Mostrando postagens com marcador Home. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Home. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 22 de outubro de 2019

Como montar um closet bem organizado?

Closet utiliza os padrões Bark e Gris, da Criare. A maioria das pessoas já passou pelo pesadelo de ficar horas procurando o que vestir, sem encontrar nada em meio as roupas. Apesar de comum, muitas vezes esse problema não está relacionado com a falta de opções, mas sim, devido à má organização das peças e disposição dos móveis, o que dificulta uma visualização completa do que se tem.


Com a rotina cada vez mais corrida, investir em um closet que, além de conferir sofisticação ao ambiente, seja prático e moldado de acordo com as necessidades individuais é essencial. Pensando nisso, a Criare – empresa que há 16 anos oferece soluções em móveis planejados para atender os mais variados estilos – separou 5 dicas fundamentais para serem aplicadas na hora de organizar e projetar um closet. Confira:

Avalie suas necessidades

Os hábitos devem ser levados em conta na hora de montar e organizar o closet. O projeto ideal é aquele que atende às necessidades do morador e, para isso, é importante analisar o que é utilizado com mais frequência para acomodar em uma parte mais acessível do armário, ao alcance das mãos e olhos. Então, é fundamental projetar a disposição das peças de acordo com a rotina do usuário.

Luzes internas nos armários

Uma ótima ideia para as áreas mais baixas dos armários, que às vezes recebem menos luz, é utilizar lâmpadas internas. Assim, luzes que acendem automaticamente ao abrir a porta, facilitarão a visualização das peças armazenadas na parte inferior do móvel. Além disso, locais que tenham maior quantidade de objetos podem demandar maior destaque de luminosidade.

Espelho é essencial

Ao projetar um closet é essencial pensar em otimizar ao máximo o aproveitamento do espaço, uma ótima aposta pode ser optar pelo uso de espelhos nas portas de correr. Além de conferir amplitude ao ambiente e ajudar na iluminação, os espelhos nas portas tornam-se mais versáteis deslizando pelos trilhos.

Separe a sapataria do restante das roupas

É muito importante destinar uma divisória apenas para os calçados, além de facilitar a organização, esse dimensionamento também evita o contato das outras peças com a sapataria, impedindo que as roupas peguem odor.

Explore a ventilação natural

A ventilação no cômodo evita que as roupas fiquem com cheiro de guardadas ou mofem. Para isso, aposte em closets do estilo aberto, que permitem o contato do ar com as roupas, além de explorar o uso dos cabides para organizar as peças em ambientes mais altos.

CRIARE
www.criare.com

quarta-feira, 9 de outubro de 2019

É primavera! Mudança de estação é um convite para renovar o astral da casa para esse período.

Profissionais do arqdecor explicam que pequenas mudanças, como a troca da capa de almofadas e outros pequenos itens do lar, são capazes de trazer a energia e a explosão de alegria da nova estação.

Projeto de Cristiane Schiavoni | Foto: Carlos Piratininga

Cores, flores e dias ensolarados. A primavera chega com o seu frescor e alegria nas ruas que ficam mais delicadas e coloridas com seus Ipês brancos e amarelos. Dentro de casa, vale apostar em pequenas mudanças para que o astral da estação também contagie a decoração e a energia do seu lar. Se você não sabe como fazer, não se preocupe: inspirados na nova estação, um time de profissionais: Cristiane Schiavoni, à frente do escritório que leva seu nome, Cris Paola, do Studio Cris Paola e Danielle Dantas e Paula Passos do escritório Dantas & Passos Arquitetura, compartilham suas experiências sobre como deixar o décor com o clima primaveril.

Quando se fala em decorar a casa para uma determinada estação do ano, vale ressaltar que não é necessário modificar a infraestrutura com quebra-quebra, mas sim trocar ou modificar objetos e até mesmo mudar a cor da parede de algum ambiente. Como a primavera tem uma maior incidência de sol, é preciso buscar materiais mais frescos e leves para deixar a casa bem fresquinha. Acompanhe as dicas a seguir:

1 - Guarde peças e objeto com texturas pesadas:

Chegou a hora de guardar todas as peças quentinhas que foram usadas no inverno, como mantas e tapetes. Para que esses itens se mantenham conservados e organizados até o próximo ano, a dica da arquiteta Cris Paola é embalar. “Use sacos a vácuo, pois são perfeitos para economizar espaço nos armários, organizar e proteger as peças do pó”, ressalta.

No mercado pode ser encontrado dois tipos de sacos: aqueles que demandam o auxílio de um aspirador ou a versão que remove o ar com as próprias mãos. “Ambos são ótimos para que o tamanho das peças, como cobertores volumosos, sejam reduzidos, acrescenta Cris Paola.

Projeto: Dantas & Passos Arquitetura Foto: Maura Mello 

Já a arquiteta Cristiane Schiavoni aconselha substituir tapetes grossos, como os produzidos em lã, por materiais como linho ou de corda. Ela ainda explica que, caso o morador prefira retirar o tapete, a substituição pode ser feitas por almofadas, que tornam a casa mais despojada e iluminada. Nas paredes, ela também acrescenta que as cortinas podem ser igualmente trocadas por modelos com materiais mais leves como voil, linho, seda, gaze de linho, organdi ou materiais sintéticos. “Nessa época, as cortinas são essenciais para salas e dormitórios”, arremata Cristiane.

2- Cores da estação:Projeto: Dantas & Passos Arquitetura Foto: Maura Mello

A primavera é a estação do ano que permite e preza pela mistura de cores quentes e tons mais abertos são sempre tendência. “Em especial, nesse ano notei que todas as marcas presentes em feiras e eventos do mercado de decoração seguiram uma tendência pautada em tons pastel”, lembra Danielle Dantas, do escritório Dantas & Passos Arquitetura.

“Se pudéssemos apostar em uma cor para essa estação seria o verde, não somente nas plantas, como também em detalhes como capas das almofadas e tecidos, por exemplo,”, complementa Paula, arquiteta e sócia de Danielle.

A dupla é unânime em ressaltar que a paleta pastel consegue renovar as energias e combina muito bem com cores terrosas, que vão desde os alaranjados até os amarelos, em versões mais queimadas.

