor o projeto”, explica Pietro.

O projeto executivo, que é o projeto “final”, reúne as plantas que vão para o canteiro de obras, além de todas as especificações e documentos necessários para iniciar a obra. Nele, o arquiteto detalha os materiais, medidas, pontos de hidráulica e de iluminação, como um guia para quem vai executar o projeto. Muitos escritórios de arquitetura também oferecem o serviço de acompanhamento de obras, dando suporte ao cliente em todo o processo.

Essas sete etapas de um projeto de arquitetura são o padrão, mas podem variar dependendo do tipo do projeto e do cronograma de trabalho de cada escritório ou profissional. “No nosso escritório, em obras de apartamentos, costumamos seguir os seguintes passos: entrevista com o cliente, estudo preliminar, produção de imagens em 3D, projetos de execução, obra e decoração”, exemplifica Pietro.

Sobre Pietro Terlizzi

Formado pela FAU Mackenzie em 2009, foi sócio da Arch Stage Projetos por sete anos. O arquiteto abriu seu próprio escritório Pietro Terlizzi Arquitetura e Design em 2016, onde atua em todas as etapas do projeto, desde a elaboração do conceito à execução da obra. Com pouco mais de três anos de história, o escritório assina mais de 30 projetos, entre residências, escritórios e estabelecimentos comerciais, marcados por um estilo moderno, pela presença de materiais rústicos e pela combinação de paletas neutras com toques vibrantes de cor.

Pietro Terlizzi Arquitetura e Design
pietroterlizzi.com.br
@pietro_terlizzi_arquitetura

terça-feira, 26 de novembro de 2019

5 projetos com peças personalizadas para se inspirar.

As arquitetas Carina e Ieda Korman dão exemplos de quando usar móveis, tapetes e luminárias sob medida.

Peças personalizadas têm o potencial de tornar um ambiente único. Além disso, elas podem ser recursos para resolver questões de medidas e necessidades específicas de um projeto. Não só móveis, mas também tapetes e luminárias podem ser customizados sob medida.

Criar peças exclusivas para os projetos já se tornou uma das características do escritório Korman Arquitetos. “Sempre gostamos de incluir móveis e objetos personalizados nas propostas para os clientes. Essas peças dão um diferencial a cada projeto”, conta a arquiteta Carina Korman. “Em algumas situações é necessário desenhar esses itens, por não encontrarmos no tamanho ou do estilo que queremos”, continua.

A grande vantagem de personalizar é que a peça fica exatamente com as medidas e com o design imaginados, além de aproveitar melhor a área disponível do ambiente. Em relação ao custo, varia muito de acordo com cada objeto. “Algumas saem mais caras, outras mais baratas do que um item pronto. Depende muito dos acabamentos que escolhemos”, explica a arquiteta.

Veja cinco projetos inspiradores do Korman Arquitetos com peças sob medida:

Ergonomia e elegância

Projeto: Korman Arquitetos | Foto: Gui Morelli

Os sofás desta sala de estar foram projetados pelo escritório com maior profundidade, de 1,20 m. O objetivo foi oferecer mais conforto e ergonomia para a família, já que todas as pessoas são altas. “Queríamos abajures que partissem do teto e fossem bem elegantes, por isso também desenhamos as cúpulas com cristais de murano”, lembra Carina.

Toque rústico

Projeto: Korman Arquitetos | Foto: Gui Morelli

Para a área gourmet na varanda, as arquitetas Carina e Ieda Korman queriam uma peça moderna e que ao mesmo tempo tivesse um elemento rústico. Elas desenharam o móvel com um design leve e tampo branco, apoiado no tronco de madeira.

Feita para caber

Projeto: Korman Arquitetos | Foto: Gui Morelli

Apesar de espaçosa, a sala de estar é estreita e a arquiteta Ieda Korman não encontrou uma mesa de centro pronta que funcionasse bem no espaço. Ela criou o design do móvel especialmente para o ambiente, em acrílico e madeira, medindo 1,80 m x 0,50 m. “A base transparente dá a impressão de que o tronco está flutuando”, comenta Ieda.

Estampas orgânicas

Projeto: Korman Arquitetos | Foto: Gui Morelli

Este projeto pedia um tapete bem grande para unir os dois ambientes da sala de estar. Os desenhos orgânicos nos tons de marrom e bege, que as arquitetas desenvolveram para a peça, cumprem essa função. “Adoramos criar estampas diferentes para tapetes. São peças que chamam bastante atenção e podem mudar completamente um espaço”, diz Carina.

