Mostrando postagens com marcador Décor. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Décor. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

Designer de interiores Giseli Koraicho ensina como escolher a cabeceira ideal para o dormitório.

Com o advento das camas box, os diferentes estilos de cabeceiras, combinado ao décor do ambiente, assumem o protagonismo nos projetos de quartos 

A chegada de um novo ano costuma vir acompanhado do desejo de mudanças em casa. Um novo toque no décor nos ambientes da residência renova a atmosfera do lugar e responde aos anseios do morador.

No dormitório – ambiente tão íntimo e pensado para momentos de relaxamento e descanso – não poderia ser diferente. Entre tantos itens para renovar, você já pensou na cabeceira da cama? Com o advento dos modelos box, que surgiu como uma substituição para as tradicionais camas de madeira com estrado, em um primeiro momento a cabeceira deixou de receber a atenção merecida. Mas pouco tempo depois o item deixou de ser tratado como coadjuvante para ser destaque nos projetos de interiores.

A designer de interiores Giseli Koraicho, do escritório Infinity Spaces, ressalta que a cabeceira exerce inúmeras funções. Além de proporcionar conforto para o morador, que pode, por exemplo, apoiar-se para seus momentos de leitura antes de dormir, a peça alçou o status de acabamento diferenciado para a parede que apoiará a cama. “Nos projetos que realizo, aprecio muito a importância que a cabeceira assume”, afirma a profissional.

Baseada em sua experiência, ela compartilha dicas de como deixar o dormitório ainda mais aconchegante por meio da cabeceira.

1. Como escolher a cabeceira ideal

A designer de interiores explica que o ponto de partida para a decisão está relacionado ao gosto e as expectativas dos moradores. “Se a preferência for pelo conforto em momentos como recostar e assistir um filme, as cabeceiras estofadas são um caminho natural para a execução do projeto”, destaca Giseli.

Todavia, se o cliente destacar o desejo pela praticidade e uma estética arrojada, é possível trabalhar com alternativas como a marcenaria e a serralheria em desenhos exclusivos.

2. Principais modelos

Com um leque de materiais disponíveis no mercado, é possível produzir cabeceiras dos mais diversos estilos. Geralmente, as versões estofadas são revestidas de tecidos – lisos, estampados e xadrez, entre outros, ou o couro, que nas versões legítimo, sintético e ecológico oferecem resistência. É um ótimo apoio para as costas e minimiza o aparecimento de manchas.

Quando a opção for a madeira, a flexibilidade da matéria-prima permite fluir a criatividade através do uso de acabamentos com a laca, trazendo um efeito moderno ao ambiente. O uso de madeiras de demolição para alcançar um efeito rústico, a madeira trabalhada, também conhecida como entalhada, que permite criar os mais variados desenhos no material, ou o estilo moderno, que pode ser combinado como outros elementos como espelho e metal, por exemplo.

Em situações com verbas mais restritas, Giseli Koraicho dá uma sugestão bem especial. “Uma dica é delimitar a área de descanso com adesivo, pintura ou papel de parede”, destaca.

3. Altura e largura ideais

Sobre as medidas, Giseli responde que não existe uma regra determinada, mas sim alguns parâmetros devem ser considerados. No caso da largura, a cabeceira pode acompanhar a dimensão completa da parede ou ficar delimitada ao tamanho da cama. “Nessa coerência, o que não pode acontecer é trabalhar com uma cabeceira inferior à largura da cama”, alerta.

Quando se trata de altura, não existe limitações. Todavia, a recomendação é que a cabeceira ofereça o apoio completo para as costas quando o morador estiver sentado.

Algumas propostas da profissional:

Projeto Infinity Spaces | Foto Eder Bruscagin

A cabeceira estofada, que vai de uma parede a outra, se integra à parede revestida com espelho. Além de dar um melhor acabamento para a composição, a escolha criou a sensação de amplitude no ambiente. Na decoração, os tons neutros deixaram o espaço sofisticado e aconchegante para o casal.

Projeto Infinity Spaces | Foto Eder Bruscagin

Quando se trata de um quarto infantil, deixar a imaginação fluir é um caminho para ingressar no universo dos pequenos. Aqui, a cabeceira trouxe uma proposta lúdica, com o formato de casinha, e tem a cor favorita da menina, o rosa. Sua extensão, superior ao tamanho da cama, foi proposital: ao pintar o painel de MDF com tinta lousa, Giseli tornou o canto ideal para brincadeiras.

Projeto Infinity Spaces | Foto Eder Bruscagin

Com a proposta de dormitório sofisticado, a cabeceira de couro foi combinada com o papel de parede escuro. A beleza do material é ressaltada pela iluminação – posicionada na mesinha lateral e na própria cabeceira –, agregando requinte ao quarto.
Projeto Infinity Spaces | Foto Dotta

No quarto projetado em uma casa localizada no litoral de São Paulo, a extensão da cabeceira de madeira faz as vezes de divisória para o banheiro. Além de delimitar os espaços, os elementos vazados oferecem espaço para objetos de decoração. 

Sobre Infinity Spaces Arquitetura e Interiores

Giseli Koraicho, designer de interiores formada pela Panamericana de Arte e Design, à frente da empresa Infinity Spaces, que atua na área de projetos de arquitetura e design de interiores, tem como principal meta tornar sonhos em realidade.

Atuante no mercado residencial e corporativo, Giseli, tem como principal objetivo manter-se sempre atualizada e em constante aprimoramento profissional. Só assim, acredita ela, conseguimos bem atender e superar expectativas. Cada projeto é encarado como único e é sempre um novo desafio - “Nada melhor após a conclusão de um projeto, sentir e comprovar que meu cliente sente-se acolhido no ambiente projetado e, mais do que isso, que sua personalidade está marcada dentro de cada um dos espaços”, diz a profissional que vem atuando no mercado há mais de cinco anos.

No mercado corporativo, Giseli, desenvolveu projetos para grandes empresas do mercado de escritórios, como a Infinity Officing Network (HQ Global Worplaces), que demanda não apenas ambientes personalizados, mas infraestrutura e total capacidade de adaptação de espaços de acordo com cada cliente.