3 – Conexão com a natureza:

Projeto: Cristiane Schiavoni Foto: Carlos Piratininga

Trazer o verde natural é uma das formas de oferecer alegria para dentro de casa. Muito além dos arranjos florais, quem tem apreço por plantas pode eleger a época como o momento de realizar o sonho de aprender a cuidar e viver o dia a dia de regas e contemplação em locais da residência como a varanda.

Não pense que somente pessoas especialistas em plantas podem cultivá-las dentro de casa, basta um pouco de pesquisa e dedicação. “Todo mundo pode criar uma conexão com a natureza dentro de casa, varanda ou quintal. Basta procurar as espécies e tamanhos que combinem com o tamanho do espaço e a funcionalidade que desejar conceder para cada uma”, diz Cris Paola, do Studio Cris Paola.

A arquiteta, que também é especialista em Feng Shui, ainda revela que as plantas e flores são conhecidas como os melhores elementos para a correção de energia em um ambiente. Por isso, um caminho é apostar em plantas aromáticas, frutíferas, rosas do deserto ou arranjo de flores com espécies como lírios,por exemplo.

4- Iluminação decorativa

O loft com estilo industrial e base clara, assinado pela arquiteta Carina Korman, do escritório Korman Arquitetos, ganhou plantinhas com vasinhos bem modernos e, ao lado, um letreiro de neon. Um toque sutil para combinar com a nova estação. 

Foto: JP Image

Apesar de ser a época de maior incidência de sol e bacana para aproveitar a iluminação natural, as arquitetas do Danielle e Paula ainda indicam o uso de frases com neon fluorescente, muito usado na década de 1980, mas que está super em alta. “Além de trazer um toque divertido para a decoração, o objeto ainda ajuda a iluminar o ambiente de uma forma indireta, sem esquentar”, indica.

Sobre o Studio Cris Paola: É comandado por Cris Paola, formada pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo, e com 30 anos de experiência em arquitetura e design de interiores. Criativa, Cris personaliza cada projeto de acordo com as necessidades do cliente e, para isso, mergulha no universo de cada um. O resultado são ambientes harmoniosos, aconchegantes e repletos de estilo.

Com atuação em São Paulo, Rio de Janeiro e Miami, a profissional dispõe de um vasto portfólio que mescla projetos de áreas comerciais como restaurantes, bares, cafeterias, consultórios, clínicas, escritórios, showrooms e representações de multinacionais no Brasil e espaços residenciais – casas e apartamentos urbanos, campo e praia. Está à frente do escritório que leva seu nome, o Studio Cris Paola, no qual coordena da concepção do projeto até a execução da obra e todos os detalhes da decoração de interiores. Sua equipe é formada por profissionais multidisciplinares que atendem com dedicação e criatividade aos anseios e desejos de cada cliente. Oferece ainda a possibilidade de criar móveis exclusivos e desenhados sob medida.

Responsabilidade ambiental, cores usadas com maestria e reaproveitamento de peças existentes no projeto são marcas registradas do escritório. Sempre antenada ao universo do design, moda, arquitetura e decoração, Cris Paola é autora do blog Mil Ideias por Metro Quadrado, onde compartilha ideias, tendências e dicas.

www.studiocrispaola.com.br
Blog – www.milideiaspormetroquadrado.com.br
@studiocrispaola e @milideiaspormetroquadrado
Tel. (11) 3071-2888, São Paulo

Sobre a Dantas & Passos Arquitetura: A Dantas & Passos Arquitetura desenvolve projetos de arquitetura e design de interiores para os segmentos residencial e comercial. Atuando no mercado desde 1996, as arquitetas Danielle Dantas e Paula Passos valorizam os projetos que os clientes possam realmente aproveitá-los. Cores neutras e atemporais fazem parte da essência da dupla, que tem um vasto portfólio nas cidades de São Paulo, interior e Miami. “Buscamos sempre pensar em soluções exclusivas e feitas sob medida para cada cliente, sempre respeitando os sonhos de cada um. Participamos pessoalmente de todas as etapas do projeto, desde a criação até os objetos de decoração.”

Dantas & Passos Arquitetura
@dantaspassos.arquitetura

Intimista e sustentável, a Cozinha das Sensações de Cristiane Schiavoni é a atração da mostra Morar Mais em São Paulo.

Arquiteta se inspirou na vida e trajetória do chef paulista Renato Caleffi para criar um ambiente econômico, aconchegante e inspirador.

Cozinha das sensações – Cristiane Schiavoni / Foto: JP IMAGE

Palco de experiências gastronômicas, a cozinha também se tornou um espaço para inspirar e receber pessoas especiais na hora de compartilhar bons momentos. Essa é a aposta da arquiteta Cristiane Schiavoni, do escritório Cristiane Schiavoni Arquitetura e Interiores, ao criar a Cozinha das Sensações, ambiente da 1ª mostra Morar Mais por Menos, que abre ao público no dia 3 de outubro, em Pinheiros, São Paulo.

Para a concepção do projeto, a profissional, que carrega mais de 20 anos de experiência em arquitetura e decoração, se inspirou na trajetória e nos gostos do chef paulista Renato Caleffi, referência nacional em gastronomia orgânica e responsável pelo restaurante Le Manjue. “Conheci o Renato e me encantei pela energia que ele passa para os pratos, respeitando desde a origem dos alimentos até o resultado final. Essa foi a minha inspiração para criar uma cozinha prática, sustentável e recheada de inspirações”, explica Cristiane.

Com 46 m², a Cozinha das Sensações contempla dois espaços completos e bem funcionais para reproduzir a cozinha de casa do chef Renato. Na área interna, um verdadeiro laboratório de experiências gastronômicas tem a disposição tudo o que é necessário para o preparo das refeições com churrasqueira, fornos e cooktop (Falmec), além de uma geladeira vermelha com estilo retrô (Pepper), que oferece um ar descontraído para o ambiente. “Como o Renato promove muitas experiências na cozinha dele, optei pelos eletrodomésticos mais modernos do mercado”, explica Cristiane.

Já para o preparo de drinks, outra paixão do chef, um descolado bar completa o ambiente. “Deixei a área livre para que ele possa cozinhar e conversar com os convidados ao mesmo tempo”, conta Cristiane. Para quem gosta de acompanhar o preparo das refeições, o balcão da cozinha (Mansur) – de vidro temperado com acabamento acidato (AGC) - é preenchido com cinco banquetas de ferro e madeira (Sun House), além de um amplo espaço para circulação.