Dois em um

Projeto: Korman Arquitetos | Foto: Gui Morelli

A luminária ficaria posicionada sobre o espelho do banheiro, então as arquitetas não queriam que uma segunda peça também fosse instalada ali. “Desenhamos a arandela com toalheiro, pois sentíamos falta de uma peça com essas duas utilidades. Acabou ficando super charmoso”, explica Carina. 

Sobre a Korman Arquitetos

Korman Arquitetos é mais que um escritório. Representa a geração de arquitetos que levam a marca dos projetos assinados há mais de 35 anos. Formado pelo casal Silvio e Ieda Korman, hoje tem na equipe a força de Carina Korman e, em equipe, assinam projetos residenciais, comerciais e de hotelaria – tanto no Brasil, como também no exterior.
Korman Arquitetos
Rua Groelândia, 1877, Jardim América, São Paulo
Tel.: (11) 3060-8313
www.kormanarquitetos.com.br
@kormanarquitetos

quarta-feira, 11 de setembro de 2019

Arquiteta Ieda Korman orienta sobre como usar pedras naturais na decoração e explica a diferença entre a matéria-prima e outros materiais.

Revestimentos como o mármore e o granito unem praticidade, resistência e durabilidade em uma aparência única.

Living com piso de mármore Sivec

Projeto: Korman Arquitetos | Fotos: Gui Morelli

As pedras naturais, como o mármore e o granito, são revestimentos capazes de unir praticidade, resistência e durabilidade a uma estética ímpar. Não por acaso, esses materiais são usados em pisos, paredes, bancadas e até móveis em diversos ambientes da casa. “A pedra natural é um elemento nobre, eterno e único, além de higiênico. Quando um bloco é fatiado, seus veios ou desenhos não serão repetidos em outro, o que significa que este acabamento nunca será igual em outra residência”, explica a arquiteta Ieda Korman, do escritório Korman Arquitetos.

Apesar de suas vantagens, muitas pessoas ficam em dúvida se vale a pena investir nas pedras para a decoração. Para ajudar na escolha, Ieda compartilha orientações e explica as principais diferenças entre as pedras e outros tipos de acabamentos. Confira:

Defina as necessidades do espaço


Na área social deste apartamento, o mármore Sivec reveste o piso, pois a moradora queria um acabamento nobre, fácil de limpar e neutro na decoração. Já o mármore Calacata Gold, com seus veios dourados, aparece para formar a parede e as prateleiras da estante, mostrando a versatilidade do material.

Pensar detalhadamente em como cada espaço da casa será usado é o primeiro passo para a seleção dos materiais. “Em acabamentos não há ganhos ou perdas, mas sim a necessidade de cada ambiente. Por exemplo, colocar mármore em uma parede de área de serviço será um desperdício. Já em uma sala de estar ou em um hall, a pedra será mais adequada, uma vez que seus veios e sua beleza proporcionam nobreza ao ambiente”, orienta a arquiteta. Por remeter a um décor mais sofisticado, também é importante pensar se o material combina com o conjunto.

Pedra x cerâmica – vantagens e desvantagens


O mármore Sivec usado no piso da área social se estende até o banheiro e o lavabo. No primeiro, o material reveste também as paredes e a banheira. Já no lavabo, o mármore Calacata compõe a parede com a bacia suspensa e a pia esculpida.

A principal diferença entre a pedra e os revestimentos cerâmicos é simples: enquanto a primeira tem uma aparência única, a outra tem um padrão repetido industrialmente. Outra distinção se refere à paginação dos revestimentos. “A pedra pode ser paginada, isto é, pode ser cortada em tamanhos que se enquadrem corretamente no ambiente, como também a distribuição dos veios ser em sequência. Já a cerâmica não oferece essa possibilidade”, aponta Ieda. Entre as vantagens da cerâmica estão o custo mais baixo e a colocação mais rápida. O preço da pedra é mais alto e varia de acordo com a qualidade e a raridade do material, mas a manutenção é praticamente zero.

Pedra x efeito pedra no papel de parede


O escritório usou o granito Café Imperial na bancada da cozinha, uma vez que a pedra tem duas características fundamentais para essa superfície: pode ser usada em áreas molhadas e é resistente ao calor.