“Escritórios são extensões de nossas residências, por isso o bem estar e a funcionalidade nesses locais devem ser tratados como prioridade na execução de um projeto. Hoje, passamos a maior parte de nosso tempo trabalhando e, por isso, sentir-se bem no seu ambiente de trabalho é essencial.”, acredita Giseli, que mantém seu foco nas necessidades individuais de cada empresa e na personalização de cada projeto corporativo. 

Infinity Spaces Arquitetura e Interiores
Designer de Interiores Giseli Koraicho
(11) 3736-8600
www.infinityspaces.com
@infinityspacesarqdesign


terça-feira, 7 de janeiro de 2020

Paris: um pequeno roteiro para conhecer a cidade.

Impossível após uma viagem para Paris não escrever sobre lugares, sobre bons restaurantes para bons cafés e lugares para procurar coisas de décor na cidade. Como não passar um dia visitando a Torre Eiffel e ir parar num café delicioso numa rua próxima e pensar um pouco na vida? E um passeio na Saint Honoré para simplesmente caminhar ou encontrar algo diferente, talvez mais sofisticado, um pouco mais descolado ou um bom perfume, e ver a decoração linda de Natal da Galeria Lafayette? 



Acima, décor de Natal da Galeria Lafayette. Paris para mim, especialmente nesta época em que visitei foi assim, infernal para encontrar um taxi quando o celular está sem bateria, deliciosa para um passeio e simplesmente apaixonante. Hoje, como já visto, o post é sobre Paris, sobre como aproveitar a cidade. 

Nada como boas referências, e para começar nada como falar de bons livros para uma viagem e sites como referência. Em viagens é sempre bom utilizar um site de referência. Meu preferido em Paris é o Conexão Paris, que inclusive já tivemos posts com dicas da cidade aqui no Blog. No post foram dicas de restaurantes na cidade que foram maravilhosas. Outro site muito bom, neste caso, para outras cidades também é o Mary And The City, que já escreveu aqui no blog também. Tem um bom livro também que eu adoro chamado Paris Pra Você. Um outro livro com muitas referências boas é Folha de São Paulo Europa, este eu utilizo sempre em viagens.

A Torre Eiffel, lugar imperdível. Como não visitar Paris e não ficar encantado com sua grandiosidade? Para quem ama arquitetura e design é um grande passeio (aliás, tem um post sobre 15 lugares para quem gosta de arquitetura da Casa Vogue sobre o assunto que é uma boa sugestão para quem gosta do assunto e pretende visitar Paris visitando lugares de design.. E, claro, a foto abaixo para relembrar a cidade com o seu cartão postal. Quem não tem o chaveiro da Torre Eiffel vendido por lá por imigrantes? Criada pelo arquiteto Gustave Eiffel em 1889, foi construída como arco de entrada da Exposição Universal de 1889, localizada no Champ de Mars, a construção de ferro tem 324 metros e foi a estrutura mais alta do mundo até 1930. 



Museu Rodin: inaugurado em 1919, é famoso por esculturas como o Pensador e O Beijo, que aliás é uma escultura que eu adoro. Aliás, o Conexão Paris tem um post sobre o local.

Rio Sena, lugar especial para um fim de tarde e uma parada num restaurante para um Croque Monsier ou outro prato (e este, assim como o Croissant é bem parisiense) com uma taça de vinho ou um bom café. Fica bem perto do Louvre e da Saint Honoré e de uma rua com lindos objetos de décor. Aliás, esta região é deliciosa para um belo passeio.

Cafés e Restaurantes:

La Coup D´Or: Um café delicioso na Saint Honoré, em Place Vendôme, com mesas na calçada para um bom vinho ou simplesmente um Café acompanhado de um delicioso mousse de chocolate. La Coupe d'Or -- 330 rue Saint-Honoré, 75001 Paris.


Café Lauduré: Como não experimentar os deliciosos macarrons neste lugar simpleste icônico na cidade? 75, avenue des Champs Élysées

Próximo a Torre Eiffel tem o Café Gustave com croissants e petiscos, cafés e doces. A atmosfera do local é deliciosa, após uma tarde passeando pela região.


La Rotonde Saint Honoré: É um restaurante muito bem localizado, obviamente, com pratos mais sofisticados como o Entrêcote até fritas para um almoço despretencioso. 105 boulevard du Montparnasse, 75006 Paris, França. +33 1 43 26 48 26

La Fregatte: Um restaurante em frente ao Rio Sena com um Croque Monsieur delicioso. Contact 01. 42. 61. 23. 77 1 Rue du Bac. 75007 Paris.

Para um blog de decoração, impossível não falar de bons lugares para compras para casa. As melhores regiões são a da Saint Honoré e perto do Rio Sena com lojas lindas de todos os tipos de objeto.Uma das lojas que visitei na cidade e gostei foi uma loja de essências, perfumes e velas, a Dyptique. As essências e velas são maravilhosas e fica na região da Saint Honoré. Endereço: 330-332 Rue Saint-Honoré, 75001 Paris, França
Horário: 
Fechado ⋅ Abre à(s) 10:30
Telefone: +33 1 42 33 19 79

Esta é a Paris que eu vi, com muitos lugares, porém, com muitos lugares lindos e ainda, com lugares para conhecer.



segunda-feira, 9 de dezembro de 2019

Por dentro de um sofá Paschoal Ambrosio: Conheça os diferenciais de um ateliê de alta costura para estofados

Com sete décadas de tradição na confecção de estofados de qualidade, a Paschoal Ambrosio explica quais são os benefícios de escolher um sofá “sob medida”Projeto contemporâneo e repleto de conforto do escritório Zize Zink Arquitetura, com sofá modular da Paschoal Ambrosio.

(Crédito da Imagem: Cacá Bratke).