Na área externa com paisagismo de Edu Bianco, um canteiro de pancs (plantas alimentícias não convencionais) e um aconchegante espaço para receber os amigos completam a área de estar. “É um ambiente completo para que o Renato tenha à disposição desde as pancs, o ingrediente que ele mais gosta de utilizar, uma cozinha bem equipada até um espaço para compartilhar com amigos”, explica Cristiane.

Priorizando a reutilização de materiais e técnicas de ‘faça você mesmo’, Cristiane garante que é possível fazer uma cozinha estilosa e econômica, já que o projeto ainda reforça um ambiente sustentável, com o reaproveitamento de todos os materiais de marcenaria, acabamentos mais econômicos como a bancada da cuba da cozinha feito de granito preto São Gabriel de custo bem acessível, mas usado de uma forma diferenciada, além da composição de peças de arte feitas a partir de materiais de refugo e objetos recicláveis, como a fruteira, feita de madeira bruta de restos de troncos que não foram utilizados e sobras de ferro velho. “Grande parte das peças de decoração já eram do Renato, assim, pensei em uma melhor maneira de usá-las, visando sempre opções mais sustentáveis e econômicas”, explica Cristiane.

A arquiteta também priorizou por revestir o teto com um painel de madeira ripado, igualmente reutilizado, além de piso de porcelanato que imita madeira (Decortiles) e um deck de madeira plástica, feito de material reciclado. “Esses materiais deixam o ambiente, visualmente, mais quente e acolhedor, além de serem reaproveitados”, conta.

Na decoração, a harmoniosa mistura de materiais e acabamentos expõe um estilo industrial com toques intimista ao espaço, destacando o cinza e a madeira que contrastam com o tom terracota, uma das cores pontuadas como tendência do momento, que reveste parte do ambiente.  “Na iluminação, criei pontos de luz estratégicos para criar um clima agradável ao ambiente, todas de LED que é uma opção também mais econômica”, conta a arquiteta.

Em busca de elementos que remetem a memória afetiva, o espaço é decorado com objetos pessoais e lembranças do chef, como o painel de fotos com referências pessoais e lembranças de viagem.

Serviço:
MORAR MAIS POR MENOS
De 03 de outubro a 17 de novembro de 2019
Terça a domingo, das 12h às 21h
Av. Pedroso de Moraes, 2188 – Alto de Pinheiros, São Paulo, SP 

Sobre a arquiteta Cristiane Schiavoni: Formada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (FAU-USP), Cristiane Schiavoni atua na área de arquitetura, decoração e reforma desde 1996 e hoje, o escritório que leva seu nome, tem mais de 20 anos de história, reunindo centenas de projetos dentro e fora do Estado de São Paulo. Em suas criações residenciais e comerciais, publicadas em importantes veículos brasileiros, elementos-surpresa e toques de cor se misturam aos recursos que garantem o conforto e o aconchego dos moradores.

Acabamentos aplicados de maneira incomum e materiais versáteis também são presenças constantes nos trabalhos de Cristiane Schiavoni. O resultado se reflete na concepção de ambientes modernos, humanizados e dinâmicos, que convidam ao bem-estar e, principalmente, traduzem a essência de cada cliente.

Av. Imperatriz Leopoldina, 957, sala 1914, Vila Leopoldina, São Paulo
Tel. (11) 3649 4900
www.cristianeschiavoni.com.br
@cristianeschiavoni

Sobre o chef Renato Caleffi: Graduado em gastronomia pela Anhembi Morumbi, o chef Renato Caleffi, do restaurante Le Manjue, é professor, pesquisador e ministra cursos por todo o país. Além disso, é autor dos livros Escolhas e Impactos - gastronomia funcional; Tudo sobre panelas; Na ponta da língua e a série infantil Achaz.

Renato é pioneiro na gestão e consultoria em alimentos orgânicos e referência nacional em gastronomia funcional, orgânica e saudável.

quarta-feira, 2 de outubro de 2019

O Apartamento de um jovem casal projetado por Marcela Pepe.

Localizado em São Paulo, no bairro dos Jardins, o apartamento de 220m2 é habitado por um jovem casal descontraído e seus três filhos. A família precisaria de um novo quarto para o terceiro filho, que estava chegando, sendo assim, Marcela Pepe construiu um quarto de serviço na lavanderia e trocou as funções de outros dois cômodos existentes.




A reforma, que durou sete meses, se baseou em adequar o uso dos móveis existentes e selecionar móveis novos para que a área social ficasse funcional, aconchegante, valorizando cada canto do apartamento que é clean, descontraído, com algumas “pitadas” de cor.



  
A distribuição dos ambientes do apartamento era como a maioria dos apartamentos antigos, com o pé direito alto e ambientes “quadrados” e bem distribuídos. Passando o hall de entrada, temos lavabo e a área social totalmente integrada (sala de jantar, sala de estar e sala de TV). Entrando pelo corredor da área íntima, depois da reforma, ficamos com três suítes e um quarto. A cozinha é integrada com a copa.


segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Versáteis e com muito design, as cadeiras de madeira são aposta da Sierra Gabriel.

Elas podem compor todos os estilos de ambiente, dos clássicos aos modernos Cadeira Vitra, toda estruturada em madeira. Possui braços, para mais conforto, e revestimento de couro natural.


Como pensar no décor e não se lembrar das cadeiras de madeira? Clássicas e versáteis, elas podem compor diversos estilos de ambientes, passeando dos mais despojados aos luxuosos. Trazendo um material natural tão belo e aconchegante, esse item é indispensável na composição de espaços atemporais.



Cheia de brasilidade, a cadeira Lapa tem a madeira em sua estrutura e encosto em palhinha. Estilosa, a cadeira Piegato traz o assento revestido com fibra natural. Mais clássica, a cadeira Medalhão aposta na madeira escura e traz um espaldar alto, para mais conforto

“A cadeira de madeira é atemporal e encaixa-se bem em toda casa – seja no living, na sala de jantar ou até no home office. O importante é optar pelo modelo correto, levando em conta seu uso. Ela tem que ser confortável, além de combinar com o projeto”, aponta Karina Alonso, proprietária da Sierra Móveis Gabriel. A loja conta com diversos modelos de cadeira, todos feitos de madeira maciça, totalmente sustentável.