Por ser um elemento com função decorativa, o papel de parede com características de pedra também pode ser colocado em ambientes nobres da casa, como hall de entrada, salas e quartos. Mas esse material sempre deve ser colocado em paredes que tenham massa corrida com pelo menos uma demão de tinta, além de seu uso ser aconselhado apenas em áreas internas que não tenham umidade. Já as pedras são instaladas em superfícies cimentadas com argamassa e podem compor projetos de áreas molhadas, como banheiros e cozinhas.

Sobre a Korman Arquitetos: Korman Arquitetos é mais que um escritório. Representa a geração de arquitetos que levam a marca dos projetos assinados há mais de 35 anos. Formado pelo casal Silvio e Ieda Korman, hoje tem na equipe a força de Carina Korman e, em equipe, assinam projetos residenciais, comerciais e de hotelaria – tanto no Brasil, como também no exterior.

Korman Arquitetos
Rua Groelândia, 1877, Jardim América, São Paulo
Tel.: (11) 3060-8313
www.kormanarquitetos.com.br
@kormanarquitetos


quinta-feira, 8 de agosto de 2019

Galeria Pace abre nova flagship na 540 West 25th Street em Nova York em setembro.

A Pace Gallery tem o prazer de anunciar que abrirá sua nova galeria em Nova York em setembro de 2019. Localizada no coração do bairro de Chelsea, em Manhattan, na 540 West 25th Street, a nova sede global da Pace está sendo desenvolvida pela Weinberg Properties e projetada pela Bonetti / A Kozerski Architecture, em estreita colaboração com o Presidente e CEO da Pace, Marc Glimcher. Abrangendo oito andares e medindo aproximadamente 75.000 pés quadrados, o edifício foi projetado como um espaço integrado e dinâmico para artistas, colecionadores, curadores, galeristas e a equipe internacional de Pace, para se reunir e se envolver com o trabalho dos principais artistas aquele Pace tem a honra de representar. 

Com uma visão astuta para o futuro do modelo de galeria de arte, o novo edifício une os papéis multifacetados e em evolução da galeria sob o mesmo teto - abrangendo extensas galerias de exposições internas e externas; uma biblioteca de pesquisa de 10.000 volumes; uma área de armazenamento de arte aberta; e um espaço de 2.200 metros quadrados dedicado a novos trabalhos de mídia, performance e programação pública. A inauguração do novo prédio no outono de 2019 será um marco importante na história da galeria, quando embarcar em seu 60º aniversário em 2020.


“Projetar este novo edifício ao lado da Bonetti / Kozerski e da Weinberg Properties deu à nossa equipe na Pace a oportunidade de abordar, com novos olhos, a questão do que significa ser uma galeria de arte no século 21”, disse Glimcher. “Isso nos permitiu ter uma visão diferenciada dos fundamentos do que fazemos, onde acreditamos que o mundo da arte está se dirigindo e como podemos criar um espaço que nos capacitará a continuar a servir nossos artistas e nossa comunidade em toda a extensão. de nossas habilidades e ambições. Cada elemento deste novo edifício - da biblioteca de pesquisa do primeiro andar, à galeria do terraço ao ar livre do sexto andar, ao espaço flexível de programação e desempenho do sétimo andar - foi moldado para nos permitir contar as histórias inspiradoras de nossos artistas de forma dinâmica e rica. eles merecem ser contados. Esse é um imenso privilégio que não tomamos de ânimo leve e vemos esse novo prédio não como um fim em si mesmo, mas como um catalisador para inovação e evolução contínuas como uma galeria ”.

Samuel G. Weinberg, presidente/CEO da Weinberg Properties, diz: “A Weinberg Properties e a Pace tiveram o prazer de mais de 20 anos de relacionamento no distrito de Artes do Chelsea. Estamos entusiasmados com o fato de a Bonetti / Kozerski Architecture ter ajudado a dar vida à nossa visão e ideias para este edifício. Como proprietários e desenvolvedores do projeto, sentimos que criamos algo realmente único e especial para o Pace que nunca foi visto antes. Somos fortes defensores do mercado do Chelsea, pois temos outro site de desenvolvimento no horizonte. Estamos extremamente orgulhosos e empolgados com a inauguração da nova galeria principal da Pace em nosso prédio e para poder continuar nosso longo relacionamento com eles ”.