Hoje em dia é cada vez maior a procura por móveis exclusivos e de personalidade, que atendam às necessidades específicas de cada cliente ou projeto, na contramão das padronagens industriais. Por isso, nada melhor que receber orientações de uma empresa de tapeçaria artesanal, com expertise desde 1947, para contribuir na escolha do modelo perfeito. A Paschoal Ambrosio, que representa a alta costura do décor, revela como o seu processo de fabricação pode fazer totalmente a diferença na vida das pessoas.

Modelos de sofás da Paschoal Ambrosio - Do clássico ao contemporâneo

Cuidado em cada detalhe

A família Ambrosio, que já está em sua terceira geração, ficou conhecida pela excelência na fabricação de estofados. O segredo do sucesso durante tantos anos está exatamente no cuidado máximo em cada detalhe, como a utilização de madeiras de primeira linha, tratadas e certificadas na estrutura; plumas de ganso esterilizadas nos enchimentos; grande variedade de tecidos; além de espumas de boa procedência com diferentes densidades. E, o melhor: tudo isso passado de geração em geração e, também, ensinado por funcionários antigos.

Modelos Atemporais

A moda e o décor são dinâmicos e vivem de tendências que vem e vão. Ótimos exemplos são os modelos de sofás mais arredondados, com tecidos como veludo e shantung, febre nos anos 50, e voltaram com tudo nos últimos tempos. Sendo assim, o gosto pessoal de cada pessoa tem que prevalecer e a empresa precisa estar preparada para receber todos os tipos de pedidos – dos clássicos aos contemporâneos. Portanto, na Paschoal Ambrosio, as peças tornam-se atemporais, pois quem faz a moda é o cliente.


Da esq. Para a dir. Sofás arredondados, tendência dos anos 50 que voltou à decoração; e estofados retos e modulares, mais contemporâneos; cada um com seu charme
 
Formas e Medidas Diferenciadas

Cada pessoa tem sua particularidade em relação à altura, peso, faixa etária, questões de saúde e ergonomia, o que requer uma atenção especial. Nesse sentido, o cliente poderá ficar despreocupado na Paschoal Ambrosio, pois terá um estofado com comprimento, altura e densidade de acordo com suas reais necessidades, ou seja, sob medida. Materiais como molas, percintas e espumas são usadas e trabalhadas com muito zelo.

Acompanhamento

Logo que um novo cliente chega, a equipe da Paschoal Ambrosio faz uma série de perguntas com o intuito de conhecer os gostos e necessidades pessoais. Depois disso, graças à tecnologia, é possível acompanhar o passo a passo do processo de fabricação do estofado. E, por fim, realizar os últimos testes antes do tecido ser aplicado (momento em que a peça está apenas revestida com a espuma), para ter a certeza de que o resultado final será satisfatório. Ainda tem mais: A Paschoal Ambrosio também realiza pequenos consertos e manutenções, para que a peça possa durar a vida toda.

Olho no olho

A proximidade nas relações é uma das características mais importantes da empresa, fato que faz muita gente voltar, pois teve um serviço de qualidade aliado à atenção de toda a equipe. Isso pode ser comprovado com muitas histórias de clientes, que fazem questão de dar um abraço na família Ambrosio, sempre que passam nas proximidades do ateliê, no bairro do Bexiga.

Filosofia

“A produção artesanal tem o dom de criar peças únicas e especiais. Afinal, o que pode ser belo e confortável para uma pessoa, pode não ser para a outra. Neste ateliê de alta costura dos estofados, nós conseguimos concretizar o sonho de forma individual”, afirma Luiz Ambrosio.

Sobre a empresa Paschoal Ambrosio

Criada pelo italiano Paschoal Ambrosio, no ano de 1947, o diferencial da marca consiste no serviço premium que oferece, ou seja, na construção de móveis estofados feitos sob medida, uma “tapeçaria boutique” que prima pela qualidade e experiência do cliente. Entre as peças confeccionadas estão sofás, poltronas, cadeiras, pufes, cabeceiras e chaises, em que há enorme cuidado com os detalhes e os acabamentos.

O ateliê, no coração do bairro do Bixiga, atravessou gerações, se modernizou e seguiu as tendências do mercado, sem nunca esquecer da sua essência. Fiori, filho de Paschoal, herdou o talento do pai e deu prosseguimento ao trabalho com excelência. Os netos Camila e Luiz Ambrosio, que hoje lideram a empresa, têm a missão de levar o DNA de sucesso para as próximas décadas.

Serviço:
Paschoal Ambrosio
Rua Major Diogo, 751, Bela Vista – São Paulo
Telefone: 11 3105 6639
www.paschoalambrosio.com.br
@paschoal_ambrosio

segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

Pietro Terlizzi ressalta a importância de entender as etapas de um projeto de arquitetura.

Desde a primeira conversa com o cliente até o projeto executivo, o trabalho do profissional de arquitetura passa por diversas fases.

Projeto: Pietro Terlizzi Arquitetura. 

Quando o morador contrata um arquiteto, nem sempre ele conhece todos os processos que um projeto de arquitetura envolve. Desde a primeira conversa com o cliente até o projeto executivo, o trabalho do profissional passa por diversas etapas. O arquiteto Pietro Terlizzi, à frente do escritório que leva seu nome, esmiúça os sete passos de um projeto de arquitetura.

1. Briefing

A primeira etapa de um projeto de arquitetura ou de interiores é uma entrevista com o cliente, a partir da qual se estabelece o programa de necessidades, ou briefing. Nesse momento inicial, o arquiteto reúne o maior número de informações possível sobre as expectativas do contratante e o que ele precisa, como a quantidade de ambientes e o número de pessoas que vão usar o espaço. O briefing também é importante para fechar o contrato com os valores e prazos de duração do projeto.

2. Estudo do local

A seguir, o arquiteto faz um levantamento de dados, como metragem, níveis, condições topográficas e ambientais, para verificar se o terreno está apto a receber a construção. Nas visitas ao local, o profissional também estuda a orientação solar para garantir o conforto térmico da obra, definir aberturas como portas e janelas, e a posição da piscina, por exemplo. No caso de edificações prontas, essa etapa permite avaliar características gerais da rua e dos imóveis vizinhos.