Super resistentes, as cadeiras de madeira podem ser estofadas ou não. Tudo depende do desejo e do uso – peças estofadas e com braços, por exemplo, garantem muito mais conforto e possibilitam um uso prolongado. Modelos com espaldar alto também acomodam bem as costas. Peças com madeira clara podem ser combinadas com mesas brancas, criando um décor iluminado e contemporâneo, extremamente leve. “Mas para quem deseja mais presença, as peças escuras ou até com madeira pintada de preto são uma ótima opção”, aponta Karina.


Cadeira de aproximação Bione traz a madeira pintada de preto. Já a cadeira Cult Garden é perfeita para áreas externas. Versáteis, as cadeiras de madeira podem também compor o décor das áreas externas e varandas recobertas. Nesse caso, é importante manter a peça sempre envernizada, para garantir mais durabilidade.

Sobre a Sierra Móveis Gabriel: Com mais de quinze anos de experiência no segmento de luxo e móveis de alto padrão, a arquiteta Karina Alonso e o administrador Fabio Alonso realizaram mais um sonho ao ser tornarem sócios da Sierra Móveis Gabriel e ajudaram a marca a se solidificar na alameda Gabriel Monteiro da Silva, ponto de encontro de arquitetos, decoradores e apaixonados por design. Fundada em 1990, a Sierra Móveis é reconhecida como um dos maiores fabricantes brasileiros e referência mundial em qualidade e conforto, oferecendo mais de 5 mil peças de mobiliário de decoração. Desenvolvidas em um parque fabril com mais de 80 mil m², as peças são feitas a partir de madeira 100% maciça extraída de reflorestamento sustentável, trabalhadas com as mais avançadas tecnologias, aliadas a acabamentos artesanais e manuais, garantindo a excelência e exclusividade no design que constrói a história de sucesso da marca.

Sierra Móveis Gabriel
Alameda Gabriel Monteiro da Silva, 837
Jardim América, São Paulo - (11) 3062-3826
contato@sierragabriel.com.br
@sierragabrielsp

quarta-feira, 11 de setembro de 2019

Arquiteta Ieda Korman orienta sobre como usar pedras naturais na decoração e explica a diferença entre a matéria-prima e outros materiais.

Revestimentos como o mármore e o granito unem praticidade, resistência e durabilidade em uma aparência única.

Living com piso de mármore Sivec

Projeto: Korman Arquitetos | Fotos: Gui Morelli

As pedras naturais, como o mármore e o granito, são revestimentos capazes de unir praticidade, resistência e durabilidade a uma estética ímpar. Não por acaso, esses materiais são usados em pisos, paredes, bancadas e até móveis em diversos ambientes da casa. “A pedra natural é um elemento nobre, eterno e único, além de higiênico. Quando um bloco é fatiado, seus veios ou desenhos não serão repetidos em outro, o que significa que este acabamento nunca será igual em outra residência”, explica a arquiteta Ieda Korman, do escritório Korman Arquitetos.

Apesar de suas vantagens, muitas pessoas ficam em dúvida se vale a pena investir nas pedras para a decoração. Para ajudar na escolha, Ieda compartilha orientações e explica as principais diferenças entre as pedras e outros tipos de acabamentos. Confira:

Defina as necessidades do espaço


Na área social deste apartamento, o mármore Sivec reveste o piso, pois a moradora queria um acabamento nobre, fácil de limpar e neutro na decoração. Já o mármore Calacata Gold, com seus veios dourados, aparece para formar a parede e as prateleiras da estante, mostrando a versatilidade do material.

Pensar detalhadamente em como cada espaço da casa será usado é o primeiro passo para a seleção dos materiais. “Em acabamentos não há ganhos ou perdas, mas sim a necessidade de cada ambiente. Por exemplo, colocar mármore em uma parede de área de serviço será um desperdício. Já em uma sala de estar ou em um hall, a pedra será mais adequada, uma vez que seus veios e sua beleza proporcionam nobreza ao ambiente”, orienta a arquiteta. Por remeter a um décor mais sofisticado, também é importante pensar se o material combina com o conjunto.

Pedra x cerâmica – vantagens e desvantagens


O mármore Sivec usado no piso da área social se estende até o banheiro e o lavabo. No primeiro, o material reveste também as paredes e a banheira. Já no lavabo, o mármore Calacata compõe a parede com a bacia suspensa e a pia esculpida.

A principal diferença entre a pedra e os revestimentos cerâmicos é simples: enquanto a primeira tem uma aparência única, a outra tem um padrão repetido industrialmente. Outra distinção se refere à paginação dos revestimentos. “A pedra pode ser paginada, isto é, pode ser cortada em tamanhos que se enquadrem corretamente no ambiente, como também a distribuição dos veios ser em sequência. Já a cerâmica não oferece essa possibilidade”, aponta Ieda. Entre as vantagens da cerâmica estão o custo mais baixo e a colocação mais rápida. O preço da pedra é mais alto e varia de acordo com a qualidade e a raridade do material, mas a manutenção é praticamente zero.

Pedra x efeito pedra no papel de parede


O escritório usou o granito Café Imperial na bancada da cozinha, uma vez que a pedra tem duas características fundamentais para essa superfície: pode ser usada em áreas molhadas e é resistente ao calor.

Por ser um elemento com função decorativa, o papel de parede com características de pedra também pode ser colocado em ambientes nobres da casa, como hall de entrada, salas e quartos. Mas esse material sempre deve ser colocado em paredes que tenham massa corrida com pelo menos uma demão de tinta, além de seu uso ser aconselhado apenas em áreas internas que não tenham umidade. Já as pedras são instaladas em superfícies cimentadas com argamassa e podem compor projetos de áreas molhadas, como banheiros e cozinhas.

Sobre a Korman Arquitetos: Korman Arquitetos é mais que um escritório. Representa a geração de arquitetos que levam a marca dos projetos assinados há mais de 35 anos. Formado pelo casal Silvio e Ieda Korman, hoje tem na equipe a força de Carina Korman e, em equipe, assinam projetos residenciais, comerciais e de hotelaria – tanto no Brasil, como também no exterior.