Mais do que dobrar o atual espaço de exposição da Pace em Nova York, o novo prédio possui quatro galerias distintas, medindo um total de 16.500 pés quadrados, incluindo espaços internos e externos. Todos os espaços expositivos permitem uma ampla gama de estilos de instalação e mídia artística, com recursos como um design totalmente livre de colunas, altas capacidades de carga e planos de iluminação flexíveis, criando galerias extraordinariamente ágeis que podem suportar uma abordagem diversificada à programação de exposições. A maior galeria ocupa o piso térreo, abrangendo 3.600 pés quadrados com tetos de 18 pés, bem como uma porta pivotante de vidro que se abre diretamente para a rua. O térreo também possui a biblioteca de pesquisa da galeria. Aberta ao público com hora marcada, a biblioteca de pesquisa não só incluirá grande parte dos acervos de publicação da galeria, mas também uma área de exibição para exibir os ricos materiais de arquivamento da galeria em complemento às exibições exibidas.

Com a Weinberg Properties e a Pace Gallery usando a arquitetura Bonetti / Kozerski para a construção e design de interiores do novo prédio, o processo tem sido colaborativo, integrado e eficiente do começo ao fim - permitindo que todos os elementos do edifício reflitam e reforcem as distintas necessidades de programação e visão da galeria. Com o objetivo de obter uma Certificação Prata LEED, o edifício de 35 metros de altura foi projetado com considerações de impacto ambiental. O exterior do edifício possui pedra vulcânica até o sexto andar de sua fachada norte e espuma de alumínio nos outros três lados. A construção do invólucro do edifício utilizou um sistema “mega-panel” fabricado sob medida, que permitiu um processo de instalação eficiente no local - com todo o período de construção de dois anos. Ambos os painéis de fachadas de pedra vulcânica e os painéis laterais de alumínio foram pré-montados sob condições precisas de fábrica, resultando em controle de alta qualidade e desempenho para fatores de barreira térmica, acústica e de água em comparação com a metodologia tradicional de construção de campo.

A iluminação de todo o edifício foi projetada em colaboração com Arnold Chan, da Isometrix Lighting Design, com sede em Londres, um dos principais designers de iluminação do mundo para galerias e museus. Guiado pela necessidade da galeria de opções de iluminação totalmente personalizáveis, o esquema funde a luz natural e artificial para criar ambientes de iluminação distintos em todo o edifício. As luminárias ocultas fornecem luz ambiente que pode ser ajustada em termos de intensidade e temperatura de cor. Isso é combinado com um sistema sofisticado de iluminação spot e flood que é ajustável dentro dos mesmos parâmetros, permitindo um nível extremamente alto de flexibilidade e personalização de acordo com os requisitos da arte em exibição.

Nos próximos meses, Pace estará compartilhando notícias sobre sua temporada inaugural de exposições, programação e comissões especiais de artistas que antecederam a abertura de setembro de 2019. A partir do verão de 2019, a Pace não ocupará mais a 537 West 24th Street, mas continuará a operar em seus atuais espaços de exposição na 510 West 25th Street e 32 East 57th Street. A programação da exposição em todo o novo edifício também abrangerá os programas da Galeria Pace / MacGill e Pace African and Oceanic Art.

segunda-feira, 5 de agosto de 2019

Jardim Tropical exibe variedade de espécies e atmosfera relax, com projeto de Luciano Zanardo.

A piscina, grande estrela do espaço, está rodeada de árvores como a Ravenala de Madagascar, as Alpínias, a Pitangueira e Jabuticabeira. (Fotos Alan Teixeira)

Um jardim harmonioso tem o poder de transformar a residência num espaço de relaxamento e contemplação. Esse foi o desejo dos moradores de um condomínio fechado em Cotia, um casal de empresários com três filhos pequenos, que buscava o conceito de viver bem, mesmo com a rotina corrida. Afinal, a cidade faz parte da região metropolitana de São Paulo. Especialmente para atender esse pedido, o paisagista Luciano Zanardo, do escritório Zanardo Paisagismo, planejou cuidadosamente um jardim tropical de estilo contemporâneo. Seu objetivo foi criar áreas de destaque, por meio de diferentes tipos de plantas, criando, assim, um contraste entre as paredes com cores mais neutras.


Fachada da residência com espécies como Agave Americana e Guaimbé.

A exuberância do jardim já começa a ser percebida logo na entrada da casa. No canteiro é possível ver algumas unidades de Agaves Americanas, com grandes folhas azuladas, que estão localizadas entre duas esferas de concreto. Outra planta que pode ser apreciada é o Guaimbé, que aparece ao lado da escada. No hall de entrada, há a presença do Capim do Texas Verde, que recebe os visitantes, além de um pergolado, que está coberto com a espécie conhecida popularmente como sapatinho de judia, que proporciona um lindo efeito visual.