3. Estudo de viabilidade

O passo seguinte é o estudo de viabilidade, em que o arquiteto analisa se o projeto ficará de acordo com o Plano Diretor e o Código de Obras da Cidade.

“Para a construção do zero, é necessário o levantamento topográfico do terreno, orientação solar, além de coleta de dados e das diretrizes da Prefeitura, para então começar os desenhos de projeto”, resume o arquiteto Pietro Terlizzi.

4. Estudo preliminar

Nessa fase, o projeto começa de fato a ganhar forma. Croquis, plantas baixas, imagens 3D e outras representações da construção nascem no estudo preliminar. “Na apresentação das imagens em 3D, o cliente já consegue visualizar como o projeto ficará na íntegra”, conta o profissional.

5. Anteprojeto

O anteprojeto é uma etapa de aprofundamento, em que o profissional define aspectos mais técnicos da obra para assegurar um bom projeto executivo, que é a última fase.

6. Projeto legal

É o projeto de aprovação enviado à Prefeitura para avaliar se está de acordo com as normas do município e para que a construção seja autorizada. Reformas de interior de apartamentos, casas ou lojas, por exemplo, não necessitam de aprovação da Prefeitura.

No caso de apartamentos, contudo, é preciso ter a validação do condomínio. “A reforma em apartamentos leva em consideração as plantas originais da construtora. Além disso, é preciso avaliar junto ao condomínio as permissões previstas em assembleias condominiais para fechamento de varanda e alteração de fachada, por exemplo”, esclarece o arquiteto.

7. Projeto executivo

“A partir disso, seguimos as mesmas etapas tanto para um projeto de arquitetura quanto para um de interiores, com os projetos de civil (elétrica, hidráulica, forro, luminotécnica, gás e dutos de ar condicionado), especificação de revestimentos e pintura, projetos de marcenaria, marmoraria, e todos os detalhamentos que forem necessários para compor o projeto”, explica Pietro.

O projeto executivo, que é o projeto “final”, reúne as plantas que vão para o canteiro de obras, além de todas as especificações e documentos necessários para iniciar a obra. Nele, o arquiteto detalha os materiais, medidas, pontos de hidráulica e de iluminação, como um guia para quem vai executar o projeto. Muitos escritórios de arquitetura também oferecem o serviço de acompanhamento de obras, dando suporte ao cliente em todo o processo.

Essas sete etapas de um projeto de arquitetura são o padrão, mas podem variar dependendo do tipo do projeto e do cronograma de trabalho de cada escritório ou profissional. “No nosso escritório, em obras de apartamentos, costumamos seguir os seguintes passos: entrevista com o cliente, estudo preliminar, produção de imagens em 3D, projetos de execução, obra e decoração”, exemplifica Pietro.

Sobre Pietro Terlizzi

Formado pela FAU Mackenzie em 2009, foi sócio da Arch Stage Projetos por sete anos. O arquiteto abriu seu próprio escritório Pietro Terlizzi Arquitetura e Design em 2016, onde atua em todas as etapas do projeto, desde a elaboração do conceito à execução da obra. Com pouco mais de três anos de história, o escritório assina mais de 30 projetos, entre residências, escritórios e estabelecimentos comerciais, marcados por um estilo moderno, pela presença de materiais rústicos e pela combinação de paletas neutras com toques vibrantes de cor.

Pietro Terlizzi Arquitetura e Design
pietroterlizzi.com.br
@pietro_terlizzi_arquitetura

terça-feira, 26 de novembro de 2019

5 projetos com peças personalizadas para se inspirar.

As arquitetas Carina e Ieda Korman dão exemplos de quando usar móveis, tapetes e luminárias sob medida.

Peças personalizadas têm o potencial de tornar um ambiente único. Além disso, elas podem ser recursos para resolver questões de medidas e necessidades específicas de um projeto. Não só móveis, mas também tapetes e luminárias podem ser customizados sob medida.

Criar peças exclusivas para os projetos já se tornou uma das características do escritório Korman Arquitetos. “Sempre gostamos de incluir móveis e objetos personalizados nas propostas para os clientes. Essas peças dão um diferencial a cada projeto”, conta a arquiteta Carina Korman. “Em algumas situações é necessário desenhar esses itens, por não encontrarmos no tamanho ou do estilo que queremos”, continua.

A grande vantagem de personalizar é que a peça fica exatamente com as medidas e com o design imaginados, além de aproveitar melhor a área disponível do ambiente. Em relação ao custo, varia muito de acordo com cada objeto. “Algumas saem mais caras, outras mais baratas do que um item pronto. Depende muito dos acabamentos que escolhemos”, explica a arquiteta.

Veja cinco projetos inspiradores do Korman Arquitetos com peças sob medida:

Ergonomia e elegância

Projeto: Korman Arquitetos | Foto: Gui Morelli

Os sofás desta sala de estar foram projetados pelo escritório com maior profundidade, de 1,20 m. O objetivo foi oferecer mais conforto e ergonomia para a família, já que todas as pessoas são altas. “Queríamos abajures que partissem do teto e fossem bem elegantes, por isso também desenhamos as cúpulas com cristais de murano”, lembra Carina.

Toque rústico

Projeto: Korman Arquitetos | Foto: Gui Morelli

Para a área gourmet na varanda, as arquitetas Carina e Ieda Korman queriam uma peça moderna e que ao mesmo tempo tivesse um elemento rústico. Elas desenharam o móvel com um design leve e tampo branco, apoiado no tronco de madeira.

Feita para caber

Projeto: Korman Arquitetos | Foto: Gui Morelli

Apesar de espaçosa, a sala de estar é estreita e a arquiteta Ieda Korman não encontrou uma mesa de centro pronta que funcionasse bem no espaço. Ela criou o design do móvel especialmente para o ambiente, em acrílico e madeira, medindo 1,80 m x 0,50 m. “A base transparente dá a impressão de que o tronco está flutuando”, comenta Ieda.