Korman Arquitetos
Rua Groelândia, 1877, Jardim América, São Paulo
Tel.: (11) 3060-8313
www.kormanarquitetos.com.br
@kormanarquitetos


quinta-feira, 5 de setembro de 2019

Exposição que celebra os 25 anos da série Friends inspira profissionais na abordagem do estilo da decoração do apartamento da personagem Monica Geller.

Os arquitetos Pietro Terlizzi e Karina Korn explicam como aplicar em casa e apontam o que segue como tendência até os dias de hoje.

Crédito: Warner Bros – reprodução Pinterest

Desde o primeiro episódio, em 1994, até o final das 10 temporadas, em 2004, a série Friends segue com uma legião de fãs. O estilo de vida, os costumes e o humor leve dos seis amigos – Rachel, Joey, Phoebe, Chandler, Monica e Ross – continua inspirando o público que acompanhou na época, como também os mais novos que fazem da série uma das mais assistidas no Netflix.

Com os brasileiros o carinho não é diferente. Tanto que os ingressos para visitação da Casa Warner, em São Paulo, que celebra os 25 anos de Friends, esgotaram-se em pouco tempo. Entre 18 de setembro e 06 de outubro, dois andares dedicados ao seriado receberão ambientes e objetos presentes no apartamento da personagem Monica Geller, além do icônico sofá do Central Perk Café.

Inspirados nas bodas de prata de Friends, os arquitetos Pietro Terlizzi e Karina Korn promoveram uma análise sobre a decoração da casa da Monica. “O apê dela, onde acontece a maior parte dos encontros, traz o seu estilo de ser. Rigorosamente organizado, ele tem uma essência moderna e um aconchego que tornaram sala e cozinha, que tanto vimos nas temporadas, ambientes muito agradáveis para a convivência de todos”, explica Karina Korn, que é também é fã da série.

Tanto Karina, como Pietro são categóricos em afirmar que a decoração do apartamento da Mônica acompanha o estilo vintage com toques modernos. Karina conta que a combinação de cores, móveis e objetivos resultou em espaços descolados, agradáveis e em um estilo jovial. “Imagino que o décor foi pensado como um loft, com a ligação entre ambientes em uma atmosfera descontraída e perfeito para essa convivência de república”, enfatiza Karina. Acompanhe os pontos destacados pelos profissionais:

1- Cores fortes

Crédito: Warner Bros – reprodução Pinterest

O apartamento de Monica apresenta uma combinação de nuances fortes, com a predominância do roxo em paredes e portas, além da boiserie verde e do azul presente no armário da cozinha. “O uso de cores fortes requer personalidade”, afirma Pietro Terlizzi. Ele enfatiza que os moradores precisam verdadeiramente apreciar a paleta eleita, pois caso contrário, com o passar do tempo, podem enjoar dos tons.

Mais do que conhecer o gosto pessoal dos clientes, Karina Korn explica que o profissional de decoração deve seguir o espectro de cores, que indica como duas tonalidades fortes se complementam. “Cada tom tem sua família e o seu oposto que, por mais diferente que aparente ser, causa completude”, adiciona a arquiteta. Outra sugestão de Pietro para a seleção de cores fortes é seguir a mesma cartela, porém com nuances diferentes. Na cozinha, o armário azul de Monica segue como tendência na decoração, pois a peça revela-se uma excelente opção para alegrar o ambiente.

No projeto assinado por Pietro Terlizzi, o azul aparece em diferentes tons - Crédito - Guilherme Pucci.


2 - Ambientes integrados

O apartamento de Monica reforça outra tendência do décor: a integração de ambientes que acontece entre sala e cozinha. Na inexistência de uma parede para separar, a decoração é responsável por caracterizar cada espaço. “Temos várias maneiras de promover o trabalho de integração, que pode acontecer através do revestimento escolhido para piso, cores diferentes para o teto e os móveis”, ressalta Karina Korn. No caso da série, o espaçoso sofá com dois lugares foi eleito para exercer essa separação imaginária entre os cômodos.

No projeto assinado por Pietro Terlizzi, sala e cozinha são integradas

Nessa alquimia do integrar, alguns pontos devem ser levados em consideração: no caso do armário azul da cozinha, é importante atentar-se para a harmonia com os outros tons presentes na sala, por exemplo. O recurso também valoriza a cozinha como parte da área social, tornando-a, muitas vezes, o coração da casa.

3 - Cozinha

Crédito: Warner Bros – reprodução Pinterest

Chef de cozinha e conhecida por seu perfeccionismo e organização impecável, Monica mantém um armário de cozinha aberto. O arquiteto Pietro Terlizzi conta que o modelo deixa de ser apenas um móvel com a finalidade de guardar objetos para se tornar parte da decoração. “Manter a arrumação nos armários é primordial para um projeto nesse estilo. Quando assisto os episódios, gosto de observar o capricho para guardar louças e alimentos nas prateleiras, bem como as panelas de cobre penduradas no suporte”, destaca Karina.

Ela ainda releva que o estilo mais descolado também é uma alternativa para otimizar o valor do móvel, já que as portas encarem o projeto. Todavia, a escolha torna-se mais acertada em projetos de clientes que moram sozinhos ou com poucas pessoas. “Em uma família com muitos integrantes o armário aberto pode não dar muito certo”, enfatiza a arquiteta.

4 - Mix entre o clássico e o atual


Apaixonada por mesclar o clássico e o moderno, Karina Korn gosta de eleger peças antigas, como o carrinho de chá, presente da avó da moradora

A moradia de Monica também expõe diversos exemplos em que o clássico recebeu toques de modernidade. Geralmente usada em tons mais claros, a boiserie, um revestimento de origem francesa datado dos séculos XVII e XVIII, marca presença em uma meia parede pintada de verde – revelando-se uma versão charmosa e contemporânea da estética.

Na mesa de jantar, as diferentes cadeiras – incluindo as cores – reforçam que esse traço dá super certo. “Gosto muito de misturar cadeiras. Mesmo em projetos clássicos, costumo apostar em pequenos detalhes nas cadeiras, fazendo uma linda diferença no ambiente do jantar”, conta Karina Korn.

Peças vintage, como uma poltrona Luis XV pintada ou com a substituição do tecido por um colorido, traz um ar vanguardista para o ambiente. “Objetos assim são excelentes para quem não tem medo de ousar”, enfatiza Pietro.