Da esq. para a dir. Trio de Ravenalas de Madagascar garante a privacidade; Bromélias e Estrelítzias embelezam o visual próximo à piscina.

No jardim foram utilizadas várias plantas tropicais. Entre os destaques está o trio de Ravenalas de Madagascar, conhecida como a “Arvore do Viajante, que têm em média 3 metros de altura e folhas abertas em formato de leque. Além de valorizar o projeto, também garante privacidade à família, impedindo que os vizinhos possam visualizar a piscina.  O projeto paisagístico de Zanardo inclui também um canteiro com bromélias, além da ornamental Estrelítzia Branca. Uma alternativa interessante contribuiu para dar vida ao imenso muro da casa. A partir do plantio de grande quantidade da espécie Alpínia Variegata, criou-se uma fileira verde repleta de encanto.

Da esq. para a dir. Muro do jardim coberto de Alpínias; Espaço Gourmet com Bálsamo (vasos no chão) e Bromélias (em cima da mesa).

Por fim, uma charmosa área gourmet verde é responsável por eventos entre jardim e piscina, para que os moradores possam receber amigos e familiares, para refeições ou confraternizações. Assim, como nos demais espaços, há uma grande presença de plantas tais como o Bálsamo e as Bromélias.

Sobre Zanardo Paisagismo: Luciano Zanardo, que comanda a Zanardo Paisagismo, atua no mercado de paisagismo corporativo e residencial, cuidando pessoalmente de cada projeto, imprimindo seu toque em todas as suas obras. A paixão pelo paisagismo surgiu quando cursou Biologia em Bauru no interior de São Paulo. Já na capital paulista, estudou na Escola Panamericana de Artes e no IBRAP (Instituto Brasileiro de Paisagismo), onde aperfeiçoou seus conhecimentos na área. Atualmente, seu escritório conta com uma equipe altamente qualificada de profissionais e também parceiros nas áreas de arquitetura e design de interiores, oferecendo estrutura necessária para garantir a qualidade de cada projeto executado.

Zanardo Paisagismo
Tel. (11) 98888-6618
www.zanardopaisagismo.com.br
@zanardopaisagismo

quarta-feira, 24 de julho de 2019

Estilo atemporal e sofisticado imprime essência do projeto de reforma realizada pelas profissionais do Estúdio Cipó.

A decisão pela segunda morada vem acompanhada pelos novos desejos – muitos deles frutos dos sonhos não realizados no primeiro projeto. Essa essência norteou o jovem casal quando escolheu o apartamento de 332m², localizado em Pinheiros, bairro da capital paulista. Além da amplitude da planta – que permite a oportunidade de receber amigos em casa –, a vista incrível para o skyline da cidade e a quadra de tênis – paixão do morador que foi transmitida também para a esposa – foram decisivos iniciar o projeto de uma nova etapa da vida a dois.

Integração de living e sala de jantar / Foto: Julia Ribeiro

Coube ao escritório Estúdio Cipó, da arquiteta Fernanda Angelo e a designer de interiores Elisa Meirelles, a responsabilidade de apurar os gostos e sonhos do casal para torná-los em realidade. Como conceito, um projeto de estilo atemporal e com toques de sofisticação. “Uma paleta de cores neutras, tons frios, um toque de cinza e tons escuros de madeira”, revela Fernanda.


O primeiro desafio foi entender a dinâmica dos moradores para transmiti-la no apartamento. Sendo assim, como criar um ambiente perfeito para um casal que ama receber os amigos e a família em casa? A solução foi buscar a integração dos espaços que compõem a área social. 

Ao entrar no imóvel, é possível perceber um padrão bem marcado. Logo na entrada, o painel em madeira Nogueira chama a atenção pela beleza de sua cor e a solução projetada pelo Estúdio Cipó, que escondeu as portas de entrada do lavabo e da cozinha em um formato em ‘Z’.


Living e sala de jantar seguem o conceito de integração e receberam um décor que traduz a personalidade dos moradores. No mobiliário, a combinação entre o clássico e o contemporâneo: o confortável sofá branco unifica-se com o tom escuro das poltronas estilo Luis XV e o cinza da banco de Jader Almeida. Para a mesa de centro, a arquiteta Fernanda elegeu o vidro apoiado em estrutura de ferro e realçada por objetos como o murano. O conjunto todo transmite a sensação de harmonia e bem-estar para os convidados recebidos pelos moradores.