Estampas orgânicas

Projeto: Korman Arquitetos | Foto: Gui Morelli

Este projeto pedia um tapete bem grande para unir os dois ambientes da sala de estar. Os desenhos orgânicos nos tons de marrom e bege, que as arquitetas desenvolveram para a peça, cumprem essa função. “Adoramos criar estampas diferentes para tapetes. São peças que chamam bastante atenção e podem mudar completamente um espaço”, diz Carina.

Dois em um

Projeto: Korman Arquitetos | Foto: Gui Morelli

A luminária ficaria posicionada sobre o espelho do banheiro, então as arquitetas não queriam que uma segunda peça também fosse instalada ali. “Desenhamos a arandela com toalheiro, pois sentíamos falta de uma peça com essas duas utilidades. Acabou ficando super charmoso”, explica Carina. 

Sobre a Korman Arquitetos

Korman Arquitetos é mais que um escritório. Representa a geração de arquitetos que levam a marca dos projetos assinados há mais de 35 anos. Formado pelo casal Silvio e Ieda Korman, hoje tem na equipe a força de Carina Korman e, em equipe, assinam projetos residenciais, comerciais e de hotelaria – tanto no Brasil, como também no exterior.
Korman Arquitetos
Rua Groelândia, 1877, Jardim América, São Paulo
Tel.: (11) 3060-8313
www.kormanarquitetos.com.br
@kormanarquitetos

terça-feira, 22 de outubro de 2019

Como montar um closet bem organizado?

Closet utiliza os padrões Bark e Gris, da Criare. A maioria das pessoas já passou pelo pesadelo de ficar horas procurando o que vestir, sem encontrar nada em meio as roupas. Apesar de comum, muitas vezes esse problema não está relacionado com a falta de opções, mas sim, devido à má organização das peças e disposição dos móveis, o que dificulta uma visualização completa do que se tem.


Com a rotina cada vez mais corrida, investir em um closet que, além de conferir sofisticação ao ambiente, seja prático e moldado de acordo com as necessidades individuais é essencial. Pensando nisso, a Criare – empresa que há 16 anos oferece soluções em móveis planejados para atender os mais variados estilos – separou 5 dicas fundamentais para serem aplicadas na hora de organizar e projetar um closet. Confira:

Avalie suas necessidades

Os hábitos devem ser levados em conta na hora de montar e organizar o closet. O projeto ideal é aquele que atende às necessidades do morador e, para isso, é importante analisar o que é utilizado com mais frequência para acomodar em uma parte mais acessível do armário, ao alcance das mãos e olhos. Então, é fundamental projetar a disposição das peças de acordo com a rotina do usuário.

Luzes internas nos armários

Uma ótima ideia para as áreas mais baixas dos armários, que às vezes recebem menos luz, é utilizar lâmpadas internas. Assim, luzes que acendem automaticamente ao abrir a porta, facilitarão a visualização das peças armazenadas na parte inferior do móvel. Além disso, locais que tenham maior quantidade de objetos podem demandar maior destaque de luminosidade.

Espelho é essencial

Ao projetar um closet é essencial pensar em otimizar ao máximo o aproveitamento do espaço, uma ótima aposta pode ser optar pelo uso de espelhos nas portas de correr. Além de conferir amplitude ao ambiente e ajudar na iluminação, os espelhos nas portas tornam-se mais versáteis deslizando pelos trilhos.

Separe a sapataria do restante das roupas

É muito importante destinar uma divisória apenas para os calçados, além de facilitar a organização, esse dimensionamento também evita o contato das outras peças com a sapataria, impedindo que as roupas peguem odor.

Explore a ventilação natural

A ventilação no cômodo evita que as roupas fiquem com cheiro de guardadas ou mofem. Para isso, aposte em closets do estilo aberto, que permitem o contato do ar com as roupas, além de explorar o uso dos cabides para organizar as peças em ambientes mais altos.

CRIARE
www.criare.com

quarta-feira, 9 de outubro de 2019

Intimista e sustentável, a Cozinha das Sensações de Cristiane Schiavoni é a atração da mostra Morar Mais em São Paulo.

Arquiteta se inspirou na vida e trajetória do chef paulista Renato Caleffi para criar um ambiente econômico, aconchegante e inspirador.

Cozinha das sensações – Cristiane Schiavoni / Foto: JP IMAGE

Palco de experiências gastronômicas, a cozinha também se tornou um espaço para inspirar e receber pessoas especiais na hora de compartilhar bons momentos. Essa é a aposta da arquiteta Cristiane Schiavoni, do escritório Cristiane Schiavoni Arquitetura e Interiores, ao criar a Cozinha das Sensações, ambiente da 1ª mostra Morar Mais por Menos, que abre ao público no dia 3 de outubro, em Pinheiros, São Paulo.

Para a concepção do projeto, a profissional, que carrega mais de 20 anos de experiência em arquitetura e decoração, se inspirou na trajetória e nos gostos do chef paulista Renato Caleffi, referência nacional em gastronomia orgânica e responsável pelo restaurante Le Manjue. “Conheci o Renato e me encantei pela energia que ele passa para os pratos, respeitando desde a origem dos alimentos até o resultado final. Essa foi a minha inspiração para criar uma cozinha prática, sustentável e recheada de inspirações”, explica Cristiane.

Com 46 m², a Cozinha das Sensações contempla dois espaços completos e bem funcionais para reproduzir a cozinha de casa do chef Renato. Na área interna, um verdadeiro laboratório de experiências gastronômicas tem a disposição tudo o que é necessário para o preparo das refeições com churrasqueira, fornos e cooktop (Falmec), além de uma geladeira vermelha com estilo retrô (Pepper), que oferece um ar descontraído para o ambiente. “Como o Renato promove muitas experiências na cozinha dele, optei pelos eletrodomésticos mais modernos do mercado”, explica Cristiane.

Já para o preparo de drinks, outra paixão do chef, um descolado bar completa o ambiente. “Deixei a área livre para que ele possa cozinhar e conversar com os convidados ao mesmo tempo”, conta Cristiane. Para quem gosta de acompanhar o preparo das refeições, o balcão da cozinha (Mansur) – de vidro temperado com acabamento acidato (AGC) - é preenchido com cinco banquetas de ferro e madeira (Sun House), além de um amplo espaço para circulação.