Utilização de plantas em casa – projeto Karina Korn - Aplicação de tijolinhos – projeto Pietro TerlizziDicas gerais para inspirar-se na decoração de Friends:

5 - Dicas gerais para inspirar-se na decoração de Friends:

Para a decoração não ficar com cara de ultrapassada, o ideal é sempre mesclar peças atuais e antigas. Por exemplo, se os sofás forem antigos, cabe forrá-los com tecidos novos. Caso seja o tapete um item de destaque, combine-o com sofás de linhas retas e mesa de centro de design;
Se gostar de cor, mas tiver medo de enjoar, pinte as paredes. É muito mais fácil repintá-las quando o tom causar desconforto, a substituir os armários;
Tijolinhos trazem um toque vintage a qualquer decoração e pode ser evidenciado em uma parede pontual;
Plantas dão vida e cabem em todos os cômodos da casa.

Sobre Karina Korn Arquitetura: O amor por arquitetura e decoração levou Karina Korn a uma jornada de 26 anos dando forma a residências, lojas, consultórios e restaurantes – tanto no Brasil, quanto internacionalmente, com projetos reconhecidos em Tel Aviv e Miami. Formada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, Karina também se especializou em decoração e design gráfico pela Escola Panamericana de Artes. Seu vasto portfólio conta com passagens em diversas edições da CASACOR, e mostras como a CAD Brasil, Artefacto e Favorita, além de ações sociais no Projeto Casa da Criança e Decor Social – ONG Nossa Turma, dentre muitos outros, contribuindo para a transformação de abrigos e creches infantis.

Prioriza sempre o excelente atendimento ao cliente junto à sua equipe multidisciplinar, do projeto ao acompanhamento das obras. Para ela, arquitetura e decoração são muito mais que projetar – significam realizar sonhos.

Karina Korn Arquitetura
Tel. (11) 3473-1303
karinakorn@karinakorn.com.br
www.karinakorn.com.br
@karinakornarquitetura

Sobre Pietro Terlizzi: Formado pela FAU Mackenzie em 2009, foi sócio da Arch Stage Projetos por sete anos. O arquiteto abriu seu próprio escritório Pietro Terlizzi Arquitetura e Design em 2016, onde atua em todas as etapas do projeto, desde a elaboração do conceito à execução da obra. Com pouco mais de três anos de história, o escritório assina mais de 30 projetos, entre residências, escritórios e estabelecimentos comerciais, marcados por um estilo moderno, pela presença de materiais rústicos e pela combinação de paletas neutras com toques vibrantes de cor.

Pietro Terlizzi Arquitetura e Design
pietroterlizzi.com.br
@pietro_terlizzi_arquitetura

terça-feira, 3 de setembro de 2019

Arquiteta Denise Barretto ensina como usar madeira rústica na decoração.

Bastante versátil, o material pode compor um décor luxuoso e não se limita a casas de campo ou ao estilo industrial.

Projeto: Denise Barretto Arquitetura | Foto: Rômulo Fialdini

A madeira rústica é muitas vezes associada ao décor de campo ou industrial. Mas esse material natural é bastante versátil e pode compor vários estilos de projetos. “Em um estilo completamente clássico, talvez a madeira rústica destoe do conjunto. Mas em outros tipos de composição, tudo depende da lustração, ou seja, o quanto ela é lixada e tratada de forma a tornar sua beleza natural mais delicada”, explica a arquiteta Denise Barretto, do escritório Denise Barretto Arquitetura.

Quando a textura da madeira é extremamente rústica, ela remete à casas de campo ou de praia. Mas se houver uma lustração mais delicada, ela traz um caráter natural e artesanal. Até espaços mais sofisticados podem receber a madeira em sua versão mais ‘crua’ ou mesmo de demolição. “A madeira maciça é um objeto de luxo hoje em dia. A madeira certificada, que dá a certeza da origem correta do material, custa caro e, em função disso, ela ganha esse novo caráter”, explica Denise.

Projeto: Denise Barretto Arquitetura | Foto: Rômulo Fialdini

Para um décor sofisticado, a madeira rústica pode protagonizar uma paleta de cores mais monocromática ou ser usada em contraponto com o veludo. No projeto desta área social, Denise usou o assoalho de canela de demolição em contraste com as paredes revestidas em mármore Nero e latão acetinado. O mobiliário pontuado de azul, terracota e acqua traz o veludo para a composição.

Projeto: Denise Barretto Arquitetura | Foto: Rômulo Fialdini

Outro modo de trazer a madeira para uma decoração contemporânea e elegante é fazer dela um elemento artístico. No living integrado, a divisória em aço corten e madeira maciça é o elemento ícone do projeto. Criada por Denise, ela funciona como uma estante lúdica com blocos deslizantes de madeira, que podem ser deslocados conforme o desenho que se queira obter. Ela foi implantada no centro do espaço a fim de proporcionar um pouco de privacidade para o home theater.

Apesar de oferecer inúmeras possibilidades de decoração, a madeira rústica exige manutenção. “Mesmo dentro de casa, se a superfície receber muito sol, por exemplo, ela precisa receber uma lixa bem fina e ser encerada novamente com frequência”, aconselha Denise.

Sobre Denise Barretto: Formada em Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade Mackenzie e especializada em paisagismo pela FAU-USP, Denise Barretto já assinou inúmeros projetos, atuando fortemente nos segmentos residencial, comercial, hoteleiro e corporativo. Com quase 30 anos de história, o ateliê que leva seu nome conta com uma equipe multidisciplinar de arquitetos, designers e parceiros diferenciados que ajudou a construir uma trajetória sólida. Juntos, apostam na funcionalidade dos espaços e na integração entre áreas internas e o paisagismo como a base de projetos modernos e sofisticados. Denise e sua equipe estão sempre atentas aos detalhes de cada projeto, acompanhando desde a proposta personalizada de interiores até a finalização da obra.

O escritório criou imagens arquitetônicas para as lojas H.Stern, Chocolat du Jour, Baked Potato, Costume e Avon. Seus clientes corporativos são Brasif, Nacional de Grafite, Radisson e Sheraton. Tem obras em várias partes do Brasil e do mundo, além de ser especialista também no segmento educacional. Entre os projetos já realizados está o do Colégio Bandeirantes e da Escola Mobile.