Seguindo o equilíbrio simétrico concebido dentro de uma paleta de cores neutras, a mesa em vidro, acompanhada por oito cadeiras revestidas em tecido, foi a peça eleita e evidenciada pelo lustre de cristal. O painel de Nogueira estendeu-se para dar vida ao móvel projetado pelo Estúdio Cipó: a bancada revestida em mármore Nero Marquina recebe o bar e os armários na parte inferior abrigam as louças.


O cantinho da leitura, por sua vez, inclui uma belíssima poltrona de couro, posicionada com uma visão privilegiada para o living e jantar. Ao lado, a estante em madeira com nichos foi desenhada para organizar livros e objetos decorativos.

Como extensão do prazer de receber em casa, a varanda foi incorporada ao espaço social com o nivelamento do piso e a disposição dos caixilhos originais foi modificada na comparação com a planta original.  Despojado, o espaço gourmet recebeu uma churrasqueira com uma bancada em mármore negro. As banquetas com revestimento em palhinha permitem que os convidados possam participar do processo de preparação. Na continuidade, uma sala de almoço, com uma mesa redonda para seis lugares, foi trazida para recepcionar os descontraídos encontros nas refeições aos finais de semana.


Para curtir a vista que tanto encantou o casal, a sala de estar da varanda traz consigo a combinação de tons cinzas, presente no sofá e nas poltronas, com o ponto de cor dedicado para as tonalidades terrosas das almofadas. O design nacional marca presença com as poltronas Diz, do aclamado designer brasileiro Sergio Rodrigues, acompanhadas pela mesa de centro, em mármore esculpido, e desenhada pela arquiteta do Estúdio Cipó. Pensando nos dias frios, uma lareira foi posicionada para curtir o inverno na companhia de um bom vinho e boas conversas.



Com uma essência intimista, a sala de TV, separada do living por meio da porta de correr embutida no drywall, alçou o status de ambiente mais acolhedor do apartamento e tornou-se um dos ambientes prediletos da casa. No home theater, a marcenaria cinza recebe a TV e os equipamentos. O sofá ‘abraça’ os moradores quando decidem assistir seus filmes e séries preferidos. Foi aqui que o décor posicionou um dos móveis com memória afetiva: a poltrona preta, que pertencia ao avô do marido, e acompanha o casal desde o apartamento anterior.

Para a cozinha, o estilo atemporal trouxe cores neutras. Executada pela Ornare, a marcenaria trouxe móveis brancos e portas sem puxadores aparentes e a bancada, em granito preto absoluto segue o formato de ‘L’ em uma extensão que serve como apoio no preparo de alimentos e mesa para refeições rápidas.


No quarto do casal, elegância e elementos contemporâneos. Para compor estes efeitos, o papel de parede cinza e a cabeceira em madeira Pau Ferro foram os elementos principais. Ao lado da cama, dois criados-mudos espelhados ajudam a compor a mescla entre o moderno e sofisticado.

Um dos quartos existentes no projeto original foi incorporado para receber o closet do casal. No banheiro, o projeto preservou o revestimento original e evidenciou o mármore Carrara. A bancada com duas cubas é essencial para o dia a dia do casal.

Com um viés de tecnologia, o apartamento conta com projeto luminotécnico dimerizado e sistema de automação – tanto da luz, do som e de alguns equipamentos, trazendo mais facilidade no cotidiano.

Sobre o Estúdio Cipó: Inaugurado há dois anos, o Estúdio Cipó é fruto da parceria entre a arquiteta Fernanda Angelo e a designer de interiores Elisa Meirelles. Depois de seguirem trajetórias individuais, as profissionais reuniram suas expertises na produção de projetos de arquitetura e interiores, além de uma outra grande paixão: a produção do design de móveis, composto por peças modernas e funcionais executadas em madeira – matéria-prima considerada uma paixão por Fernanda e Elisa. À frente das etapas de projeto, planejamento e execução, a dupla busca na beleza da arte e arquitetura a inspiração e os elementos para compor os projetos residenciais que assinam. “A harmonia dos elementos atua diretamente na missão de transformar o morar e trazer felicidade na vida das pessoas. Isso nos motiva”, afirmam.

www.estudiocipo.com.br
@estudiocipo
Rua Piacá, 37  – Alto de Pinheiros – São Paulo – SP
Fone: (11) 3798-9148


sexta-feira, 14 de junho de 2019

Conheça a Lite, a casa modular de Duda Porto na 33ª CASACOR São Paulo.