Na área externa com paisagismo de Edu Bianco, um canteiro de pancs (plantas alimentícias não convencionais) e um aconchegante espaço para receber os amigos completam a área de estar. “É um ambiente completo para que o Renato tenha à disposição desde as pancs, o ingrediente que ele mais gosta de utilizar, uma cozinha bem equipada até um espaço para compartilhar com amigos”, explica Cristiane.

Priorizando a reutilização de materiais e técnicas de ‘faça você mesmo’, Cristiane garante que é possível fazer uma cozinha estilosa e econômica, já que o projeto ainda reforça um ambiente sustentável, com o reaproveitamento de todos os materiais de marcenaria, acabamentos mais econômicos como a bancada da cuba da cozinha feito de granito preto São Gabriel de custo bem acessível, mas usado de uma forma diferenciada, além da composição de peças de arte feitas a partir de materiais de refugo e objetos recicláveis, como a fruteira, feita de madeira bruta de restos de troncos que não foram utilizados e sobras de ferro velho. “Grande parte das peças de decoração já eram do Renato, assim, pensei em uma melhor maneira de usá-las, visando sempre opções mais sustentáveis e econômicas”, explica Cristiane.

A arquiteta também priorizou por revestir o teto com um painel de madeira ripado, igualmente reutilizado, além de piso de porcelanato que imita madeira (Decortiles) e um deck de madeira plástica, feito de material reciclado. “Esses materiais deixam o ambiente, visualmente, mais quente e acolhedor, além de serem reaproveitados”, conta.

Na decoração, a harmoniosa mistura de materiais e acabamentos expõe um estilo industrial com toques intimista ao espaço, destacando o cinza e a madeira que contrastam com o tom terracota, uma das cores pontuadas como tendência do momento, que reveste parte do ambiente.  “Na iluminação, criei pontos de luz estratégicos para criar um clima agradável ao ambiente, todas de LED que é uma opção também mais econômica”, conta a arquiteta.

Em busca de elementos que remetem a memória afetiva, o espaço é decorado com objetos pessoais e lembranças do chef, como o painel de fotos com referências pessoais e lembranças de viagem.

Serviço:
MORAR MAIS POR MENOS
De 03 de outubro a 17 de novembro de 2019
Terça a domingo, das 12h às 21h
Av. Pedroso de Moraes, 2188 – Alto de Pinheiros, São Paulo, SP 

Sobre a arquiteta Cristiane Schiavoni: Formada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (FAU-USP), Cristiane Schiavoni atua na área de arquitetura, decoração e reforma desde 1996 e hoje, o escritório que leva seu nome, tem mais de 20 anos de história, reunindo centenas de projetos dentro e fora do Estado de São Paulo. Em suas criações residenciais e comerciais, publicadas em importantes veículos brasileiros, elementos-surpresa e toques de cor se misturam aos recursos que garantem o conforto e o aconchego dos moradores.

Acabamentos aplicados de maneira incomum e materiais versáteis também são presenças constantes nos trabalhos de Cristiane Schiavoni. O resultado se reflete na concepção de ambientes modernos, humanizados e dinâmicos, que convidam ao bem-estar e, principalmente, traduzem a essência de cada cliente.

Av. Imperatriz Leopoldina, 957, sala 1914, Vila Leopoldina, São Paulo
Tel. (11) 3649 4900
www.cristianeschiavoni.com.br
@cristianeschiavoni

Sobre o chef Renato Caleffi: Graduado em gastronomia pela Anhembi Morumbi, o chef Renato Caleffi, do restaurante Le Manjue, é professor, pesquisador e ministra cursos por todo o país. Além disso, é autor dos livros Escolhas e Impactos - gastronomia funcional; Tudo sobre panelas; Na ponta da língua e a série infantil Achaz.

Renato é pioneiro na gestão e consultoria em alimentos orgânicos e referência nacional em gastronomia funcional, orgânica e saudável.

quarta-feira, 2 de outubro de 2019

O Apartamento de um jovem casal projetado por Marcela Pepe.

Localizado em São Paulo, no bairro dos Jardins, o apartamento de 220m2 é habitado por um jovem casal descontraído e seus três filhos. A família precisaria de um novo quarto para o terceiro filho, que estava chegando, sendo assim, Marcela Pepe construiu um quarto de serviço na lavanderia e trocou as funções de outros dois cômodos existentes.




A reforma, que durou sete meses, se baseou em adequar o uso dos móveis existentes e selecionar móveis novos para que a área social ficasse funcional, aconchegante, valorizando cada canto do apartamento que é clean, descontraído, com algumas “pitadas” de cor.



  
A distribuição dos ambientes do apartamento era como a maioria dos apartamentos antigos, com o pé direito alto e ambientes “quadrados” e bem distribuídos. Passando o hall de entrada, temos lavabo e a área social totalmente integrada (sala de jantar, sala de estar e sala de TV). Entrando pelo corredor da área íntima, depois da reforma, ficamos com três suítes e um quarto. A cozinha é integrada com a copa.


quarta-feira, 11 de setembro de 2019

Arquiteta Ieda Korman orienta sobre como usar pedras naturais na decoração e explica a diferença entre a matéria-prima e outros materiais.

Revestimentos como o mármore e o granito unem praticidade, resistência e durabilidade em uma aparência única.

Living com piso de mármore Sivec

Projeto: Korman Arquitetos | Fotos: Gui Morelli

As pedras naturais, como o mármore e o granito, são revestimentos capazes de unir praticidade, resistência e durabilidade a uma estética ímpar. Não por acaso, esses materiais são usados em pisos, paredes, bancadas e até móveis em diversos ambientes da casa. “A pedra natural é um elemento nobre, eterno e único, além de higiênico. Quando um bloco é fatiado, seus veios ou desenhos não serão repetidos em outro, o que significa que este acabamento nunca será igual em outra residência”, explica a arquiteta Ieda Korman, do escritório Korman Arquitetos.