Denise Barretto Arquitetura
Av. Brigadeiro Faria Lima, 2954, Jardim Paulista, São Paulo
(11) 3078-6963
www.denisebarretto.com.br
@barrettodenise

Gallery Wall: Estúdio Uvva compartilha dicas para montar e aplicar os quadros na decoração.

Trio de arquitetas abordam os truques para não errar na hora de compor os quadros nos ambientes da casa.

Gallery Wall/Projeto: Estúdio Uvva/Foto: Manu Oristanio

Paredes vazias são espaços ideais para soltar a criatividade. Nesses locais, quadros, pôsteres, fotos, e até mesmo adornos, podem formar uma gallery wall. A composição, perfeita para repaginar o visual da casa ou apartamento, dá vida às paredes!

O ideal é aproveitar aquela superfície monocromática para adicionar cores e texturas diferentes. Após eleger o ambiente do imóvel que abrigará o arranjo artístico, a escolha das obras de arte deve seguir a personalidade do morador. Assim, é possível misturar molduras, tamanhos, formatos, desenhos e tonalidades em uma disposição assimétrica ou rigorosamente organizada.

O melhor é que a gallery wall pode ser posicionada em qualquer espaço da casa. No quarto, na sala de jantar, no living e até no banheiro, sempre levando em consideração o estilo da decoração de cada um. Para ajudar a montar uma bela composição, o trio de arquitetas do Estúdio Uvva reuniu dicas valiosas. Barbara Marins, Gabriela Hipólito e Juliana Flauzino se inspiraram em seus projetos para fornecer as orientações necessárias. “O importante é que o resultado transmita os gostos dos moradores”, afirmam.

1) Cores vibrantes:

Quadros coloridos/Projeto: Estúdio Uvva/Foto: Manu Oristanio

Quanto maior o espaço, mais possibilidades de composição. Em uma sala de estar com paredes brancas e pé direito duplo, quadros de diversos desenhos, cores e formatos deixam o ambiente mais divertido. O essencial é que, mesmo em uma combinação aparentemente despojada, haja um padrão. Seja de tons vibrantes, tamanhos ou estilos. “Afinal, pendurar telas é uma maneira criativa de valorizar a coleção de arte”, diz Babara Marins.

Além disso, os demais móveis e objetos finalizam a decoração. As poltronas, almofadas, tapetes, mesas e sofás, ajudam na harmonização. 

2) Tons neutros:

Quadros em um ambiente neutro/Projeto: Estúdio Uvva/Foto: Manu Oristanio

Quando o assunto são os ambientes com dimensões menores, é importante observar as proporções. Escolher quadros de tamanhos únicos ou variar as dimensões auxilia no equilíbrio. Nesse caso, os tons neutros são os mais recomendados, já que não cansam a vista e contribuem para uma melhor combinação em paredes pequenas.

Nessa sala, as arquitetas mantiveram o conceito de decoração e acrescentaram modernidade. No living composto por marrom, bege e preto, as molduras chamaram a atenção. Os desenhos e fotos remetem às memórias dos clientes. O resultado ficou incrível!

3) Gallery wall na sala de almoço: 

“Os quadros podem estar presentes em qualquer ambiente da sua casa”, conta Gabriela Hipólito. Desde que se respeite o tamanho da parede, o estilo da decoração do espaço e a personalidade dos proprietários. Na sala de almoço, local que é muito usado no dia-a-dia, escolher uma bonita composição tornará a refeição ainda mais agradável.

Gallery wall na sala de almoço/Projeto: Estúdio Uvva/Foto: Manu Oristanio

Uma dica interessante é tentar manter um fio condutor na hora de montar a gallery wall. Eleger um tema central para os quadros, fotos ou pôsteres facilitam a produção de um arranjo equilibrado. Mesmo que os desenhos sejam diferentes, as cores ou formatos podem se destacar nessa função.

4) Gallery wall com papel de parede:

Apesar de dispensar o uso de papel de parede, nada impede de utilizá-lo na composição final. As estampas deixam o cômodo mais charmoso e cativante. O segredo é saber conciliar as colorações e os temas, mas sem exageros.

Papel de parede ajuda a compor a gallery wall/Projeto: Estúdio Uvva/Foto: Manu Oristanio

Além disso, os objetos de decoração também são capazes de formar uma bonita galeria. Dessa maneira, lembranças de viagens dos moradores, por exemplo, ganham um local especial no projeto. “Nessa sala, os pratos coloridos foram colocados em uma disposição adorável, cativando o olhar”, afirma Juliana Flauzino.

5) Gallery wall no quarto:

Quarto de casal com quadros/Projeto: Estúdio Uvva/Foto: Manu Oristanio

A cabeceira da cama do quarto de casal é um ótimo espaço para receber uma gallery wall. Se a parede for monocromática, a escolha das obras fica ainda mais fácil. Em uma decoração clássica, os tons neutros são os mais indicados, assim como no minimalismo do estilo escandinavo. Para composições modernas e despojadas, cores vibrantes e desenhos abstratos combinam perfeitamente. “Entretanto, não se prenda às fórmulas prontas. Explore as diversas maneiras para expor os quadros”, aconselham as profissionais do Estúdio Uvva.

Sobre Estúdio Uvva

Inaugurado em 2013, o Estúdio Uvva é fruto da união de três arquitetas: Juliana Flauzino, Gabriela Hipólito e Barbara Marins. As profissionais reconheceram uma na outra o amor e a dedicação pela arquitetura quando estudaram juntas no Centro Universitário Belas Artes em São Paulo. Reunindo trajetórias, bagagens, opiniões e personalidades diferentes, elas criaram um estilo harmônico que é traduzido em seus projetos. Criatividade, equilíbrio, inovação e conforto são os pilares seguidos à risca neste escritório. “Conectar nossas experiências na arquitetura para realizar o sonho de alguém é o nosso diferencial”, afirmam.

www.estudiouvva.com.br
@estudiouvva
Rua Curupacê, 489 – Sala 2 – Mooca, São Paulo – SP
Fone: (11) 3205-2080

quinta-feira, 8 de agosto de 2019

Galeria Pace abre nova flagship na 540 West 25th Street em Nova York em setembro.