Construída em apenas 40 dias, a construção é nômade e autossuficiente, prezando pelos conceitos de inovação e sustentabilidade.

Valorizar o essencial é o que procurou o arquiteto, urbanista e empreendedor carioca Duda Porto, do escritório Duda Porto Arquitetura, em sua casa Lite, durante a 33ª edição da CASACOR São Paulo. Em sua segunda participação na maior mostra de arquitetura nacional, Duda projetou uma casa com 190 m² de área total, executada em apenas 40 dias. É uma construção autossuficiente, modular e sustentável, de execução limpa e rápida. “A casa Lite nasceu da busca por menos excesso e mais essência. Acreditamos que a moradia é um ponto de encontro no movimento constante da vida. Um palco para a nossas relações com a natureza e com quem amamos”, afirma Duda.

Foto: Denilson Machado

Desenvolvido pelo profissional em 2013, o sistema Lite se baseia em uma arquitetura de planejamento e eficiência, em que cada detalhe é pensado para o melhor aproveitamento de material, transporte, integração entre o homem, a arquitetura e o espaço a seu redor. 


A ideia é buscar um equilíbrio perfeito entre natureza e habitante, usando de tecnologias e linhas essenciais da arquitetura para criar um lar aconchegante e contemporâneo, com o mínimo impacto ambiental. Apresentada como uma representação dessa ideia, a casa Lite traz um sistema modular que a torna nômade, podendo ser desmontada, transportada e remontada em qualquer lugar.


Com uma mente inquieta em busca novas soluções, Duda afirma que esse sistema surgiu como uma solução para um novo jeito de morar. “Hoje, nos voltamos um pouco para o passado, com a ideia do nomadismo. As casas devem se adaptar às diferentes etapas da vida, sendo essencialmente flexíveis, sustentáveis e móveis”, explica.

Arquitetura

A casa Lite foi desenvolvida com a premissa de flexibilidade. Sua planta compreende um quarto, mas pode agregar até quatro deles, dependendo do desejo e tamanho da família, além de permitir a expansão da cozinha. A casa é toda feita com estrutura metálica, de steel frame, que dispensa a concretagem. Isso tornou a obra limpa, com um baixo consumo de água e pouca emissão de poluentes.

O projeto compreende 120 m² de área interna e 70 m² de externa, resultando numa morada toda integrada, onde a disposição do mobiliário cuida de delimitar as funções da casa. Sem barreiras, a casa é perfeita para comunhão e conversas entre amigos e familiares. Os pisos são revestidos com carvalho da Parket e o forro é de madeira, um revestimento único que une todos os espaços e reafirma a ideia de integração e amplitude.



Em seu interior, móveis de design assinado, como os de Jader Almeida, além de peças de lojas como Dpot, Arquivo Contemporâneo e Collectania. Tudo em tons neutros, passeando pelos claros e madeirados, compondo um lar rústico, mas ainda assim muito sofisticado.

O jantar conta com uma mesa para até dez pessoas e a cozinha é toda composta com mobiliário planejado da Ornare. Para receber bem, conta com uma adega (Elettromec) e um pequeno bar.


A estante serve como divisória para a área que abrange o quarto e a lareira (LCZ) traz todo o aconchego para os dias frios. Um pouco mais reservada, a área íntima tem parede de pedra natural (Pedra Lolinha) e a cabeceira (Ornare) aparece para trazer mais aconchego. Ali, uma obra dramática da Galeria Lume desponta como ponto de cor em meio a um ambiente sóbrio, em tons de cinza, preto e off-white.

As grandes esquadrias e portas camarão com muxarabi permitem que o lar seja banhado por luz natural e emolduram o verde do paisagismo assinado pela Landscape.


Na área gourmet externa somos apresentados a mais um conceito modular. Ela é composta apenas por três peças, todas desenhadas por Duda Porto: uma pia, um braseiro e um apoio com armário foram pensados para poderem ser movidos e compostos de outras formas, reconfigurando o ambiente. Ali, o deck de madeira (Monumental) conduz pelo caminho de pedras.