Apesar de suas vantagens, muitas pessoas ficam em dúvida se vale a pena investir nas pedras para a decoração. Para ajudar na escolha, Ieda compartilha orientações e explica as principais diferenças entre as pedras e outros tipos de acabamentos. Confira:

Defina as necessidades do espaço


Na área social deste apartamento, o mármore Sivec reveste o piso, pois a moradora queria um acabamento nobre, fácil de limpar e neutro na decoração. Já o mármore Calacata Gold, com seus veios dourados, aparece para formar a parede e as prateleiras da estante, mostrando a versatilidade do material.

Pensar detalhadamente em como cada espaço da casa será usado é o primeiro passo para a seleção dos materiais. “Em acabamentos não há ganhos ou perdas, mas sim a necessidade de cada ambiente. Por exemplo, colocar mármore em uma parede de área de serviço será um desperdício. Já em uma sala de estar ou em um hall, a pedra será mais adequada, uma vez que seus veios e sua beleza proporcionam nobreza ao ambiente”, orienta a arquiteta. Por remeter a um décor mais sofisticado, também é importante pensar se o material combina com o conjunto.

Pedra x cerâmica – vantagens e desvantagens


O mármore Sivec usado no piso da área social se estende até o banheiro e o lavabo. No primeiro, o material reveste também as paredes e a banheira. Já no lavabo, o mármore Calacata compõe a parede com a bacia suspensa e a pia esculpida.

A principal diferença entre a pedra e os revestimentos cerâmicos é simples: enquanto a primeira tem uma aparência única, a outra tem um padrão repetido industrialmente. Outra distinção se refere à paginação dos revestimentos. “A pedra pode ser paginada, isto é, pode ser cortada em tamanhos que se enquadrem corretamente no ambiente, como também a distribuição dos veios ser em sequência. Já a cerâmica não oferece essa possibilidade”, aponta Ieda. Entre as vantagens da cerâmica estão o custo mais baixo e a colocação mais rápida. O preço da pedra é mais alto e varia de acordo com a qualidade e a raridade do material, mas a manutenção é praticamente zero.

Pedra x efeito pedra no papel de parede


O escritório usou o granito Café Imperial na bancada da cozinha, uma vez que a pedra tem duas características fundamentais para essa superfície: pode ser usada em áreas molhadas e é resistente ao calor.

Por ser um elemento com função decorativa, o papel de parede com características de pedra também pode ser colocado em ambientes nobres da casa, como hall de entrada, salas e quartos. Mas esse material sempre deve ser colocado em paredes que tenham massa corrida com pelo menos uma demão de tinta, além de seu uso ser aconselhado apenas em áreas internas que não tenham umidade. Já as pedras são instaladas em superfícies cimentadas com argamassa e podem compor projetos de áreas molhadas, como banheiros e cozinhas.

Sobre a Korman Arquitetos: Korman Arquitetos é mais que um escritório. Representa a geração de arquitetos que levam a marca dos projetos assinados há mais de 35 anos. Formado pelo casal Silvio e Ieda Korman, hoje tem na equipe a força de Carina Korman e, em equipe, assinam projetos residenciais, comerciais e de hotelaria – tanto no Brasil, como também no exterior.

Korman Arquitetos
Rua Groelândia, 1877, Jardim América, São Paulo
Tel.: (11) 3060-8313
www.kormanarquitetos.com.br
@kormanarquitetos


quinta-feira, 5 de setembro de 2019

Exposição que celebra os 25 anos da série Friends inspira profissionais na abordagem do estilo da decoração do apartamento da personagem Monica Geller.

Os arquitetos Pietro Terlizzi e Karina Korn explicam como aplicar em casa e apontam o que segue como tendência até os dias de hoje.

Crédito: Warner Bros – reprodução Pinterest

Desde o primeiro episódio, em 1994, até o final das 10 temporadas, em 2004, a série Friends segue com uma legião de fãs. O estilo de vida, os costumes e o humor leve dos seis amigos – Rachel, Joey, Phoebe, Chandler, Monica e Ross – continua inspirando o público que acompanhou na época, como também os mais novos que fazem da série uma das mais assistidas no Netflix.

Com os brasileiros o carinho não é diferente. Tanto que os ingressos para visitação da Casa Warner, em São Paulo, que celebra os 25 anos de Friends, esgotaram-se em pouco tempo. Entre 18 de setembro e 06 de outubro, dois andares dedicados ao seriado receberão ambientes e objetos presentes no apartamento da personagem Monica Geller, além do icônico sofá do Central Perk Café.

Inspirados nas bodas de prata de Friends, os arquitetos Pietro Terlizzi e Karina Korn promoveram uma análise sobre a decoração da casa da Monica. “O apê dela, onde acontece a maior parte dos encontros, traz o seu estilo de ser. Rigorosamente organizado, ele tem uma essência moderna e um aconchego que tornaram sala e cozinha, que tanto vimos nas temporadas, ambientes muito agradáveis para a convivência de todos”, explica Karina Korn, que é também é fã da série.

Tanto Karina, como Pietro são categóricos em afirmar que a decoração do apartamento da Mônica acompanha o estilo vintage com toques modernos. Karina conta que a combinação de cores, móveis e objetivos resultou em espaços descolados, agradáveis e em um estilo jovial. “Imagino que o décor foi pensado como um loft, com a ligação entre ambientes em uma atmosfera descontraída e perfeito para essa convivência de república”, enfatiza Karina. Acompanhe os pontos destacados pelos profissionais:

1- Cores fortes

Crédito: Warner Bros – reprodução Pinterest

O apartamento de Monica apresenta uma combinação de nuances fortes, com a predominância do roxo em paredes e portas, além da boiserie verde e do azul presente no armário da cozinha. “O uso de cores fortes requer personalidade”, afirma Pietro Terlizzi. Ele enfatiza que os moradores precisam verdadeiramente apreciar a paleta eleita, pois caso contrário, com o passar do tempo, podem enjoar dos tons.