A Pace Gallery tem o prazer de anunciar que abrirá sua nova galeria em Nova York em setembro de 2019. Localizada no coração do bairro de Chelsea, em Manhattan, na 540 West 25th Street, a nova sede global da Pace está sendo desenvolvida pela Weinberg Properties e projetada pela Bonetti / A Kozerski Architecture, em estreita colaboração com o Presidente e CEO da Pace, Marc Glimcher. Abrangendo oito andares e medindo aproximadamente 75.000 pés quadrados, o edifício foi projetado como um espaço integrado e dinâmico para artistas, colecionadores, curadores, galeristas e a equipe internacional de Pace, para se reunir e se envolver com o trabalho dos principais artistas aquele Pace tem a honra de representar. 

Com uma visão astuta para o futuro do modelo de galeria de arte, o novo edifício une os papéis multifacetados e em evolução da galeria sob o mesmo teto - abrangendo extensas galerias de exposições internas e externas; uma biblioteca de pesquisa de 10.000 volumes; uma área de armazenamento de arte aberta; e um espaço de 2.200 metros quadrados dedicado a novos trabalhos de mídia, performance e programação pública. A inauguração do novo prédio no outono de 2019 será um marco importante na história da galeria, quando embarcar em seu 60º aniversário em 2020.


“Projetar este novo edifício ao lado da Bonetti / Kozerski e da Weinberg Properties deu à nossa equipe na Pace a oportunidade de abordar, com novos olhos, a questão do que significa ser uma galeria de arte no século 21”, disse Glimcher. “Isso nos permitiu ter uma visão diferenciada dos fundamentos do que fazemos, onde acreditamos que o mundo da arte está se dirigindo e como podemos criar um espaço que nos capacitará a continuar a servir nossos artistas e nossa comunidade em toda a extensão. de nossas habilidades e ambições. Cada elemento deste novo edifício - da biblioteca de pesquisa do primeiro andar, à galeria do terraço ao ar livre do sexto andar, ao espaço flexível de programação e desempenho do sétimo andar - foi moldado para nos permitir contar as histórias inspiradoras de nossos artistas de forma dinâmica e rica. eles merecem ser contados. Esse é um imenso privilégio que não tomamos de ânimo leve e vemos esse novo prédio não como um fim em si mesmo, mas como um catalisador para inovação e evolução contínuas como uma galeria ”.

Samuel G. Weinberg, presidente/CEO da Weinberg Properties, diz: “A Weinberg Properties e a Pace tiveram o prazer de mais de 20 anos de relacionamento no distrito de Artes do Chelsea. Estamos entusiasmados com o fato de a Bonetti / Kozerski Architecture ter ajudado a dar vida à nossa visão e ideias para este edifício. Como proprietários e desenvolvedores do projeto, sentimos que criamos algo realmente único e especial para o Pace que nunca foi visto antes. Somos fortes defensores do mercado do Chelsea, pois temos outro site de desenvolvimento no horizonte. Estamos extremamente orgulhosos e empolgados com a inauguração da nova galeria principal da Pace em nosso prédio e para poder continuar nosso longo relacionamento com eles ”.

Mais do que dobrar o atual espaço de exposição da Pace em Nova York, o novo prédio possui quatro galerias distintas, medindo um total de 16.500 pés quadrados, incluindo espaços internos e externos. Todos os espaços expositivos permitem uma ampla gama de estilos de instalação e mídia artística, com recursos como um design totalmente livre de colunas, altas capacidades de carga e planos de iluminação flexíveis, criando galerias extraordinariamente ágeis que podem suportar uma abordagem diversificada à programação de exposições. A maior galeria ocupa o piso térreo, abrangendo 3.600 pés quadrados com tetos de 18 pés, bem como uma porta pivotante de vidro que se abre diretamente para a rua. O térreo também possui a biblioteca de pesquisa da galeria. Aberta ao público com hora marcada, a biblioteca de pesquisa não só incluirá grande parte dos acervos de publicação da galeria, mas também uma área de exibição para exibir os ricos materiais de arquivamento da galeria em complemento às exibições exibidas.

Com a Weinberg Properties e a Pace Gallery usando a arquitetura Bonetti / Kozerski para a construção e design de interiores do novo prédio, o processo tem sido colaborativo, integrado e eficiente do começo ao fim - permitindo que todos os elementos do edifício reflitam e reforcem as distintas necessidades de programação e visão da galeria. Com o objetivo de obter uma Certificação Prata LEED, o edifício de 35 metros de altura foi projetado com considerações de impacto ambiental. O exterior do edifício possui pedra vulcânica até o sexto andar de sua fachada norte e espuma de alumínio nos outros três lados. A construção do invólucro do edifício utilizou um sistema “mega-panel” fabricado sob medida, que permitiu um processo de instalação eficiente no local - com todo o período de construção de dois anos. Ambos os painéis de fachadas de pedra vulcânica e os painéis laterais de alumínio foram pré-montados sob condições precisas de fábrica, resultando em controle de alta qualidade e desempenho para fatores de barreira térmica, acústica e de água em comparação com a metodologia tradicional de construção de campo.

A iluminação de todo o edifício foi projetada em colaboração com Arnold Chan, da Isometrix Lighting Design, com sede em Londres, um dos principais designers de iluminação do mundo para galerias e museus. Guiado pela necessidade da galeria de opções de iluminação totalmente personalizáveis, o esquema funde a luz natural e artificial para criar ambientes de iluminação distintos em todo o edifício. As luminárias ocultas fornecem luz ambiente que pode ser ajustada em termos de intensidade e temperatura de cor. Isso é combinado com um sistema sofisticado de iluminação spot e flood que é ajustável dentro dos mesmos parâmetros, permitindo um nível extremamente alto de flexibilidade e personalização de acordo com os requisitos da arte em exibição.

Nos próximos meses, Pace estará compartilhando notícias sobre sua temporada inaugural de exposições, programação e comissões especiais de artistas que antecederam a abertura de setembro de 2019. A partir do verão de 2019, a Pace não ocupará mais a 537 West 24th Street, mas continuará a operar em seus atuais espaços de exposição na 510 West 25th Street e 32 East 57th Street. A programação da exposição em todo o novo edifício também abrangerá os programas da Galeria Pace / MacGill e Pace African and Oceanic Art.