Desmontável, a casa Lite pode ser facilmente transportada para outros terrenos, caso seja o desejo da família – ideia que vai totalmente de encontro com o tema da mostra, Planeta Casa, que compreende o lar como um universo particular de cada indivíduo, onde as mudanças e conexões surgem e transformam o entorno e a comunidade. “Até mesmo a arquitetura da Lite é neutra, pensada para que o proprietário possa viver onde desejar – seja em um cenário urbano, de serra ou praia”, conta Duda Porto. Exemplo disso é sua parede externa de still frame, revestida com pedra Miracema: detalhe charmoso do projeto, ela foi desenvolvida para ser revestida com produtos locais, adaptável de acordo com o destino da casa.

Sustentabilidade


Inteiramente alinhada com o tema da edição, a Lite traz uma arquitetura afetiva e sustentável, com uma obra limpa e com pouco gasto de água. A casa conta ainda com sistema para captação de água pluvial e painéis solares da Vital, que são capazes de suprir boa parte da demanda energética. Sua arquitetura privilegia a ventilação cruzada, diminuindo a necessidade de condicionadores de ar. Como não poderia deixar de ser, todo projeto luminotécnico é de LED e conta com sistema de automação, garantindo conforto e economia. “A sustentabilidade está no essencial. Quando deixamos de construir o que não precisamos, focamos a energia no que é verdadeiramente importante”, afirma Duda. Apresentada durante a CASACOR, a Lite já conta com 20 unidades em negociação.

Serviço: CASACOR SÃO PAULO
Data: 28 de maio a 04 de agosto de 2019
Terça a sábado e feriados, das 12h às 21h
Domingo, das 12h às 20h.
Jockey Club de São Paulo. Av. Lineu de Paula Machado, 1075, São Paulo, SP

Sobre Duda Porto: Arquiteto e Urbanista, Duda Porto segue à frente do seu próprio escritório, Duda Porto Arquitetura, onde dirige uma equipe especializada e dedica-se ao desenvolvimento de projetos de arquitetura, interiores e empreendimentos imobiliários, diversificando entre as áreas residencial, comercial e corporativa.

Com projetos assinados dentro e fora do Brasil, Duda desenvolve uma arquitetura contemporânea, prezando, acima de tudo, pela funcionalidade e conforto. Além do escritório, Duda Porto apresentará durante o evento a Móddulo, empresa que comercializará a Lite e outros produtos arquitetônicos de conceito nômade e modular, como o Grou e Cabanas. Duda lidera, ainda, o desenvolvimento de empreendimentos imobiliários, sendo responsável pelo 1º Condomínio Vinícola no estado do Rio de Janeiro, a ser lançado em breve. Todas essas iniciativas se juntam em um complexo empresarial único, de estrutura física integrada, batizado de Aldeia.

Duda Porto Arquitetura
Av. Ayrton Senna, 2150 - Barra da Tijuca, Rio de Janeiro - RJ
(21) 2431-7001 / (11)  94581-3893
@dudaportoarquitetura

Fornecedores: Arnaldo Danemberg: arnaldodanemberg.com.brArquivo Contemporâneo: arquivocontemporaneo.com.br;Casa Moyses: mmartan.com.br/ca/cama/casa-moyses; Loja 
Casual Móveis: casualmoveis.com.brCeldom: celdom.com.brCodex: codexhome.com.br
Collectania:collectania.com.br;CristianeRodrigues Pedras:  cristianerodrigues.com.brDeca: deca.com.br;Desderio:desderio.com.br;Dimlux:dimlux.com.br;Dpot:dpot.com.brElettromec: elettromec.com.br;Filtrabem:filtrabem.com;GaleriaGabrielWickbold:gabrielwickbold.carbonmade.com;GaleriaLume:galerialume.com/pt/;Guilha:guilha.com.br;Highend: heautomacao.com.br;iBacana:ibacana.com.br;Inovar:lojasinovar.com.br;Interni:interni.com.br/br/;LandscapePaisagismo: landscapejardins.com.brLCZ Lareiras:  lczlareiras.com.brLG:  lg.com/brLili Wood: liliwood.com.brL'oeil: loeil.com.brLogaf: logaf.com.brMarché Art de Vie: marcheartdevie.com.br;MarmorariaButantã:marmorariabutanta.com.brMetalfenas: metalfenas.com.brMonumental: monumentaldobrasil.com.brOrnare: ornare.com/br/Parket:  parket.com.brPedras Lolinha: pedraslolinha.com.brPhenícia: phenicia.com.brRoberta Faustini: robertafaustini.com.brTanto:  tantoarquitetura.com.brVital: vital.eco.br