Mais do que conhecer o gosto pessoal dos clientes, Karina Korn explica que o profissional de decoração deve seguir o espectro de cores, que indica como duas tonalidades fortes se complementam. “Cada tom tem sua família e o seu oposto que, por mais diferente que aparente ser, causa completude”, adiciona a arquiteta. Outra sugestão de Pietro para a seleção de cores fortes é seguir a mesma cartela, porém com nuances diferentes. Na cozinha, o armário azul de Monica segue como tendência na decoração, pois a peça revela-se uma excelente opção para alegrar o ambiente.

No projeto assinado por Pietro Terlizzi, o azul aparece em diferentes tons - Crédito - Guilherme Pucci.


2 - Ambientes integrados

O apartamento de Monica reforça outra tendência do décor: a integração de ambientes que acontece entre sala e cozinha. Na inexistência de uma parede para separar, a decoração é responsável por caracterizar cada espaço. “Temos várias maneiras de promover o trabalho de integração, que pode acontecer através do revestimento escolhido para piso, cores diferentes para o teto e os móveis”, ressalta Karina Korn. No caso da série, o espaçoso sofá com dois lugares foi eleito para exercer essa separação imaginária entre os cômodos.

No projeto assinado por Pietro Terlizzi, sala e cozinha são integradas

Nessa alquimia do integrar, alguns pontos devem ser levados em consideração: no caso do armário azul da cozinha, é importante atentar-se para a harmonia com os outros tons presentes na sala, por exemplo. O recurso também valoriza a cozinha como parte da área social, tornando-a, muitas vezes, o coração da casa.

3 - Cozinha

Crédito: Warner Bros – reprodução Pinterest

Chef de cozinha e conhecida por seu perfeccionismo e organização impecável, Monica mantém um armário de cozinha aberto. O arquiteto Pietro Terlizzi conta que o modelo deixa de ser apenas um móvel com a finalidade de guardar objetos para se tornar parte da decoração. “Manter a arrumação nos armários é primordial para um projeto nesse estilo. Quando assisto os episódios, gosto de observar o capricho para guardar louças e alimentos nas prateleiras, bem como as panelas de cobre penduradas no suporte”, destaca Karina.

Ela ainda releva que o estilo mais descolado também é uma alternativa para otimizar o valor do móvel, já que as portas encarem o projeto. Todavia, a escolha torna-se mais acertada em projetos de clientes que moram sozinhos ou com poucas pessoas. “Em uma família com muitos integrantes o armário aberto pode não dar muito certo”, enfatiza a arquiteta.

4 - Mix entre o clássico e o atual


Apaixonada por mesclar o clássico e o moderno, Karina Korn gosta de eleger peças antigas, como o carrinho de chá, presente da avó da moradora

A moradia de Monica também expõe diversos exemplos em que o clássico recebeu toques de modernidade. Geralmente usada em tons mais claros, a boiserie, um revestimento de origem francesa datado dos séculos XVII e XVIII, marca presença em uma meia parede pintada de verde – revelando-se uma versão charmosa e contemporânea da estética.

Na mesa de jantar, as diferentes cadeiras – incluindo as cores – reforçam que esse traço dá super certo. “Gosto muito de misturar cadeiras. Mesmo em projetos clássicos, costumo apostar em pequenos detalhes nas cadeiras, fazendo uma linda diferença no ambiente do jantar”, conta Karina Korn.

Peças vintage, como uma poltrona Luis XV pintada ou com a substituição do tecido por um colorido, traz um ar vanguardista para o ambiente. “Objetos assim são excelentes para quem não tem medo de ousar”, enfatiza Pietro.

Utilização de plantas em casa – projeto Karina Korn - Aplicação de tijolinhos – projeto Pietro TerlizziDicas gerais para inspirar-se na decoração de Friends:

5 - Dicas gerais para inspirar-se na decoração de Friends:

Para a decoração não ficar com cara de ultrapassada, o ideal é sempre mesclar peças atuais e antigas. Por exemplo, se os sofás forem antigos, cabe forrá-los com tecidos novos. Caso seja o tapete um item de destaque, combine-o com sofás de linhas retas e mesa de centro de design;
Se gostar de cor, mas tiver medo de enjoar, pinte as paredes. É muito mais fácil repintá-las quando o tom causar desconforto, a substituir os armários;
Tijolinhos trazem um toque vintage a qualquer decoração e pode ser evidenciado em uma parede pontual;
Plantas dão vida e cabem em todos os cômodos da casa.

Sobre Karina Korn Arquitetura: O amor por arquitetura e decoração levou Karina Korn a uma jornada de 26 anos dando forma a residências, lojas, consultórios e restaurantes – tanto no Brasil, quanto internacionalmente, com projetos reconhecidos em Tel Aviv e Miami. Formada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, Karina também se especializou em decoração e design gráfico pela Escola Panamericana de Artes. Seu vasto portfólio conta com passagens em diversas edições da CASACOR, e mostras como a CAD Brasil, Artefacto e Favorita, além de ações sociais no Projeto Casa da Criança e Decor Social – ONG Nossa Turma, dentre muitos outros, contribuindo para a transformação de abrigos e creches infantis.

Prioriza sempre o excelente atendimento ao cliente junto à sua equipe multidisciplinar, do projeto ao acompanhamento das obras. Para ela, arquitetura e decoração são muito mais que projetar – significam realizar sonhos.

Karina Korn Arquitetura
Tel. (11) 3473-1303
karinakorn@karinakorn.com.br
www.karinakorn.com.br
@karinakornarquitetura

Sobre Pietro Terlizzi: Formado pela FAU Mackenzie em 2009, foi sócio da Arch Stage Projetos por sete anos. O arquiteto abriu seu próprio escritório Pietro Terlizzi Arquitetura e Design em 2016, onde atua em todas as etapas do projeto, desde a elaboração do conceito à execução da obra. Com pouco mais de três anos de história, o escritório assina mais de 30 projetos, entre residências, escritórios e estabelecimentos comerciais, marcados por um estilo moderno, pela presença de materiais rústicos e pela combinação de paletas neutras com toques vibrantes de cor.

Pietro Terlizzi Arquitetura e Design
pietroterlizzi.com.br
@pietro_terlizzi_arquitetura